Champions League

Klopp: “Quando esses dois times se enfrentam, eu diria que é garantido haver drama”

Simeone não quis entrar em polêmicas de arbitragem, mas elogiou a atuação do seu time que quase completou uma grande reação

Liverpool e Atlético de Madrid cumpriram as expectativas com um grande jogo no Wanda Metropolitano na última terça-feira. Os ingleses acabaram vencendo por 3 a 2 e encaminharam a vaga nas oitavas de final, em um jogo que teve gols muito bonitos, expulsão, pênaltis dados e não dados, e muita drama. Segundo Jürgen Klopp, esse é um aspecto garantido quando duas “unidades de combate” se encontram.

Mohamed Salah marcou pelo nono jogo seguido – o primeiro jogador da história do Liverpool a fazê-lo – após uma linda jogada individual, e Naby Keita ampliou com uma bomba de fora da área. Antoine Griezmann, porém, empatou ainda no primeiro tempo, mas foi expulso pouco depois do intervalo. Um pênalti em Diogo Jota permitiu que Salah fizesse 3 a 2 para os visitantes, e o Atlético de Madrid reclama de uma penalidade parecida do português em cima de Giménez.

“Não fico surpreso. Quando esses dois times se enfrentam, eu diria que algum drama é garantido. São duas unidades de combate, acostumadas a lutar pelo que querem, isso é claro”, afirmou, após a sua terceira vitória em três jogos na Champions League. “A história do jogo é especial porque não acontece com muita frequência. Abrir 2 a 0 tão facilmente contra o Atlético em 13 minutos. E o cérebro humano pode ser seu pior inimigo. Não compreendemos bem a situação. Queríamos controlar o jogo da maneira errada, jogamos nos espaços errados e obviamente demos dois gols para eles”.

Klopp não ficou satisfeito com a atuação do seu time, afirmou que foram “três pontos sujos”, mas que esses costumam ser os mais importantes. “Não foi nosso melhor futebol, mas conseguimos os pontos e esse é um grande passo. Dois times confiantes se enfrentaram e tenho certeza que, se você medisse a minha confiança e a de Diego Simeone, tenho 100% de certeza que ele venceria e pelos motivos certos”, disse.

“Foi uma luta de verdade, e não foi sobre este time, este jogo. Ninguém pode vencer apenas porque é o melhor time, sem chance. Os dois times são lutadores e vocês viram isso. E em duas semanas, veremos novamente. Não é um jogo pelo qual estou ansioso. Eles são um time muito difícil de enfrentar, mas estaremos lá e, no nosso estádio, com um clima maravilhoso, e espero que possamos usar isso”, concluiu.

Simeone não quis entrar nas polêmicas de arbitragem. Disse que a comissão tem a liberdade de interpretar os lances como quer em relação à expulsão de Griezmann e disse que o toque de jota em Giménez foi “leve”. “Os árbitros podem errar, como nós, mas fizemos um grande jogo. Perdendo por 2 a 0, pensaram que poderiam nos fazer cinco ou seis gols. E foi 3 a 2. Escapou por pouco”, disse.

“Foi um jogo duro, um rival que tem um grande futebol, que normalmente ganha os jogos por muitos gols. Não começamos como queríamos e, depois do segundo gol, começamos a encontrar o que estávamos procurando. Tivemos chances para abrir vantagem. Tivemos a jogada mais clara do segundo tempo, o goleiro (Alisson) voltou a fazer uma grande defesa. A equipe respondeu bem com um a menos”, afirmou.

Em 3 de novembro, daqui a duas semanas, o Liverpool, com nove pontos, recebe o Atlético de Madrid (quatro) em Anfield com a chance de se classificar.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo