Champions League

Mesmo em ritmo reduzido, City consegue boa vantagem na ida contra o Mönchengladbach

Uma marcha abaixo do que tem apresentado na temporada, o Manchester City encarou o Borussia Mönchengladbach quase que em ritmo de treino nesta quarta-feira (24), na partida de ida pelas oitavas de final da Champions League – e isso bastou. Senhor do jogo, o City, que foi visitante em jogo deslocado à Hungria devido a restrições de viagem, venceu por 2 a 0, com gols de Bernardo Silva e Gabriel Jesus. Se o seu retrospecto nesta temporada servir de indício, a classificação dos Sky Blues às quartas de final já está basicamente assegurada.

O primeiro tempo foi de domínio do Manchester City, que controlou o ritmo do duelo, acelerando e desacelerando conforme queria, sem correr riscos na defesa. No ataque, teve volume menor do que tem sido o costume nesta temporada. Ainda assim, fez o suficiente para ir ao intervalo com a vantagem no placar.

O Mönchengladbach se postou bem defensivamente, por vezes posicionado em um 5-4-1, por vezes em um 4-3-3, dependendo do volume de ataque do City. Quando teve a bola, exceto por um par de vezes em que buscou a bola longa, tentou trabalhar a jogada com calma, saindo da defesa com toques curtos e simples, mas sem conseguir transformar isso em grandes chances de gol.

O primeiro tempo teve apenas quatro finalizações, todas elas do City. Apenas uma foi realmente perigosa, mas o time de Guardiola foi eficaz para transformá-la em gol. Em um momento dos mais mornos da primeira etapa, aos 29 minutos, Cancelo teve tempo e espaço para cruzar às costas da defesa alemã na cabeça de Bernardo Silva, que desviou e venceu o goleiro Yann Sommer.

O segundo tempo seguiu um roteiro não tão diferente, e o Mönchengladbach sequer forçou o City a acelerar seu ritmo. Conduzindo o duelo à vontade, os ingleses lentamente foram criando suas oportunidades de ampliar. Aos nove minutos da segunda etapa, a defesa alemã errou na saída de bola e entregou no pé de Gabriel Jesus. O brasileiro avançou até a área, foi tomado por uma hesitação gritante e, demorando demais para finalizar, acabou travado. No entanto, o camisa 9 logo se redimiria.

Aos 20 minutos, em lance parecido com o do primeiro gol, o City rodou a bola, Cancelo recebeu com liberdade em posição um pouco centralizada à esquerda, cruzou às costas da defesa para Bernardo Silva, que agora ajeitou de cabeça para o meio. Gabriel Jesus então apareceu para completar para o gol e decretar o 2 a 0.

A partida esfriou ainda mais na segunda metade da etapa final, com finalizações de Foden e Mahrez após boas tramas coletivas valendo alguma menção, ainda que sem levar grande perigo. O duelo só foi esquentar novamente no último lance do jogo. Rodri tentou o recuo para a defesa e entregou no pé de Wolf, na entrada da área, mas o atacante parou em grande defesa de Ederson, que manteve o City sem ser vazado.

Além do estilo de jogo dominante e do ataque avassalador, o Manchester City tem demonstrado grande proeza defensiva na temporada, tendo sofrido apenas 15 gols em 25 jogos na Premier League, o que o torna a melhor defesa da competição. Na Champions League, sofreu apenas um gol em sete jogos. É seguro dizer que, com o que vimos hoje e com o que tem mostrado a equipe de Guardiola em 2020/21, a missão do Borussia Mönchengladbach agora é basicamente impossível.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo