Champions League

Guia da Champions League 2020/21 – Grupo D: Liverpool, Ajax, Atalanta e Midtjylland

Este conteúdo faz parte do Guia da Champions League 2020/21. Clique aqui e veja mais.

POR QUE ACOMPANHAR

Você gosta de gols? Se a resposta for positiva, este é um grupo obrigatório. Liverpool, Atalanta e Ajax têm vocação ofensiva, o que testará bastante a capacidade de se defender do Midtjylland, melhor ferrolho da Dinamarca. Os duelos entre os times de Jürgen Klopp e Gian Piero Gasperini devem ser especialmente interessantes pela intensidade, jogo coletivo e qualidade no ataque.

De resto, deve ser uma chave com poucas surpresas. O time de Bergamo até tem capacidade de pressionar o Liverpool pelo primeiro lugar, mas a lógica é que os ingleses liderem a chave, seguidos pelos italianos. O Ajax corre por fora para tentar roubar a segunda vaga da Atalanta, e o Midtjylland vai tentar não perder de muito todos os jogos.

TÍTULOS

Liverpool: 6 (1977, 1978, 1981, 1984, 2005 e 2019)

Ajax: 4 (1971, 1972, 1973 e 1995)

RETROSPECTO RECENTE

Liverpool

2019/20: oitavas de final (eliminado pelo Atlético de Madrid)
2018/19: campeão
2017/18: vice-campeão (perdeu para o Real Madrid)
2016/17: não participou
2015/16: não participou

Ajax

2019/20: fase de grupos
2018/19: semifinal (eliminado pelo Tottenham)
2017/18: terceira fase preliminar (eliminado pelo Nice)
2016/17: playoffs (eliminado pelo PAOK)
2015/16: terceira fase preliminar (eliminado pelo Rapid Viena)

Atalanta

2019/20: quartas de final (eliminado pelo Paris Saint-Germain)
2018/19: não participou
2017/18: não participou
2016/17: não participou
2015/16: não participou

Midtjylland

2019/20: não participou
2018/19: segunda fase preliminar (eliminado pelo Astana)
2017/18: não participou
2016/17: não participou
2015/16: terceira fase preliminar (eliminado pelo Apoel)

AMBIÇÃO

Gasperini, técnico da Atalanta

Liverpool

Foram muitos anos longe da Champions League, mas o Liverpool não demorou nada para compensá-los. Chegou à final nas duas primeiras temporadas em que a disputou com Klopp, com um título. A última campanha acabou nas oitavas de final, bem no momento em que o gás começou a ficar escasso, apesar de uma boa apresentação no jogo de volta contra o Atlético de Madrid. Como um dos melhores times da Europa, a ambição dos Reds só pode ser brigar pelo sétimo caneco.

Ajax

Depois das semifinais, eliminando Real Madrid e Juventus, o Ajax não passou de um grupo muito equilibrado, com Chelsea e Valencia, que somaram 11 pontos, um a mais que os holandeses. Agora, sem Donny van de Beek e Hakim Ziyech, e com teoricamente apenas uma vaga mais ou menos em jogo, será bem difícil ficar à frente da Atalanta. Mas não custa tentar.

Atalanta

Foi preciso suar sangue para ficar em segundo lugar na temporada passada. Desta vez, tende a ser um pouco mais tranquilo. Será uma briga direta com o Ajax, e a Atalanta, com trabalho mais sólido e sem perder quase ninguém em relação ao time que chegou às quartas de final, larga com vantagem para se classificar atrás do Liverpool e, quem sabe, até se candidatar à primeira vaga.

Midtjylland

Não apanhar muito? É o time mais fraco do grupo. Nesses casos, ao que pode aspirar é ser o coringa que acaba atrapalhando a vida dos favoritos, arrancando um ponto aqui ou ali dos times que colocam todos os seis contra os dinamarqueses nas suas projeções. A vocação defensiva pode ajudar a travar algumas partidas e deixar os favoritos meio ansiosos.

PONTO FORTE

Van Dijk ficará um bom tempo afastado por lesão no joelho (Foto: CATHERINE IVILL/POOL/AFP via Getty Images/One Football)

Liverpool

Ainda precisamos ver os efeitos práticos da ausência de Virgil Van Dijk, mas o Liverpool tornou-se um time muito versátil. Sabe fazer de tudo: a pressão incessante e as transições implacáveis seguem presentes, agora acompanhadas pela capacidade de cozinhar o jogo, trabalhar a posse, cruzar o gramado com longos passes em diagonais e uma bola parada letal com Trent Alexander-Arnold. O mercado trouxe mais uma dimensão com Thiago para puxar as cordinhas no meio-campo.

Ajax

O Ajax dividia a liderança do Campeonato Holandês com o AZ Alkmaar quando a temporada foi suspensa por causa da pandemia. Ninguém foi campeão. A história dita que o time de Amsterdã provavelmente o seria, mas parecia mais fraco do que na campanha anterior, quando chegou às semifinais da Champions League. Agora, ainda perdeu dois dos seus principais jogadores. O que sempre joga a seu favor é que é um time que sabe exatamente quem é e o que pretende fazer, dentro dos dogmas da escola holandesa e dos ensinamentos de Johan Cruyff. Costuma ser um bom ponto de partida.

Atalanta

Poucos times no mundo sabem atacar como a Atalanta. Foi o melhor sistema ofensivo das duas últimas edições da Serie A. Em 2019/20, bateu na porta dos 100 gols – acabou com 98. Também mostrou sua capacidade de colocar bolas nas redes na Champions League, especialmente contra o Valencia, oito vezes vazado pelo carrossel de Gian Piero Gasperini.

Midtjylland

Para os padrões do Campeonato Dinamarquês, o Midtjylland sabe defender melhor do que os adversários. Levou apenas 14 gols nos 26 jogos da fase inicial – que liderou com folgas – e terminou com 29 tentos sofridos em 36 rodadas. Foi de longe a melhor retaguarda. Os outros times do hexagonal final foram vazados pelo menos 40 vezes.

O CRAQUE

Alejandro Papu Gómez, da Atalanta (FILIPPO MONTEFORTE/AFP via Getty Images/Onefootball)

Liverpool: Sadio Mané

Van Dijk talvez fosse a resposta, mas, com uma séria lesão no joelho, ainda é incerto quando ou se voltará a campo nesta temporada. Roberto Firmino, peça essencial na engrenagem, não está em sua melhor fase. Nesses casos, quando o Liverpool está em apuros, quem tem o mais vasto histórico de assumir a responsabilidade e ser decisivo é Sadio Mané.

Ajax: Dusan Tadic

Tadic destacava-se em um time que tinha Frenkie de Jong, Matthijs de Ligt, Van de Beek e Ziyech. Agora que todos eles foram embora, tem ainda menos concorrência para ser o craque do Ajax. Não colecionou os mesmos números absurdos a temporada anterior – 38 gols e 23 assistências – e nem teve tempo para isso, com a paralisação precoce do campeonato. Mas fez 16 gols e deu 21 passes diretos em 42 partidas. Também bem satisfatório.

Atalanta: Papu Gómez

A saída precoce de Papu Gómez nas quartas de final da Champions League contra o Paris Saint-Germain mostrou, de maneira bem enfática e clara, o quanto ele é importante para o sistema da Atalanta funcionar. É o maestro do meio-campo, o principal garçom, líder de assistências da Serie A, com 16, e ainda começou a nova campanha com faro de artilheiro. Marcou quatro vezes nas quatro primeiras rodadas e deu indícios de que, aos 32 anos, ainda não está pronto para desacelerar.

Midtjylland: Erik Sviatchenko

Se a defesa é o forte do Midtjylland, o coração dela é o zagueiro de 29 anos, Erik Sviatchenko. Capitão do time e presença certa na linha defensiva, a não ser que esteja machucado ou suspenso. E ainda contribui no campo de ataque. Fez seis gols na última temporada, não muito longe do artilheiro do time, o meia brasileiro Evander, com nove.

MISTER CHAMPIONS

Thiago, do Liverpool (Foto: Divulgação)

Liverpool: Thiago

Quase todo o elenco do Liverpool ganhou experiência de Champions League em conjunto nas últimas três temporadas. James Milner, pela passagem com o Manchester City, era o que se destacava. Agora, é Thiago. Com 61 partidas pelo Barcelona e pelo Bayern de Munique, com o bônus de ter sido um dos melhores em campo na última final.

Ajax: Daley Blind

O time do Ajax vai ficando cada vez mais jovem, mas Daley Blind foi um daqueles caras que preferiu ser uma peça importante em um clube grande da Holanda a ficar perambulando em busca de espaço em centros mais ricos. Fez 14 jogos de Champions League pelo time de Amsterdã antes de se transferir ao Manchester United, pelo qual atuou mais 12 vezes na competição. Desde que retornou, foi titular na campanha que terminou nas semifinais e atuou em cinco jogos na fase de grupos da última temporada.

Atalanta: Mario Pasalic

A Atalanta disputa a Champions League apenas pela segunda vez. Ninguém tem muita experiência. Mario Pasalic, 25 anos, ganha da concorrência porque, além de nove jogos na temporada passada, teve uma fase de grupos inteira pelo Spartak Moscou e mais quatro jogos preliminares com a camisa do Monaco.

Midtjylland: Dion Cools

Err….. ninguém? Quem tem seis jogos de Champions League no currículo tem muito. Sviatchenko ainda atuou um pouco mais nas fases preliminares, mas o prêmio fica com Dion Cools porque os seus seis foram pelo menos espalhados em três campanhas diferentes com a camisa do Club Brugge, em uma perfeita e bonita regressão: três em 2016/17, dois em 2018/19 e um em 2019/20.

A CONTRATAÇÃO

Klaassen, do Ajax (Foto: Divulgação)

Liverpool: Diogo Jota

Foi a melhor notícia que Sadio Mané, Mohamed Salah e Roberto Firmino receberam desde que foram notificados do interesse do Liverpool. Agora, não precisam necessariamente atuar em todos os jogos. Diogo Jota tem experiência de Premier League, ainda é jovem, aos 23 anos, e pode atuar em todas as posições do ataque. Será um importante refresco para o trio de ataque e pode inclusive ganhar bastante chance na fase de grupos da Champions League.

Ajax: Davy Klaasen

O bom filho, etc, etc. Klaassen foi o craque do Ajax na chegada à final da Liga Europa. Saiu para o Everton para tentar a sorte na Premier League. Resultado: não estava com muita sorte. Ronald Koeman foi demitido, o clube mudou completamente de direção, e ele acabou indo tentar salvar o Werder Bremen do rebaixamento na Bundesliga. Até conseguiu, mas achou melhor voltar para casa, onde pelo menos conseguirá disputar os títulos nacionais. E, vai saber, talvez beliscar outra grande campanha europeia.

Atalanta: Aleksey Miranchuk

Boa e barata contratação para dar uma inchada em um elenco que sente de falta de qualquer peça que passa algum tempo afastado. Na reta final da Champions League, por exemplo, foi Josip Ilicic, com problemas pessoais. Aleksey Miranchuk pode ser meia-atacante ou até mesmo ponta. Foi formado nas categorias de base do Lokomotiv Moscou e tem experiência de seleção russa. Esteve na Copa do Mundo de 2018, mais como reserva. Por um preço baixo, foi um bom acréscimo à rotação de Gasperini.

Midtjylland: Pione Sisto

Considerando a bola que pode jogar, e que o fez em certos momentos pelo Celta de Vigo, e o nível do futebol dinamarquês, foi uma bela movimentação do Midtjylland. Sisto foi formado no clube, do qual saiu em 2016. Retorna após quatro anos na Espanha.

VOLTAR AO INÍCIO DO GUIA DA CHAMPIONS LEAGUE 2020/21

 

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador detectado

A Trivela é um site independente e que precisa das receitas dos anúncios. Considere nos apoiar em https://apoia.se/trivela para ser um dos financiadores e considere desligar o seu bloqueador. Agradecemos a compreensão.