Champions League

Grupo fácil? Faltou combinar com os franceses: Lyon derruba o City, em Manchester

A análise prévia, aquela em que o risco de erro é sempre alto, apontava que o Manchester City não deveria ter dificuldades em seu grupo da Champions League. Os adversários eram qualificados, mas, pelo futebol que a equipe havia apresentado na última temporada, a classificação e a liderança não pareciam ameaçadas. Faltou combinar com os franceses. O Lyon não apenas segurou o atual campeão inglês, no Etihad Stadium, como venceu por 2 a 1 – e ainda colocou uma bola na trave.

Surgiu no muito pouco confiável The Sun que Guardiola cassou a folga dos seus jogadores, depois da vitória por 3 a 0 sobre o Fulham, porque estava irritado com erros em ações simples, passes que deveriam ser fáceis, passes a mais que não eram necessários. Se for verdade, o elenco do City não pode contar com nenhum tempo livre no futuro próximo: os erros contra o Lyon foram muito piores.

Fernandinho cometeu dois. Errou a saída de bola, recuperada por Nabil Fekir, que tabelou e surgiu na ponta esquerda. O cruzamento buscava Maxwel Cornet, na segunda trave. Fabian Delph ainda teve a chance de cortar, mas furou, e o Lyon abriu o placar. O volante brasileiro foi desarmado por Fekir, que tabelou com Depay, e soltou a perna de fora da área para fazer 2 a 0.

Os erros na saída de bola, na construção do jogo a partir da defesa, o que costuma ser um dos grandes trunfos dos times de Guardiola, assustaram, mas mesmo no ataque o panorama da partida não era de um massacre do time da casa. Chances foram criadas, e Antony Lopes precisou fazer três defesas, nenhuma muito difícil.

Guardiola, suspenso e sentado nas tribunas, viu Mikel Arteta colocar Leroy Sané em campo, pouco depois do intervalo. O City quase levou o terceiro, em uma bola muito bem lançada para Depay, que acertou a trave na sua finalização. Entrou Sergio Agüero no lugar de Jesus. O ponta alemão, que não vem fazendo um bom começo de temporada, fez a festa na defesa francesa pela esquerda e rolou para Bernardo Silva diminuir o prejuízo.

O City aumentou o ritmo e conseguiu abafar nos minutos finais. Parecia capaz de empatar, mas não empatou. Começou a caminhada na fase de grupos com uma derrota, em contraste com a anterior, quando ganhou as cinco primeiras partidas. Os próximos adversários serão Hoffenheim e Shakhtar Donetsk, e a probabilidade de uma liderança inglesa ainda é alta, mas este tropeço não estava na conta.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo