A estreia do Barcelona na Champions League 2020/21 foi para o torcedor não colocar defeito. Em casa, os blaugranas venceram o Ferencváros, da Hungria, por 5 a 1. O foi tranquilo e contou, como quase sempre nas vitórias do time, com uma boa atuação de Lionel . Mais do que isso, também teve gols de cinco jogadores diferentes, entre eles Philippe , que vive um bom início de temporada, Ansu Fati, que parece ter ganhado um lugar no time, e também de Pedri e , reservas que entraram bem na partida para definir o jogo.

LEIA MAIS: Grupo a grupo, este é o Guia Trivela da Champions League 2020/21

O técnico Koeman deixou Antoine Griezmann no banco, algo que já parecia iminente diante das suas más atuações nas últimas partidas. O neerlandês colocou em campo uma formação no 4-2-3-1, com Miralem Pjanic e Frenkie De Jong na linha defensiva do meio-campo e Francisco Trincão, Philippe Coutinho e Ansu Fati na linha ofensiva. Lionel Messi ficava à frente deles, como uma referência que sai do centro do ataque para armar as jogadas junto com os demais.

Seria difícil para o Ferencváros ter uma estreia na fase de grupos mais complicada. É verdade que o Barcelona está longe daqueles grandes momentos em que era, discutivelmente, o melhor time do mundo. Atualmente, não passa nem perto disso. Mesmo assim, ainda é o time de Lionel Messi, ainda é o Barcelona. Se por um lado é ruim pela dificuldade, por outro os jogadores visitam o Camp Nou e jogam contra um clube de imensa tradição, o que tem a sua satisfação também.

Apesar disso, o time assustou. Tokmac Chol Nguen recebeu um lançamento longo, avançou e chutou forte, no alto, para marcar um golaço. Pena que foi energia desperdiçada: o jogador estava impedido, como o replay deixou evidente. O assistente marcou em campo e foi confirmado pelo VAR. O placar não seria aberto pelo time visitante. Aliás, o Ferencváros bateu na trave para abrir o placar logo depois. O brasileiro Isael, em um chute forte, carimbou o travessão dos catalães. Foi o lance mais perigoso do time húngaro no primeiro tempo.

Aos 27 minutos, Lionel Messi saiu da ponta direita para o meio, driblou três e acabou sofrendo falta dentro da área. Pênalti para o Barcelona, que o árbitro Sandro Scharer, da Suíça, não teve dúvida em marcar. O próprio Messi cobrou, com categoria, e marcou 1 a 0.

Messi chegou a 16 temporadas consecutivas fazendo gols na . Essa é uma marca muito difícil de ser alcançada. Ryan Giggs era o único a ter conseguido fazer gol em 16 temporadas diferentes, mas sem serem consecutivas.

O segundo gol veio já no final do primeiro tempo. Aos 41 minutos, em uma jogada pela esquerda, Ansu Fati tocou para Frankie De Jong e o neerlandês tocou por cima da zaga, deixando o jovem Fati frente a frente com o goleiro. De primeira, o atacante finalizou e marcou 2 a 0. Foi o placar do primeiro tempo.

O Barcelona chegaria ao terceiro gol ainda no começo do segundo tempo. Messi recebeu dentro da área e encontrou Ansu Fati. Marcado, o atacante tocou de calcanhar para Coutinho, que estava mais à esquerda. O brasileiro bateu de primeira, rasteiro e marcou: 3 a 0. Um belo gol do Barça.

Com a partida bastante controlada, Koeman tratou de poupar o time, que já economizava energias em campo. Junior Firpo substituiu Sergi Roberto, o que deslocou Sergiño da lateral esquerda para a direita. Pedri entrou no lugar de Ansu Fati. Também colocou em campo Ousmane Dembélé no lugar de Trincão. O francês ainda tenta recuperar o seu espaço no clube catalão, depois de uma temporada muito atrapalhada por lesões.

No lado húngaro, Aissa Ladouni e Eldar Civic deixaram o gramado para as entradas do brasileiro Somália e de Marcel Heister, respectivamente. Somália, de 32 anos, atende também por Wergiton do Rosário Calmon, é carioca, e atuou por times pequenos do Rio como Bangu, Resende e Madureira, além de também ter defendido o . Se transferiu para o Ferencváros em julho de 2011, mas teve passagens também por Toulouse e Shabab antes de voltar ao clube húngaro para uma nova passagem.

O Ferencváros teve um lance perigoso aos 23 minutos. Oleksandr Zubkov fez um belo lançamento em velocidade para Tokmac Chol Nguen, que avançou e foi segurado por dentro da área. O árbitro não só marcou o pênalti, como ainda expulsou o zagueiro do Barcelona. Na cobrança, Ihor Kharatin bateu bem e tirou até o goleiro Neto da foto para marcar o primeiro dos húngaros: 3 a 1.

Vieram mais mudanças, com o centroavante Frank Boli e Robert Mak entrando no lugar de Nguen e Zubkov. No Barcelona, Sergio Busquets entrou no lugar de Miralem Pjanic. Os húngaros ainda colocaram Gergo Lovrencsics no lugar de Endre Botka.

O jogo tinha ritmo muito mais baixo dos dois lados. O Ferencváros ainda tentava algo eventualmente, mas sem muita eficiência. Até que o Barcelona fez um bom ataque pelo lado, aos 36 minutos. Dembélé fez uma bela jogada pela direita, avançou e cruzou rasteiro para trás, uma jogada sempre difícil para a defesa. Pedri estava livre e finalizou no canto. O goleiro Dénes Dibusz ainda tocou na bola, mas não conseguiu impedir o gol: 4 a 1 para os blaugranas.

Ainda havia espaço para mais. Já com 43 minutos no cronômetro, Messi recebeu dentro da área, de costas, segurou a bola e ajeitou para a idreita, onde estava Dembélé. O camisa 11 chutou forte, no alto, e marcou mais um: 5 a 1 para o Barcelona. O francês não fazia um gol desde 6 de outubro de 2019, em jogo contra ao Sevilla, pelo Campeonato Espanhol.

A estreia tranquila é uma boa notícia para o torcedor do Barcelona, tão abalado pelos últimos meses de maus resultados e, mais do que isso, mau futebol. Os gols de jogadores que vieram do banco, como Pedri e Dembélé. Mas o que chama a atenção mesmo é que Griezmann ficou no banco e, mesmo com cinco alterações de Koeman, não foi chamado para entrar. Assistiu ao jogo do melhor camarote do Camp Nou: o confortável banco de reservas do estádio. O atacante precisa começar a se preocupar. Ou talvez começar a levar um tablet para o banco e jogar Football Manager. Talvez lá ele consiga jogar e fazer seus gols.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore