Champions League

Fatal diante dos erros do Barça, o PSG mostrou que pode encarar qualquer um

Há duas temporadas, Paris Saint-Germain e Barcelona se cruzaram nas quartas de final da Champions League. Era um teste de fogo para os parisienses. Mas, apesar das boas atuações dos franceses nas duas partidas, prevaleceu a fase infernal de Lionel Messi, que ajudou os blaugranas a se classificarem com dois empates. Neste ano, as equipes voltam a se enfrentar pela fase de grupos da LC. Não é o mesmo Barça, não são partidas tão decisivas quanto aquelas. Ainda assim, o PSG comprovou sua evolução. Venceu com autoridade no Parc des Princes por 3 a 2, em uma excelente partida. Mostrou que possui forças para ir além das quartas.

O Barcelona teve uma boa atuação em Paris. Nada suficiente, contudo, para superar o Paris Saint-Germain. Os anfitriões conseguiram fechar muito bem o meio-campo e se aproveitaram das fraquezas já conhecidas dos catalães. A bola parada foi uma tormenta para o time de Luis Enrique, assim como os contra-ataques incomodaram no segundo tempo. Por mais que Messi e Neymar chamassem a responsabilidade, a solidez do time de Laurent Blanc foi decisiva.

Por mais que Zlatan Ibrahimovic carregue o PSG em muitos momentos, os franceses não sentiram falta alguma de seu craque no Parc des Princes. Afinal, a linha ofensiva chamou muito mais a responsabilidade do que costuma. Lucas abriu rombos pela ponta esquerda, Edinson Cavani teve excelente movimentação e Pastore orquestrou as ações ofensivas. Tudo perfeito para que Matuidi e Verratti também tivessem brechas para aparecer. Desprotegida pelo meio-campo e lenta demais, a defesa do Barça ruiu.

O primeiro sinal de que não seria uma boa noite para os espanhóis veio logo aos dez minutos. A bola parada, sempre ela, permitiu que David Luiz abrisse o placar. Para a sorte do Barcelona, os parisienses se empolgaram demais com o gol e se desligaram na marcação. Algo fatal diante da troca rápida de passes dos blaugranas. Iniesta subiu pela ponta esquerda e Messi não perdoou, lembrando os velhos tempos.

France Soccer Champions League

Por mais que o Barcelona pressionasse, o PSG estava bastante compacto na marcação. Thiago Motta liderava o setor, excelente na cobertura. Sobrava pouco espaço para Messi, vindo buscar bastante o jogo, e Iniesta, em uma de suas melhores atuações na temporada. E quando os espanhóis eram melhores, outra falha defensiva deu a vantagem aos anfitriões. Ter Stegen, longe de fazer uma partida brilhante, deu a brecha para Verratti marcar.

A marcação adiantada do Barça pouco adiantava diante da segurança do Paris Saint-Germain na saída de bola. Os franceses tinham grandes espaços pelos lados e abusavam da velocidade. Para matar o jogo na volta do intervalo. Partindo para o sufoco, o PSG anotou o terceiro tento com Matuidi. Outra vez, a bola cruzava a área do time de Luis Enrique sem que ninguém cortasse.

Mesmo com Neymar diminuindo a diferença logo na sequência, em um chute cruzado, os parisienses mantiveram o controle do jogo. Segurança para se fechar cada vez mais e buscar o quarto tento nos contra-ataques. Enquanto isso, Luis Enrique foi pouco conservador nas substituições. Chegou mesmo a colocar Sandro Ramírez na vaga de Daniel Alves, um ponta no lugar do lateral. Neymar aparecia mais no jogo, buscando o arremate. O problema era ter a chance de finalizar. O time da casa conseguia bloquear bem as tentativas, especialmente com Marquinhos, em uma ótima partida ao lado de David Luiz.

A vitória no Parc des Princes é importante para os rumos do Grupo F, ainda mais depois do empate do Paris Saint-Germain na estreia, contra o Ajax. Terminar na primeira posição da chave não seria nada mal, mas a equipe de Laurent Blanc precisa correr atrás do prejuízo. No entanto, mais notável ainda é o peso que essa vitória tem. O PSG derrubou um clube de tradição na Champions, algo que conta para as pretensões dos franceses no cenário europeu. Se a temporada não tinha começado tão bem, a vitória dá uma injeção de ânimo para aquela que é a grande pretensão desde que o dinheiro começou a jorrar em Paris.

Formações iniciais

PSGxBarcelona

Destaque do jogo

Thiago Motta. Se o Barcelona teve dificuldades para criar na faixa central do campo, foi por conta da excelente atuação do ítalo-brasileiro à frente da zaga. O volante vestiu a braçadeira e se encarregou da liderança do time. Foram oito desarmes e quatro interceptações, excelente na proteção, e também o principal distribuidor de jogo dos franceses na saída de bola. Além disso, ainda fez o cruzamento para Verratti marcar o segundo gol.

Momento chave

O carrinho de Marquinhos, aos 37 minutos do segundo tempo. Jordi Alba está em excelente posição dentro da área, pronto para buscar o empate. Porém, o zagueiro brasileiro se jogou na frente da bola e bloqueou o chute. Vibrou como se fosse um gol.

Os gols

10’/1T – GOL DO PARIS SAINT-GERMAIN! Cobrança de falta lateral. Lucas levanta a bola na área e, marcado por Mascherano, David Luiz tem tempo para dominar dentro da área e chutar no contrapé de Ter Stegen.

12’/1T – GOL DO BARCELONA! Os parisienses se empolgaram demais com o tento. Uma excelente troca de passes de primeira dos blaugranas termina com Iniesta passando para Messi dentro da área e o camisa 10 finalizando no canto, sem chances para Sirigu.

26’/1T –GOL DO PARIS SAINT-GERMAIN! Após escanteio cobrado Thiago Motta, Ter Stegen sai muito mal do gol. A bola atravessa a área e, no segundo pau, o baixinho Verratti completa de cabeça do alto de seu 1,65m.

8’/2T – GOL DO PARIS SAINT-GERMAIN! Van der Wiel chegou à linha de fundo e cruzou rasteiro. A bola atravessou a área do Barcelona sem que ninguém tocasse e Matuidi apareceu livre para completar de chapa.

10’/2T – GOLDO BARCELONA! Do outro lado, foi Daniel Alves quem cruzou para a área. Messi disputou pelo alto e a bola parou para Neymar. O brasileiro aproveitou o cochilo de Van der Wiel na marcação e chutou cruzado.

Curiosidade

143 jogos. Com essa marca, Xavi se tornou o recordista isolado da Liga dos Campeões, superando Raúl. Casillas, no entanto, está em seu encalço, com 140 partidas.

Ficha técnica

Paris Saint-Germain 3×2 Barcelona

Local: Parc des Princes, em Paris (FRA)
Árbitro: Nicola Rizzoli (ITA)
Gols: David Luiz, 10’/1T; Messi, 12’/2T; Verratti, 26’/1T; Matuidi, 8’/2T; Neymar, 10’/2T
Cartões amarelos: Matuidi, Van der Wiel e Verratti (Paris Saint-Germain); Daniel Alves (Barcelona)
Cartões vermelhos: Nenhum

Paris Saint-Germain
Salvatore Sirigu, Gregory van der Wiel, Marquinhos, David Luiz e Maxwell; Thiago Motta, Marco Verratti (Yohan Cabaye, 25’/2T) e Blaise Matuidi; Javier Pastore (Clément Chantôme, 41’/2T); Lucas (Jean-Christoph Bahebeck, 45’/2T) e Edinson Cavani. Técnico: Laurent Blanc.

Barcelona
Marc-Andre ter Stegen, Daniel Alves (Sandro Ramírez, 38’/2T), Javier Mascherano, Jérémy Mathieu e Jordi Alba; Sergio Busquets, Ivan Rakitic (Xavi, 24’/2T) e Andrés Iniesta; Pedro (Munir El Haddadi, 17’/2T), Lionel Messi e Neymar. Técnico: Luis Enrique.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo