Como vários outros confrontos desta reta final da Champions League, Juventus Lyon está muito mais aberto a diferentes resultados do que cerca de cinco meses atrás. A paralisação do futebol criou muitas incertezas, sobretudo quando uma das equipes envolvidas só teve um jogo oficial desde então.

A Juventus pode ter garantido mais um título da Serie A, mas sua fase atual é muito mais irregular do que a glória poderia sugerir. O Lyon, por outro lado, é uma incógnita. No papel, é inferior aos italianos, mas o jogo duro que fez contra o PSG, na semana passada, pela final da Copa da Liga Francesa, pode indicar um adversário indigesto aos italianos neste confronto de oitavas de final.

A ida foi 1 a 0, na , e agora o time de Sarri tenta reverter o resultado em casa, sem torcida. Como é que as equipes vêm e o que podemos esperar?

Como foi o primeiro jogo

O Lyon não vinha de uma temporada muito estável, enquanto a Juventus era muito superior no papel. Em campo, no entanto, as forças se equilibraram e, em sua melhor partida até então em 2019/20, os franceses tiveram um primeiro tempo de alto nível para garantir o 1 a 0, depois apenas bloqueando as tentativas de empate da Juve na segunda etapa.

Bruno Guimarães fazia apenas seu segundo jogo com a camisa do OL e foi um dos destaques, ganhando elogios em toda a imprensa francesa pela maneira como atuou contra um gigante do continente. Houssem Aouar, um dos principais destaques individuais da equipe, jogou à altura da ocasião, protagonizando um lance de habilidade para dar o gol da vitória nos pés de Lucas Tousart.

Além do gol de Tousart, a melhor chance da partida foi também do Lyon, que minutos antes havia acertado o travessão em cabeçada de Karl Toko Ekambi. A Juventus chegou a marcar no segundo tempo, mas Dybala estava em posição de impedimento, e o gol foi inválido.

No fim do duelo, a Juventus saiu reclamando de um suposto lance de , quando Bruno Guimarães derrubou Dybala dentro da área. Porém, com o VAR à disposição, nada foi assinalado, e o resultado ficou mesmo em 1 a 0.

O que aconteceu nos últimos meses

Juventus

Embora tenha garantido seu nono título consecutivo da Serie A, a Juventus vive um momento irregular. A queda de rendimento da Inter pouco antes da paralisação do futebol e, mais tarde, a sequência negativa de resultados da Lazio, que perdeu quatro jogos e empatou um em um intervalo de cinco partidas no começo de julho, foram essenciais para a conquista, especialmente considerando que, em seus últimos oito confrontos, a equipe de Sarri venceu apenas dois, incluindo três derrotas nas quatro rodadas finais.

O reinício da temporada aconteceu com a classificação para a final da Coppa Italia após eliminar o Milan na semifinal. Na decisão, derrota nos pênaltis para o Napoli, depois de partida pouco inspirada. A volta à Serie A foi inicialmente positiva, com uma sequência de quatro vitórias que ajudou a sedimentar a candidatura ao título, mas a derrota por 4 a 2 de virada para o Milan, que viveu grande reta final de campanha, deu início à instabilidade.

Buffon e com o troféu da Serie A 2019/20 (Divulgação/Juventus)

De positivo, a Juventus pode sempre contar com os gols de Ronaldo, e Dybala elevou seu nível desde o retorno, trazendo um toque de magia e imprevisibilidade em partidas em que o trabalho ofensivo da equipe precisava de alguma faísca.

Lyon

O Lyon deu sequência àquele triunfo com uma importante vitória por 2 a 0 em seu clássico local contra o Saint-Étienne. Depois disso, foi amassado pelo PSG por 5 a 1 pela Copa da França e perdeu para o forte Lille, por 1 a 0, em 8 de março, no que seria sua última partida da Ligue 1 antes do fim antecipado da competição.

O OL só voltou a jogar novamente quatro meses depois, disputando cinco amistosos, com vitórias sobre Nice, Celtic, Gent e Royal Antuérpia e uma derrota para o Rangers. Seu primeiro jogo oficial desde março aconteceu apenas na sexta-feira passada, quando ofereceu resistência ao PSG na final da Copa da Liga Francesa e acabou derrotado nos pênaltis depois de um 0 a 0 no tempo regulamentar.

O tipo de atuação que o Lyon pode oferecer contra a Juventus é uma incógnita. O duelo contra os parisienses mostrou uma equipe aguerrida, sólida defensivamente e que impediu o jogo de passes curtos do PSG, forçado a tentar finalizar mais de longa distância. A formação, defensivamente falando, foi parecida com aquela vista contra a Juventus: três zagueiros que ganhavam o reforço dos alas sem a bola, fechando uma linha de defesa de cinco homens.

Depay se recuperou de cirurgia no joelho e estará disponível contra a Juve (Divulgação/Lyon)

A melhor notícia dos últimos meses para os franceses é que agora Memphis Depay e Jeff Reine-Adélaïde, dois de seus melhores jogadores, estão recuperados de lesões de longa duração sofridas na mesma partida, em dezembro de 2019.

Os problemas que surgiram

Juventus

A Juve tem um número relativamente grande de atletas no departamento médico no momento. Douglas Costa, Dybala, De Sciglio e Khedira se recuperam de lesões. O argentino seria o maior desfalque, considerando o grande futebol que tem mostrado desde o reinício da Serie A até sua conclusão. Ainda há esperança para ele, que pode voltar a treinar nesta véspera de jogo. De Ligt sofre um incômodo no ombro que deve levá-lo à mesa de cirurgia ao fim da temporada 2019/20, mas deve jogar no sacrifício.

Lyon

Sem jogadores lesionados, os únicos problemas que o Lyon carrega para esta partida são mesmo a falta de ritmo dos jogadores, sobretudo daqueles que passaram os últimos meses em recuperação de lesões graves no joelho: Memphis Depay e Jeff Reine-Adélaïde. Tendo disputado apenas um jogo oficial desde março, a final da Copa da Liga contra o PSG, o OL pode sentir falta do que poderia ter sido um período de progressão até chegar ao duelo decisivo das oitavas de final da Champions League.

Um cara que vem em alta

Juventus: Paulo Dybala

Dybala, da Juventus (Divulgação/Juventus)

Muita gente contestou a escolha de Paulo Dybala como o MVP da Serie A 2019/20, o que é compreensível, diante de tantos destaques individuais no último Campeonato Italiano. O que ninguém debate é o alto nível do argentino desde o retorno do futebol na Velha Bota.

Nos primeiros quatro jogos da Serie A a partir de seu reinício, Dybala marcou quatro vezes e deu uma assistência, e três desses tentos foram golaços, ressaltando a qualidade que tem não só com a bola nos pés mas também em sua finalizações de média distância.

Lesionado, ele ficou de fora dos últimos dois jogos da equipe na Serie A, mas trabalha forte para estar disponível contra o Lyon. Sua confiança está lá em cima, depois de ter quase deixado o clube no início da temporada, revertendo sua própria sorte e chegando a esta etapa da campanha 2019/20 com 17 gols e 14 assistências em todas as competições.

Lyon: Bruno Guimarães

Bruno Guimarães, do Lyon (Divulgação/Lyon)

Com apenas seis partidas oficiais pelo Lyon, a amostra pode ser pequena, mas Bruno Guimarães provou nesses poucos jogos a grande adição que foi para o elenco lyonnais. Em suas três primeiras partidas, entre elas uma vitória por 2 a 0 no clássico com o Saint-Étienne e o 1 a 0 sobre a própria Juve, o brasileiro foi o melhor em campo, trazendo ao conjunto de Rudi Garcia a estabilidade no meio de campo que tanto faltava.

No único jogo oficial do Lyon desde a paralisação do futebol em março, a final da Copa da Liga contra o PSG na semana passada, Guimarães esteve mais encarregado de tentar anular Neymar, mas podemos esperar que o meio-campista tenha contra a Juve mais chances de demonstrar o maior entrosamento que conseguiu ao longo das últimas semanas de treinos com os companheiros. Se pouquíssimo habituado com os colegas ele já conseguiu ter impacto enorme no jogo do OL, a expectativa é grande para o que ele poderá fazer em Turim.

As chances de sonhar com a Champions

Juventus

Mesmo tendo garantido mais um título da Serie A, a Juventus não chega para esta reta final como uma das favoritas à conquista da Champions League. A equipe de Sarri, até pela inconstância ao longo da atual temporada, se vê um patamar abaixo de clubes como PSG, Manchester City e Bayern de Munique. No entanto, se agarra ao espírito vencedor de Cristiano Ronaldo, um mestre na competição, e ao fato de que estaria a apenas quatro jogos do tão sonhado título para ter alguma esperança.

Lyon

O Lyon é a maior zebra entre as equipes que restaram, e a taça da Champions é um objetivo tão distante quanto é próximo (pelo número de partidas que restam). O empurrão pode vir do fato de que vencer a competição é a única maneira de evitar grandes perdas financeiras pela ausência de torneios continentais na próxima temporada, mas mesmo isso não deve ser suficiente para fazer a equipe passar por um lado da chave claramente mais difícil do que o outro (além de Lyon e Juve, temos Napoli, Barcelona, Chelsea e Bayern de Munique deste lado).

Onde assistir

Juventus x Lyon
Sexta, 7 de agosto, 16h (horário de Brasília)
Facebook Esporte Interativo, EI Plus

VEJA MAIS: Guia da retomada da Champions League: oitavas de final