Champions League

Gol qualificado na prorrogação é injusto e a Uefa deveria ter acabado com isso faz tempo

Stamford Bridge recebeu o jogo mais emocionante desta Liga dos Campeões. Chelsea e Paris Saint-Germain fizeram uma partidaça, especialmente a partir do segundo tempo. Mas, no final das contas, pareceu que faltou alguma coisa. A vitória do PSG pode até ser merecida, ainda mais depois da intragável expulsão de Ibrahimovic. Entretanto, diante de dois empates no tempo normal (contando o duelo de Paris) e de mais um na prorrogação, a decisão poderia muito bem ter ido para os pênaltis. Algo que não aconteceu, pela regra injusta da Uefa que qualifica também os gols no tempo extra.

LEIA MAIS: PSG prova que é possível eliminar um time como o Chelsea usando o fígado

O gol qualificado tem a sua serventia. Diminui as chances de pênaltis e premia os times que buscam mais o ataque fora de casa. Mas dar pesos diferentes também aos tentos na prorrogação é uma imbecilidade sem tamanho. Afinal, a igualdade prevaleceu nos dois jogos de 90 minutos. Como o próprio nome diz, os 30 minutos adicionados são tempo extra. O que acaba acontecendo é que o mandante do segundo jogo, em teoria com a vantagem de decidir em casa, acaba prejudicado. O visitante tem 120 minutos para anotar os gols qualificados, ao invés de apenas 90. Reclamar sobre isso não seria apenas “choro” de Mourinho, e sim algo pertinente.

O PSG, que sequer foi o melhor de seu grupo na primeira fase, acabou com uma vantagem maior no final das contas. E o gol de Thiago Silva na prorrogação decidiu a sua classificação. Até uma ironia para o clube que, nas duas últimas temporadas, acabou eliminado na Champions pelos gols qualificados – ainda que no tempo normal, contra o Barcelona e o próprio Chelsea.

LEIA MAIS: No segundo choro de Thiago Silva, caíram as lágrimas redentoras do herói da classificação

A solução para a questão é simples. Basta zerar o placar na prorrogação. Se der empate, como foi o 1 a 1 em Londres, a decisão segue para os pênaltis. Ou eliminar de vez o tempo extra, como a Libertadores faz. Acreditem: em pelo menos alguma coisa a Conmebol pode se gabar de ser mais justa que a Uefa. Por mais que o PSG mereça a classificação, ela poderia ser ainda mais incontestável.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo