Champions League

Graças a Ibra, praça principal de Malmö será ilha de celebração em meio a uma Europa com medo

Junto com a paixão por si próprio e pelo caminho que trilhou, Ibrahimovic carrega consigo muito carinho por suas origens. O craque reconhece a importância do ambiente em que cresceu para a formação do indivíduo que é hoje e, mesmo 14 anos após deixar o Malmö, gosta de nutrir sua relação com o clube, os torcedores e a cidade. E isso explica em parte o esquema organizado pelo atacante para que os habitantes do local pudessem acompanhar seu retorno ao local para a partida entre Malmö e Paris Saint-Germain, nesta quarta-feira, pela quinta rodada da fase de grupos da Champions League.

VEJA TAMBÉM: Definição nos grupos da Champions e final da Copa do Brasil são destaques da TV

Como havia anunciado em setembro, Ibrahimovic programou uma grande festa na principal praça de Malmö para que o maior número de torcedores pudesse assistir ao encontro entre sua atual equipe e o time que o lançou para o futebol. Mais de dez mil pessoas são esperadas no local, que terá um telão que exibirá a partida ao vivo. E Ibra fez questão de participar de todo o planejamento da celebração.

Em entrevista ao site da Uefa, o craque explicou a decisão de exibir a partida em um telão: “Fiz isso logo após o sorteio, quando descobri que jogaríamos contra o Malmö. O Malmö tem um estádio pequeno, não em termos suecos, mas nos padrões internacionais nos quais estou acostumado a jogar, e se o estádio do Malmö fosse cinco vezes maior, ainda assim conseguiríamos enchê-lo. Queremos colocar toda a Malmö dentro, mas não dá para todos entrarem, e eu quero dar a todos uma chance de ver o jogo. Será um telão na praça, em que todo mundo terá uma chance de ver a partida ao vivo. Também temos algumas surpresas reservadas. Será um momento especial”.

Antes da partida, uma série de músicos suecos, como Jonathan Johansson, Alina Devecerski e o DJ MTRN, se apresentará para o público. “Queremos produzir uma introdução atmosférica, com discursos e músicas que toquem e engajem as pessoas, considerando o turbilhão em que o mundo está”, afirmou Attila Juhasz, gerente de eventos responsável pela organização do encontro na praça.

Ibrahimovic não apenas pensou todo o evento como tirou do próprio bolso o investimento para bancar o aluguel e a colocação do telão, assim como a taxa pelos direitos de exibição da partida no local. “Tem que ser algo pessoal, como algo que eu planejei. Não quero que pareça que outra pessoa está usando meu nome para atrair pessoas para lá. É um presente meu. Reservei a praça, fiz todo o planejamento. Tudo que acontecerá durante o dia, e posso te dizer que muitas coisas acontecerão, tudo planejado por mim. Fui ajudado pela prefeitura, mas isso é pessoalmente arranjado por mim, por isso é tão especial”, contou o jogador, que recentemente ajudou a seleção sueca a alcançar uma vaga na Eurocopa do ano que vem.

Como maior parte dos jogos da seleção acontecem em Estocolmo, Ibra não teve muitas oportunidades de voltar a Malmö para jogar, e também por isso quis criar algo especial para a ocasião. “Eles sempre fazem eu me sentir bem-vindo. Não tivemos muitas chances de juntar a seleção em Malmö porque estávamos baseados em Estocolmo, mas as vezes em que estive em Malmö com a seleção foram ótimas”, relembra o atacante.

Como ressaltou o gerente de eventos responsável por coordenar a festa, o encontro na praça ganhou um significado ainda maior após os ataques terroristas em Paris que instauraram medo na Europa. A Bélgica, por exemplo, vive uma semana conturbada, com Bruxelas em estado de alerta e poucas pessoas nas ruas, enquanto as forças armadas buscam suspeitos dos atentados na França. Em meio a todo esse clima, o povo sueco conseguiu encontrar um motivo para tomar as ruas e sorrir. E graças a uma intervenção pessoal de seu maior ídolo. Ibrahimovic já alcançou um estado de semideus entre seus conterrâneos e segue a cartilha, tanto nas palavras quanto nas açõe, para manter a justa adoração.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo