Champions League

Inzaghi lamenta expulsão de Sánchez: “O Liverpool sentiu o gol e queria ver o que aconteceria”

Alexis Sánchez foi expulso um minuto depois da Inter abrir o placar, o que prejudicou o jogo do time italiano

O técnico da Internazionale, Simone Inzaghi, fez elogios ao seu time após a eliminação diante do Liverpool, apesar da vitória por 1 a 0 em Anfield. Logo após marcar o gol que abriu o placar, já no segundo tempo, Alexis Sánchez acabou expulso, o que comprometeu a busca do time pelo segundo gol e, consequentemente, levar a partida para a prorrogação. Apesar da expulsão do chileno, o técnico não se arrependeu de tê-lo mantido em campo.

“Certamente há algumas lamentações, mas queríamos chegar às oitavas de final com toda nossa força, competimos contra o Liverpool, que, junto com o Manchester e o Bayern de Munique, são os melhores times da Europa no momento, e nós lutamos contra eles com equilíbrio”, disse Inzaghi à Sky Sport Italia após o jogo.

“Estamos provavelmente pagando o preço pelos 15 minutos finais da primeira partida, porque acho que fizemos dois bons jogos contra um oponente excelente”, analisou ainda o técnico. “Nos primeiros 75 minutos [do primeiro jogo], nós merecemos mais, então sofremos um gol em um escanteio, e nem foi um muito bom, e o segundo gol nos derrubou”.

“Viemos a Anfield para dar o nosso melhor e saímos fortalecidos desse jogo com um time do topo. Durante nosso melhor momento na partida e o pior para eles, Alexis Sánchez foi expulso, foi um péssimo momento”, continuou o treinador da Inter.

É muito comum que Simone Inzaghi tire jogadores com cartões amarelos justamente para evitar que sejam expulsos. Ele optou por deixar Alexis Sánchez em campo e o chileno acabou expulso, mas ele não se arrepende da escolha que fez. “De modo algum, porque naquele momento eu precisava de Sánchez em campo e não iria substituí-lo em uma noite como essa”, respondeu.

Edin Dzeko, Robin Gosens e Felipe Caicedo ficaram no banco e sequer entraram em campo em Anfield e Inzaghi foi questionado sobre isso. “Eu tinha algumas questões físicas, além de estar com 10 jogadores. Hakan Çalhanoglu estava cansado, Dzeko será muito importante em Turim, então tive que fazer outros cálculos. Não estava tentando proteger o 1 a 0, estava tentando manter o equilíbrio no fim, então podíamos conseguir algo em uma bola parada”.

“Lamento por Sánchez, porque o Liverpool sentiu o gol de Lautaro e queria ver o que aconteceria depois disso”, declarou ainda Inzaghi.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo