Champions League

Grupo B: Manchester United é o favorito, mas Wolfsburg e PSV batalham por vaga

PSV, Manchester United, Wolfsburg, CSKA Moscou

O cenário esperado

O Manchester United teve sorte em seu retorno à Champions League. Caiu em uma chave nem tão difícil a ponto de atrapalhar demais uma classificação às oitavas de final e nem tão fácil ao ponto de levar o time ao mata-mata sem um verdadeiro teste. Com o elenco que tem, Van Gaal tem condições de terminar primeiro, e este é o cenário mais provável. Pela campanha que teve na última Bundesliga e pela maneira como reajustou o time para 2015/16, o Wolfsburg deve ficar com a segunda vaga. PSV corre por fora, e o CSKA Moscou precisará mostrar muito mais do que mostrou no último russão para não ficar na lanterna da chave.

O cenário possível

O Wolfsburg pode ter o segundo elenco mais forte da chave, mas a inexperiência na Champions League pode acabar pesando para os lobos. Esta será apenas a segunda participação do time na competição, e, aproveitando-se disso, não é impossível imaginar o PSV tomando dos alemães o segundo lugar e se classificando ao lado do Manchester United para as oitavas de final.

Jogador-chave

Depay

Após uma série de contratações de bons jogadores, o Manchester United conta com um elenco mais profundo em relação ao da temporada passada, mas nenhum dos jogadores destoou positivamente com regularidade. Quando conseguiu fazê-lo, no entanto, Memphis Depay foi o de futebol mais interessante nos Red Devils. O holandês acabou com o Brugge no jogo de ida dos playoffs da Champions League, marcando dois golaços e levando perigo constante ao goleiro. Sua inspiração naquela noite tornou o ataque do United muito mais contundente do que em todos seus outros jogos neste início de temporada.

Fique de olho

Wolfsburg se reconstruindo

A partir da última temporada de Heynckes no comando do Bayern de Munique e da chegada de Guardiola ao comando dos bávaros, desafiar a supremacia da equipe na Bundesliga virou apenas sonho distante para os outros times da competição. Ciente disso, o Wolfsburg poderia muito bem considerar sua campanha no Alemão 2014/15 um título alternativo. O time apresentou um futebol vistoso, ofensivo, contando com grandes atuações de diversos atletas, como Rodríguez, De Bruyne e Bas Dost. Melhor dos três, o meio-campista belga deixou o time rumo ao Manchester City, e os lobos tentam se reconstruir.

Valerá a pena acompanhar como os comandados de Dieter Heckin se saírão em um grupo para eles relativamente complicado. Vários bons jogadores reforçaram a equipe, como Draxler, Kruse e Dante, e o início de temporada não tem sido decepcionante, com o clube ocupando a terceira colocação da Bundesliga, atrás apenas dos 100% Bayern e Dortmund.

O brasileiro

Naldo

Único brasileiro presente na seleção da temporada da Bundesliga 2014/15, Naldo teve um ano de destaque no Wolfsburg e é o principal nome defensivo dos lobos. Terá agora a companhia de Dante, que, tentando reconquistar o respeito que tinha na Alemanha até a Copa de 2014, pode fortalecer ainda mais seu jogo. Como se não bastasse as boas atuações defensivas, Naldo ainda é uma importante arma no ataque, com seu chute potente e o bom desempenho pelo alto, em jogadas de bola levantada na área. No Alemão 2014/15, fez seis gols na campanha de vice-campeão do Wolfsburg.

A contratação

Draxler

Após acertar com o Schalke 04, Julian Draxler explicou que um dos motivos pelos quais deixou o time de Gelsenkirchen foi a enorme pressão que sofria para que se tornasse uma grande estrela e carregasse a equipe. Agora no Wolfsburg, o problema do garoto de 21 anos não foi completamente sanado, afinal ainda há expectativa na Alemanha para que ele se torne um grande jogador, e o valor despendido pelos lobos para assegurar sua contratação foi alto (aproximadamente € 36 milhões). Além disso, Draxler foi contratado para substituir De Bruyne, ninguém menos que o melhor jogador do Wolfsburg na temporada passada, então a expectativa para que desenvolva seu futebol na nova equipe será tão grande quanto na anterior.

Na história

PSV campeão de 1988

A cada temporada, o leque de clubes que de fato disputam o título da Champions League tem se tornado cada vez mais limitado, mas houve um tempo em que a briga era realmente aberta, e o PSV Eindhoven foi um dos clubes a aproveitá-lo e fazer história. Em 1988, os holandeses conquistaram seu único título de Copa dos Campeões, derrotando o Benfica, nos pênaltis, após um empate em 0 a 0 no tempo normal. A campanha, aliás, não foi de tanto destaque, e o time chegou ao título com cinco empates em seus últimos cinco jogos. O truque foi conseguir marcar na casa dos adversários, Bordeaux e Real Madrid, nas duas fases prévias à final, e segurar empates sem gols em casa. No entanto, a equipe contava com alguns nomes conhecidos, como Van Breukelen, goleiro titular da Holanda campeã da Euro de 1988, Ronald Koeman e Eric Gerets, integrante da Bélgica quarta colocada da Copa de 1986.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo