Champions League

É para isso que ele veio: Lukaku quebrou o impasse contra o Zenit e decidiu a vitória do Chelsea

Com uma cabeçada certeira aos 24 minutos do segundo tempo, o atacante belga marcou o único gol da partida

A contratação de Romelu Lukaku pelo Chelsea era importante não apenas porque se trata de um dos melhores jogadores do mundo, mas também porque suas características dariam ao campeão europeu uma saída de certas situações. Como a desta terça-feira, na estreia da fase de grupos da Champions League contra o Zenit, em Stamford Bridge. O belga marcou o único gol da vitória por 1 a 0.

A principal fraqueza do Chelsea com Tuchel na temporada passada era o setor ofensivo. Ele havia arrumado muito bem a retaguarda, mas ainda faltavam alternativas para furar defesas fechadas, mesmo dominando a posse de bola. Houve partidas em que o impasse se manteve, e o que Lukaku mais oferece a um time é a capacidade de quebrá-los, com a sua inteligência para se posicionar, força física para ganhar espaço e finalização das mais precisas.

Impasses como o deste jogo contra o Zenit. O Chelsea teve o domínio, 66% de posse de bola, mas não acertou um chute no alvo no primeiro tempo. Os russos se fecharam muito bem e ameaçaram um pouco no contra-ataque, mesmo sem chances escancaradas de abrir o placar. Era um jogo de paciência ao Chelsea para encontrar o momento certo da investida. De concentração para não vacilar no outro lado do gramado.

Os ingleses voltaram mais agressivos do intervalo. Ziyech exigiu defesa de Kritsyuk logo aos dois minutos. Rüdiger deu uma arrancada fantástica e bateu para fora com perigo. Lukaku apareceu na primeira trave para desviar o cruzamento de Alonso, mas estava bem marcado. Enquanto isso, Rüdiger fez o bloqueio na hora certa para impedir a chegada de Azmoun em contra-ataque e, aos 24 minutos, saiu o gol.

Houve muito mérito do cruzamento de Azpilicueta, pela direita da intermediária, mas, principalmente, de Lukaku, que se movimentou nas costas da marcação, subiu na segunda trave no tempo certo e cabeceou no canto com muita precisão. O gol deu muito mais tranquilidade ao Chelsea, mas o Zenit chegou perto do empate, aos 35 minutos, quando Azmoun cruzou da direita e Dzyuba, cara a cara com Mendy, desviou com a ponta da chuteira. Sem direcionar a bola, mandou para fora.

Foi uma estreia normal para o Chelsea. O Zenit marcou muito bem e dificultou a vida de um ataque que ainda não é tão fluente. Mas, agora, conta com Lukaku, que consegue fazer as coisas acontecerem e garantiu a primeira vitória dos Blues nesta defesa do título europeu.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo