Champions League

Mais eficientes na última rodada, Lille e Salzburg avançam às oitavas; Sevilla voltará a assombrar a Liga Europa

Lille não tomou conhecimento do Wolfsburg na Alemanha, enquanto Salzburg bateu o Sevilla no contragolpe

O Grupo G da Champions League foi o único que chegou à rodada final totalmente indefinido. Numa chave sem forças tão evidentes, o equilíbrio imperou durante grande parte da disputa. Porém, nesta quarta, os dois times que já estavam na zona de classificação se confirmaram nas oitavas. O Lille avança na liderança, com um incontestável 3 a 1 sobre o Wolfsburg dentro da Volkswagen Arena, em que a eficiência dos franceses pesou demais. Já na Red Bull Arena, o Red Bull Salzburg apostou nos contra-ataques diante do Sevilla e venceu por 1 a 0, o que valeu a segunda posição. Os sevillistas mais uma vez jogarão a Liga Europa, que nesta temporada terá sua decisão dentro do Estádio Ramón Sánchez-Pizjuán.

O primeiro tempo na Áustria seria equilibrado. O Sevilla controlava mais a posse de bola, mas ficava boa parte do tempo no campo defensivo, diante da agressiva marcação do Salzburg. As raras escapadas dos andaluzes vinham em jogadas aéreas, enquanto os anfitriões não acertavam seus avanços em velocidade. A primeira meia hora do jogo teria parcas emoções, até que as jogadas fluíssem um pouco mais antes do intervalo. Os chutes de média distância começaram a sair, enquanto os sevillistas se postaram mais nos arredores da área. Tentaram forçar em bolas paradas, sem sucesso.

O segundo tempo precisou de pouquíssimos minutos para garantir mais intensidade que toda a primeira etapa. O Sevilla poderia ter feito o primeiro aos dois, numa bola pelo alto que chegou limpa a Munir El Haddadi, mas o atacante mandou no travessão. Já aos cinco, o Salzburg encaixou o contragolpe para garantir a vitória. Brenden Aaronson abriu com Karim Adeyemi na esquerda e o atacante chegou à linha de fundo, onde fez o cruzamento rasteiro para Noah Okafor finalizar. A missão dos sevillistas se tornava ainda mais dura. Logo Julen Lopetegui botou Rafa Mir, no lugar de Ludwig Augustinsson, aumentando a presença de área.

O Sevilla passou a atuar no campo de ataque, mas levou outro golpe duro aos 19, quando Joan Jordán matou um contra-ataque e recebeu o segundo amarelo. Andreas Ulmer também poderia ter sido expulso aos 24, mas a arbitragem aliviou com o amarelo pela falta dura. Mesmo com novas mudanças, os andaluzes não indicavam tantas forças para uma reviravolta e os austríacos ainda eram mais perigosos nas poucas chegadas. De qualquer forma, a partida era desprovida de grandes lances e os sevillistas passavam longe da virada necessária. Tentarão afogar as mágoas na Liga Europa, que conhecem tão bem, e com a motivação da final em seu próprio estádio.

<iframe width="100%" height="580" src="https://www.sofascore.com/pt/evento/9757807/formacoes/inserir" frameborder="0" scrolling="no" style="max-width: 770px"></iframe>    <div style="font-size:12px;font-family:Arial,sans-serif"><a href="https://www.sofascore.com/pt/sevilla-red-bull-salzburg/WPsIgb" target="_blank" rel="noopener">Placar ao Vivo Red Bull Salzburg - Sevilla</a></div>

Já na Alemanha, o Lille foi perfeito em sua estratégia. Os campeões franceses jogariam no contra-ataque, o que deu certo logo cedo, com o primeiro gol aos 11 minutos. Após um escanteio para o Wolfsburg, o goleiro Ivo Grbic conectou o avanço pela direita. Zeki Çelik passou a Jonathan Ikoné, que disparou e chegou à borda da área. O ponta encontrou Burak Yilmaz e o centroavante concluiu no canto. Os Lobos tentaram uma resposta imediata, e Luca Waldschmidt chutou com perigo para fora. Todavia, mesmo com amplo domínio da posse, os alviverdes tinham dificuldades na criação. Limitaram-se a muitas bolas aéreas, sem tanto resultado. No máximo, teriam um escanteio fechado que os franceses afastaram quase em cima da linha. A organização defensiva dos Dogues se sobressaía.

A segunda etapa veria o Wolfsburg ainda na necessidade, mas o Lille administrava bem a vantagem e ainda quase ampliou aos oito, num chute desviado de Ikoné que parou em ótima defesa de Koen Casteels. Mesmo a tentativa dos Lobos de aumentarem a pressão não dava resultado e um erro de Casteels só não rendeu o segundo porque Ikoné e Yilmaz perdoaram. Aos 27, contudo, os Dogues liquidaram a fatura. Num passe rasteiro de Ángel Gomes, Jonathan David entrou sozinho na área e definiu no cantinho, em tiro que bateu na trave antes de entrar. Neste momento, os alemães pareciam entregues.

O Lille, por outro lado, viu a chance de aplicar uma goleada. O terceiro gol surgiu aos 33 minutos. Numa roubada de bola no campo de ataque, Ikoné serviu e Gomes chutou por baixo de Casteels. Ikoné, aliás, vivia uma jornada brilhante e quase anotou o quarto, brecado por uma excelente defesa de Casteels em chute no contrapé. Os minutos finais seriam basicamente jogados no campo de ataque dos Dogues, que queriam mais. Os Lobos só descontaram aos 44, numa bola viva na entrada da área que Renato Steffen chutou no canto. Tarde demais para qualquer reação, entretanto.

O Lille fecha o Grupo G com 11 pontos, com as três vitórias arrancadas na segunda metade da competição – duas delas fora de casa. Já o Red Bull Salzburg, melhor na metade inicial da chave, chegou aos dez pontos. O Sevilla ficou com seis pontos, apenas uma vitória e um dos piores ataques desta fase de grupos. Vai à Liga Europa. Por fim, o Wolfsburg ficou com quatro pontos e encerra sua temporada continental.

<iframe width="100%" height="580" src="https://www.sofascore.com/pt/evento/9757808/formacoes/inserir" frameborder="0" scrolling="no" style="max-width: 770px"></iframe>    <div style="font-size:12px;font-family:Arial,sans-serif"><a href="https://www.sofascore.com/pt/vfl-wolfsburg-lille-osc/THszab" target="_blank" rel="noopener">Placar ao Vivo VfL Wolfsburg - Lille OSC</a></div>

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo