Champions League

Em sua cidade natal e contra o antigo rival, Bernardo Silva teve um gosto especial por arrebentar o Sporting

Eleito o melhor em campo, Bernardo Silva fez toda a sua formação na base do Benfica, além de ser filho de mãe sportinguista e pai benfiquista

O Manchester City beirou a perfeição no Estádio José Alvalade nesta terça-feira de Champions League, com os 5 a 0 sobre o Sporting O primeiro tempo, sobretudo, viu os celestes balançarem as redes a cada chegada ao ataque. Não era preciso atuar em máxima intensidade, nem contar necessariamente com as debilidades do adversário, que tudo fluía favoravelmente aos Citizens. E se uma atuação coletiva tão boa rende vários destaques na noite, o nome de Bernardo Silva merece uma menção especial. Em sua cidade natal e contra os antigos rivais, o meia exibia um gosto especial pela ocasião. Marcou dois gols, incluindo um golaço, e teve outro tento anulado. Apareceu, criou, provocou a torcida e conseguiu se sobressair dentro de um jogo em que tantos brilharam.

Bernardo Silva possui raízes profundas no Benfica. O meia começou nas categorias de base do clube quando tinha oito anos de idade e fez toda a sua formação com os encarnados. Sua venda precoce para o Monaco permitiu que disputasse apenas três partidas com a equipe principal benfiquista. A sensação de encarar o rival Sporting era algo que nunca tinha experimentado em sua carreira profissional. Até por isso, a viagem a Lisboa com o Manchester City parecia representar tanto.

A importância de Bernardo Silva ao City dispensa apresentações. São cinco temporadas em alto nível com o clube. O meio-campista vive grande momento, mesmo que não balançasse as redes desde o início de janeiro. A qualidade do camisa 20 se sobressai pela capacidade na criação e pela forma como ele ajuda a engrenagem celeste a funcionar. Contra o Sporting, no entanto, Bernardo tirou a noite para apresentar o máximo de sua voracidade e precisão diante da meta adversária. Os leoninos sofreram.

O primeiro gol de Bernardo Silva é espetacular. Numa bola que sobrava viva na área, o meia finalizou de uma posição difícil, para marcar um golaço. O foguete saiu sem escalas rumo à meta, com uma beliscada na trave para tornar tudo mais explosivo. Naquele momento, com os dois gols de vantagem, o City parecia encaminhar a vitória. Contava com um domínio absurdo e com o pleno entendimento de seus jogadores pelo lado esquerdo, onde Bernardo se combinava com João Cancelo e Raheem Sterling. Tudo parecia mais fácil com a fluidez garantida pelos ingleses.

Bernardo Silva, do City (PATRICIA DE MELO MOREIRA/AFP via Getty Images/One Football)

Antes que o intervalo chegasse, Bernardo Silva marcou mais um, o quarto de sua equipe. Num lance muito veloz, aproveitou a jogada preparada por Sterling para fuzilar. E o português não se mostrava satisfeito. Na volta para o segundo tempo, estava pronto para completar sua tripleta, mas o tento de cabeça acabou anulado por um impedimento mínimo. Seria dele, então, o passe para Sterling fechar a conta com um petardo de fora da área, na gaveta. Se tudo dava tão certo ao City, o camisa 20 parecia disposto a fazer acontecer. Depois, ainda atuaria por um tempo como falso 9, após a saída de Phil Foden.

E um deleite à parte para o benfiquista Bernardo Silva certamente veio nas provocações junto às arquibancadas do Sporting. Na comemoração de um dos gols, mostrou que “ele estava aqui”, repetindo o famoso gesto do sportinguista Cristiano Ronaldo. Já nos minutos finais, quando o meia foi substituído, o Alvalade dedicou sonoras vaias. Era o que restava para enfatizar ao jogador da seleção que não era querido naquele ambiente. Era a prova cabal que Bernardo precisava para concluir sua partidaça na casa rival.

“Foi uma atuação muito boa. Honestamente, acho que o primeiro tempo não foi bom o suficiente para terminar em 4 a 0. Em alguns momentos estivemos um pouco desligados, mas fomos cirúrgicos para marcar os gols sem tantas chances. Vencer por 5 a 0 fora é um bom resultado. Sou português, do outro lado da cidade. Minha mãe é Sporting, meu pai é Benfica. Foi especial marcar aqui na minha cidade natal”, comentou Bernardo, na saída do estádio.

O prêmio de melhor jogador em campo estaria em ótimas mãos, entregue ao próprio Bernardo Silva. E o troféu não teria significado maior a qualquer outro atleta, pelo momento que o meia pôde experimentar no Alvalade. Certamente sua volta ao Campeonato Português, ao Benfica, será esperada no futuro. Tamanha inspiração nas oitavas de final da Champions não deixa muitas dúvidas sobre como seria um prazer atuar novamente em Lisboa. Os sportinguistas é que não desejam muito vê-lo pela frente, embora o reencontro em Manchester já tenha data marcada.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo