Champions League

Na noite em que Ibra foi aplaudido de pé em sua cidade, Lucas marcou um lindo gol de falta

O Estádio Swedbank estava preparado para a festa. Zlatan Ibrahimovic voltava a sua cidade natal para enfrentar o Malmö, clube que o formou. Chegou a reservar até mesmo a praça principal da cidade, instalando um telão àqueles que não conseguiriam um dos 21 mil ingressos ao jogo. E os anfitriões abriram o caminho para a festa dos visitantes. O Paris Saint-Germain goleou os suecos por 5 a 0, resolvendo o jogo logo nos 15 primeiros minutos. O time francês confirmou a classificação para as oitavas de final, embora não tenha mais chances de tomar o primeiro lugar.

Ángel Di María terminou como destaque em campo. O argentino deu sequência à ótima fase e marcou dois gols. Rabiot havia aberto o placar, enquanto Ibra deixou o seu no início da segunda etapa – comemorando de maneira comedida, em respeito à antiga casa. Já o gol mais bonito ficou para o fim, anotado por Lucas Moura, que saiu do banco. Uma cobrança de falta caprichada, cheia de curva, para tirar do alcance do goleiro Wiland. Boa maneira de cobrar seu espaço e de tentar responder às críticas recebidas da France Football, analisando a falta de evolução do brasileiro desde que chegou a Paris.

Ainda assim, a cena mais tocante no estádio envolveu Ibrahimovic. O centroavante acabou substituído no final da partida e recebeu uma ovação em pé de todos os torcedores. O reconhecimento merecido ao eterno ídolo, ainda notável com a seleção sueca, após colocá-la na Euro 2016. E, mais do que isso, um filho que ama a sua cidade, enfatizando a sua identidade e ajudando a comunidade carente de onde veio.

Abaixo, a homenagem a Ibra e o belo gol de Lucas:

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo