Champions League

Haller saiu do banco, marcou mais dois gols e, com a virada sobre o Besiktas, o Ajax permanece 100%

Erik ten Hag poupou diversos titulares, mas Haller entrou no segundo tempo e confirmou a liderança do Grupo C para o Ajax

O Ajax continua em sua campanha imparável na Champions League, mesmo quando resolve poupar forças e descansar alguns de seus principais jogadores. O Besiktas faz um torneio decepcionante e, já classificados, os Ajacieden entraram com um time misto na visita à Vodafone Arena. O primeiro tempo seria mais equilibrado e os turcos até saíram em vantagem, mas os holandeses davam sinais de que poderiam reagir e buscaram a vitória na volta do intervalo. O artilheiro Sébastien Haller, mais uma vez, fez a diferença. O centroavante saiu do banco e, com muito oportunismo, construiu o triunfo por 2 a 1 – que sustenta os 100% de aproveitamento dos Ajacieden.

O Besiktas contava com uma equipe renomada o suficiente, graças ao retorno de alguns jogadores que estiveram lesionados em parte da fase de grupos. Miralem Pjanic, Alex Teixeira, Rachid Ghezzal e Cyle Larin estavam entre os mais badalados. Já a novidade no Ajax era André Onana, que voltava a ser titular depois de 297 dias, após cumprir suspensão por doping. Erik ten Hag, no entanto, poupou vários destaques. Dusan Tadic e Steven Berghuis comandavam o setor ofensivo, com David Neres, mas sem Antony ou Sébastien Haller.

Quando a bola rolou, o Besiktas adotou uma postura mais conservadora, defendendo-se no campo de defesa. O Ajax ainda levou um tempo para engrenar, mas logo começou a exercer sua pressão. Porém, as primeiras finalizações dos holandeses não foram tão boas. E os turcos deram um grande aviso aos 11, quando Valentin Rosier acertou a trave com um chute de canhota. Mesmo com chegadas pontuais, os alvinegros puderam abrir o placar aos 20. Noussair Mazraoui bloqueou a bola com o braço na sequência de um escanteio e concedeu um pênalti às Águias. Ghezzal encheu o pé na cobrança e venceu Onana, que até acertou o lado.

O Ajax tentou buscar o empate de imediato, mas esbarrou no goleiro Mert Günok. O arqueiro do Besiktas fez duas boas defesas antes dos 30, preservando a vantagem de sua equipe em tentativas de Tadic e Mohammed Daramy. Do outro lado, porém, Onana também seria testado num tiro desviado de Larin em contra-ataque. Passado o sufoco, o Besiktas até retomou o controle na reta final do primeiro tempo, demonstrando boas doses de confiança. Onana voltaria a ser decisivo aos 42, quando Larin parecia pronto para o crime, mas parou nas pernas do goleiro. Do outro lado, por mais que os Ajacieden tentassem criar, a defesa travava bem os espaços. Daramy, em particular, tinha dificuldades nas conclusões.

Compreensivelmente, o Ajax voltou com mudança para o segundo tempo, botando Haller no lugar de Daramy. E a melhora da equipe seria evidente. Com mais presença de área, os Godenzonen rondavam o gol. Berghuis soltou uma pancada que dificultou a defesa de Günok aos seis, três minutos antes do empate ser assinalado por Haller. Depois de um excelente lançamento de Lisandro Martínez furando as linhas, Nicolás Tagliafico escapou em velocidade e invadiu a área. Quando Günok saía nos pés do lateral, ele rolou para o meio da área e Haller só precisou empurrar à meta vazia. E quase viria o segundo nessa sequência, numa bola que Haller dominou na área e mandou a paulada com pouco ângulo, triscando o travessão.

O Besiktas sentiu o gol e realizou a primeira mudança na sequência, com Can Bozdogan no lugar de Alex Teixeira. Logo depois, Michy Batshuayi substituiu Ghezzal. Todavia, não se notou uma melhora nos turcos. E bastou uma nova brecha para o Ajax virar. Para Haller virar. Aos 24, depois de uma cobrança de falta lateral, Lisandro Martínez recebeu um cruzamento rasante no meio da área, livre. O chute do zagueiro não foi bom, mas Haller estava no caminho da bola e desviou para torná-la indefensável. O tento também dava a artilharia da Champions ao centroavante, igualando os nove gols de Robert Lewandowski.

O jogo se tornou mais morno na sequência, sem que o Besiktas realmente apresentasse uma pressão pelo resultado. O Ajax também poupava energias e administrava o placar, mas ainda assim parecia mais capaz de conseguir o terceiro. Aos 39, depois de uma cobrança de escanteio, Martínez cabeceou e Günok realizou mais uma defesaça, com desvio no meio do caminho. Por fim, nos acréscimos, quase deu para Haller completar sua tripleta. Até balançou as redes, mas o tento acabou anulado por impedimento.

O Ajax chega aos 15 pontos na liderança do Grupo C. Os Godenzonen já estavam classificados e confirmam de vez a primeira colocação. Já o Besiktas permanece zerado. Estava eliminado de antemão na própria Champions, mas agora não tem chances sequer de avançar aos mata-matas da Liga Europa, encerrando uma fraquíssima temporada continental. E a situação na Turquia não é fácil, na nona colocação da Süper Lig, 13 pontos atrás do líder Trabzonspor.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo