Champions League

Com lapsos de seus melhores momentos, Liverpool venceu o RB Leipzig novamente e avançou às quartas

O Liverpool segue vivo na Champions League, última chance de título na temporada e, se o rendimento na Premier League continuar em baixa, também de se classificar à próxima edição da competição europeia. Derrotou o RB Leipzig novamente por 2 a 0 – novamente em Budapeste, embora teoricamente como mandante -, com gols de Mohamed Salah e Sadio Mané.

Houve riscos, normal contra um adversário competente contra o RB Leipzig, mas o retorno de Fabinho ao meio-campo melhorou tanto a defesa quanto o ataque e, com vantagem de dois gols pelo jogo de ida, mesmo quando os alemães ficaram próximos de abrir o placar, a vaga nunca pareceu realmente ameaçada.

O Liverpool não costumava perder tantas chances sem fazer nenhum gol como tem acontecido nas últimas semanas, mas, quando a fase é ruim e a confiança está em baixa, isso acaba sendo comum. Teve um volume de jogo bem respeitável no primeiro tempo, acima do que havia demonstrado em suas últimas partidas, mas não conseguiu marcar o tento que encaminharia a sua vaga.

A primeira chance surgiu aos seis minutos. Mané matou o passe dentro da área e mandou por cima do travessão. De qualquer maneira, a jogada seria cancelada porque o senegalês estava bastante impedido. Aos 10 minutos, Christopher Nkunku enfiou a bola nas costas da linha defensiva. Muitos jogadores do Leipzig entraram na área. Alisson saiu do gol para pressionar Poulsen, de costas, e a sobra ficou com Olmo. O goleiro brasileiro executou uma defesa muito importante e difícil para impedir o gol do meia-atacante espanhol.

Diogo Jota, demonstrando a cada lance a falta que fez ao Liverpool nesses tempos difíceis enquanto esteve machucado, apareceu entre os zagueiros para exigir linda intervenção de Gulácsi com uma cabeçada firme, após cruzamento de Alexander-Arnold. Logo depois, Salah perdeu a melhor chance até então.

Thiago lançou do campo de defesa. Salah dominou, entrou na área, mas bateu em cima do goleiro. O rebote ainda ficou com Mané, que tentou cabecear de um jeito meio estranho. O egípcio chegou a pegar o rebote, mas se perdeu no pingo da bola e cometeu falta.

Em rápida transição, Mané abriu na direita para Arnold. O cruzamento rasteiro estava prestes a encontrar Salah, quando apareceu Upamecano com o corte na hora certa. No outro lado, os alemães ameaçaram com Fosberg, também em contra-ataque. O sueco ficou com a sobra do próprio passe na entrada da área e bateu para fora, perto da trave. Jota ainda obrigou Gulácsi a trabalhar bem mais uma vez antes do intervalo, com um chute forte pelo meio.

No segundo tempo, o Liverpool precisou de 20 minutos, mas parece que lembrou que tem um dos melhores ataques do mundo. Depois de uma pressão perigosa do Leipzig, que contou até com uma cabeçada na trave de Alexander Sorloth, os ingleses mataram de vez o confronto com duas jogadas muito bem construídas. Com velocidade, passes verticais e boas finalizações, como nos melhores momentos desse time de Klopp.

Aos 26 minutos do segundo tempo, Salah começou a jogada com Thiago. Chegou a Mané, que enfiou para Diogo Jota. O português devolveu para Salah, que saiu cortando da direita para o meio, buscando o espaço para finalizar. Encontrou com um chute rasteiro no canto de Gulácsi. Logo em seguida, a jogada foi trabalhada pela direita. Origi perdeu, Arnold recuperou, deixou com Salah. Para Keita, que deu o passe para Origi. Cruzamento à segunda trave, onde Mané apareceu para fazer o segundo gol.

Foi a primeira vez que Salah e Mané marcaram no mesmo jogo desde a goleada sobre o Aston Villa, na terceira rodada da Copa da Inglaterra, no começo de janeiro. Esse é um bom sinal. Houve outros nessa partida, lapsos do velho Liverpool. Eles também apareceram em certos momentos desde o começo da derrocada, mas o time não foi capaz de aproveitá-los para ganhar consistência. Terá que fazê-lo neste momento para salvar a temporada, arrancando na Premier League ou tentando chegar longe na Champions League.

.

.


.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo