A derrota do Lyon para o Bayern de Munique na semifinal da Champions League foi muito dolorida. O time fez um bom começo de jogo e criou chances no começo do jogo, mas não aproveitou. Depois, tomou dois gols de Serge Gnabry e, com uma desvantagem tão grande, a ladeira ficou íngreme demais para subir. Jogadores, comissão técnica e diretoria do lamentaram as oportunidades perdidas.

“Nós poderíamos ter feito melhor, nós poderíamos ter feito gols, eu o primeiro”, disse Karl Toko Ekambi à RMC Sport depois do jogo. “Não deu certo para nós esta noite, perdemos algumas oportunidades e enfrentamos um grande goleiro”.

“Eu não acho que eles são imbatíveis”, afirmou Toko Ekambi. “Nós sabíamos que eles eram um grande time antes do jogo e nós sabíamos que nós tínhamos que jogar ao nosso máximo para ganhar esta partida, mas não fomos capazes de fazer isso”, analisou o atacante do Lyon. “Algumas vezes você consegue, outras vezes não”, continuou. “Hoje à noite, nós não fizemos as coisas que precisávamos fazer para vencer esta partida”.

“Eu não acho que podemos lamentar pelo modo como jogamos nos primeiros 15 minutos, porque nós criamos duas grandes chances. Nós poderíamos ter feito 2 a 0. Nestas partidas de alto nível, você paga por não aproveitar suas chances”, afirmou o goleiro do Lyon, , à RMC Sport. “Nos faltou ter eficiência em frente ao gol”, afirmou ao Polsat. “Eu estou orgulhoso do nosso time, nós encaramos uma grande equipe e jogamos no mesmo nível”.

O técnico do Lyon, , também lamentou o “placar muito duro” e que não ter aproveitado as chances acabou pesando contra o time. “Mesmo que possamos estar orgulhosos da nossa campanha e nossa partida hoje, é uma decepção, antes de tudo”, disse o treinador.

“Nós realmente queríamos estar na final, nós acreditamos nisso e acredito que estávamos bem, a partida demonstrou isso. Fazer 1 a 0 teria sido diferente, mesmo se tivéssemos feito 2 a 1. Eu acho que eles estão felizes por terem nos vencido, mesmo que eles fossem completamente favoritos”, declarou ainda Garcia.

“Nos faltou sucesso no início da partida porque nós tivemos as duas maiores chances. Nós deveríamos estar à frente, mas saímos atrás por um lance de gênio de Gnabry”, continuou o técnico do Lyon. “Há um sentimento de injustiça que pesa sobre nós um pouco, nós sofremos um gol depois de entregarmos a bola para eles e com 2 a 0 ficou muito difícil”.

O diretor esportivo do Lyon, o brasileiro Juninho, também ressaltou a postura do time. “Nós todos estamos tristes, não é fácil. Nós saímos com a cabeça erguida, eu estou orgulhoso dos jogadores e da comissão técnica. Nós mantivemos o nosso plano de jogo, mas para vencer um time assim, você precisa de muita eficiência. Nós estamos tristes porque não estaremos na próxima Champions League. Eu desejo boa sorte ao Paris, para mostrar que a Ligue 1 não é o que todo mundo pensa”, disse o brasileiro.

“Nós começamos bem, com duas ou três chances, nós tínhamos que fazer ao menos uma. Depois disso, foi muito rápido do outro lado. Eles têm jogadores campeões do mundo, Lewandowski… Nós fizemos o que foi necessário, agora nós temos que continuar a trabalhar, imediatamente, na Ligue 1. Faltou energia coletiva ao grupo no começo e se nós continuamos assim, nós voltaremos rápido [à Champions]. Haverá saídas, como Aouar, Moussa [Dembelé], mas eu não estou preocupado. O objetivo é voltar à Champions League na próxima temporada”, explicou Juninho.