Champions League

Juventus dominou, mas foi o Villarreal que sapecou em Turim para sair com a classificação

A boa atuação da Juventus em casa não foi o bastante e Villarreal arranca três gols nos 15 minutos finais para avançar às quartas de final da Champions

A Juventus desta temporada não tem sido um time dominante e nem de grandes atuações, mas conseguiu fazer exatamente isso nesta quarta-feira em Turim. Diante do Villarreal, no jogo de volta das oitavas de final, jogou bem, dominou o adversário, mas não conseguiu fazer seu gol. Pior ainda: mesmo melhor, viu o Villarreal marcar três vezes nos 15 minutos finais e sacramentar a classificação, para choque dos torcedores o Allianz Stadium. O placar de 3 a 0 foi um exagero, mas o Villarreal não ligou: saiu comemorando.

O técnico Massimiliano Allegri tinha problemas e os principais deles na defesa. Giorgio Chiellini não estava em condições plenas e ficou no banco. Leonardo Bonucci ficou fora do jogo. Assim, a defesa com três jogadores foi formada por Danilo, Matthjs De Ligt e Daniele Rugani. No Villarreal, Unai Emery escalou um time sem um centroavante típico, ficando apenas com Arnaut Danjuma como jogador mais avançado.

Primeiro tempo

Foi um grande primeiro tempo da Juventus, que o placar só não foi aberto porque o goleiro Rulli estava em ótima forma e ainda deu alguma sorte. Logo a 11 minutos, a Juventus levou perigo com Álvaro Morata. Juan Cuadrado cruzou para o espanhol, que cabeceou e exigiu boa defesa de Rulli. Depois, ele mesmo pegou o rebote e o goleiro novamente interveio.

A Velha Senhora pressionava no campo de ataque, enquanto o Villarreal tentava achar uma forma de escapar dessa pressão imensa. O time espanhol tentava encaixar alguma saída rápida de contra-ataque, mas tinha dificuldade de conectar a saída de bola com o ataque.

Aos 21 minutos, uma grande chance. O zagueiro Daniele Rugani achou Mattia De Sciglio na esquerda, que cruzou para a área e encontrou Dusan Vlahovic, na primeira trave, e o sérvio finalizou forte. A bola tocou no travessão e saiu. Nada de gol no Allianz Stadium, mesmo com os mandantes melhores na partida.

O Villarreal conseguiu levar algum perigo aos 31 minutos, quando o lateral Serge Aurier pegou um rebote e, de fora da área, chutou de primeira. A bola foi para fora, mas era uma posição perigosa. Foi um dos poucos ataques que o Submarino Amarelo conseguiu emplacar.

Vlahovic teria uma nova chance de abrir o placar aos 35 minutos. Em escanteio, Vlahovic completou cruzamento na segunda trave e Rulli precisou fazer uma defesa à queima-roupa. Uma grande intervenção do argentino, bem-posicionado.

O primeiro tempo terminou com a Juventus tendo dominado a partida, perdido algumas chances, mas sem conseguir fazer o gol. O empate mantinha a classificação completamente indefinida, porque levaria à prorrogação.

Segundo tempo

O panorama do segundo tempo se manteve. A Juventus tentou se posicionar no campo de ataque, colocando o Submarino Amarelo para trás. A Velha Senhora tinha problemas para criar chances. Os mandantes alugaram o campo de ataque, mas as finalizações eram de fora da área, ou então acabavam bloqueadas. Os visitantes esperavam o momento de sair em contra-ataques.

Unai Emery colocou dois jogadores aos 20 minutos. Entraram Francis Coquelin e Samuel Chukwueze. Pouco depois, entrou também Gerard Moreno. As alterações teriam participações importantes no jogo.

Aos 30 minutos, Coquelin entrou na área e Rugani o derrubou. O árbitro não marcou inicialmente, apesar das reclamações dos espanhóis. O VAR chamou o árbitro, que foi revisar o lance e apontou a marca da cal: pênalti para a equipe de Unai Emery. Gerard Moreno, que tinha entrado um minuto antes, cobrou com o pé esquerdo, no canto esquerdo do goleiro, e marcou: 1 a 0 para o clube espanhol.

Com a vantagem, seriam cerca de 15 minutos mais acréscimos para segurar a vantagem. A Juve mudou imediatamente: sacou Rugani, desmontou a linha de três zagueiros e colocou em campo Paulo Dybala. Danilo, então, virou zagueiro central.

Só que o Villarreal deu outro golpe. Em escanteio, Serge Aurier corou para a área e Pau Torres tocou de cabeça e marcou 2 a 0, para incredulidade geral do estádio. O silencio que já imperava no Allianz Stadium seguiu.

Só que o Villarreal ainda conseguiria marcar mais um. Eram 46 minutos quando Gerard Moreno partiu em contra-ataque, fez a finta, tocou para o meio e a finalização de Danjuma foi bloqueada por De Ligt com o braço. Pênalti marcado para o Submarino Amarelo, que Arnaut Danjuma cobrou e marcou: 3 a 0.

Mesmo tendo sido melhor a maior parte do jogo, a Juventus sai de campo com um placar de 3 a 0 que não condiz em nada com o jogo. O Villarreal nem liga: aproveitou as chances, venceu e saiu comemorando uma classificação às quartas de final. O campeão da Liga Europa segue em frente. O quarto colocado da Itália fica pelo caminho.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo