Champions League

Gasperini: “Não estou surpreso com a eliminação da Juve, por vezes há muita presunção”

A eliminação da Juventus na Champions League tem um quê de simbolismo. Num momento em que o presidente Andrea Agnelli é um dos principais líderes do projeto de uma “Superliga Europeia”, a Velha Senhora é despachada por um adversário que provavelmente não integraria a elite planejada pelos cartolas. Já tinha acontecido anteriormente, contra Lyon e Ajax. Agora, o Porto se tornou responsável por encerrar o sonho europeu dos juventinos logo nas oitavas de final, com méritos expressos nos dois jogos.

Quem também comentou o fracasso da Juventus foi o técnico Gian Piero Gasperini. Agnelli chegou a menosprezar o sucesso recente da Atalanta, questionando se os nerazzurri deveriam ter tanto espaço na Champions “por falta de história” nas competições continentais. Porém, pelo segundo ano consecutivo, a Dea pode ser o melhor representante italiano na competição. Desta forma, Gasp deu uma resposta à altura sobre a falta de humildade entre os juventinos.

“Não estou surpreso com a eliminação da Juventus. Existem times fortes na Europa. O Porto conhece futebol e sabe contratar jogadores. Algumas vezes, há muita presunção em se considerar apenas o nome do time”, comentou o treinador, durante conferência de imprensa nesta quinta-feira, indicando que muitas vezes se olha mais ao emblema no peito do que ao futebol apresentado em campo.

Apesar disso, Gasperini não gosta da ideia de ver apenas a Atalanta viva no torneio, já que isso também corresponde a um enfraquecimento do futebol italiano na competição: “Não gosto de pensar que a Atalanta é o melhor italiano na Europa, porque isso significa que outros foram mal. Há também a Liga Europa, para o futebol italiano seria ótimo levar mais times adiante”. Além da Juventus, a Internazionale já foi eliminada, e a situação da Lazio é bem difícil contra o Bayern.

A Atalanta também não tem vida garantida, ao perder a ida contra o Real Madrid e depender de uma reviravolta na visita à Espanha: “O Real Madrid é uma equipe de alto nível, são jogos de risco em que você pode se ferir. Mas é nosso caminho, tudo vai bem com aquele que é efetivo. Eu, pessoalmente, tento seguir uma estrada próxima de minhas ideias. A partida em Madri será apertada, o adversário é de grande valor”.

Questionado sobre o possível ‘fim da era’ de Cristiano Ronaldo e Lionel Messi no torneio, Gasperini preferiu exaltar os gênios: “É uma competição muito difícil e fantástica entre Messi e Ronaldo. Vamos torcer para que eles continuem pelo maior tempo possível, mas eventualmente eles irão se aposentar. Depois, há Mbappé, Haaland… Mas a Champions é a expressão de um time, não só de jogadores”.

Por fim, Gasp ainda falou sobre a estratégia da Dea no mercado e a evolução da equipe com novas peças: “Somos a Atalanta, não podemos pensar em gastar 80 milhões em um jogador. A Atalanta tem seu nível, mas vamos lembrar que estamos numa pandemia, a direção lida com a crise. Precisamos ter nossos alvos, mas tudo de acordo com as nossas possibilidades. Romero, Pessina e Maehle dão contribuições importantes, o dinheiro ajuda, mas não podemos ultrapassar os limites. Temos que seguir nosso caminho, o time vem melhorando. A sensação é que parecemos fortes se comparados com a Inter, isso é uma grande motivação”. A Atalanta encara o Spezia nesta sexta-feira, antes da viagem a Madri. A equipe ocupa a quinta colocação na Serie A, a um ponto de entrar no G-4.

[embedcode get="script" playlist_id="match"]
Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo