Champions League

Champions: Panathinaikos elimina Olympique na França e Molde encerra sonho do KÍ

O Panathinaikos conquistou a grande classificação da terceira fase da Champions, ao anotar um gol agônico e avançar nos pênaltis em pleno Vélodrome

O Olympique de Marseille vinha bem cotado da pré-temporada. Os celestes investiram bastante em reforços e apontam para um novo projeto com Marcelino García Toral. Parte dos investimentos visava a fase de grupos da Champions League, com a entrada dos marselheses na terceira etapa classificatória do torneio. No entanto, a campanha se encerra mais cedo do que se pensava. O Olympique disputará a fase de grupos da Liga Europa, eliminado pelo Panathinaikos. Os gregos tinham vencido por 1 a 0 a ida em Atenas e a reviravolta até parecia possível no Vélodrome, depois que os franceses abriram dois gols de vantagem com Pierre-Emerick Aubameyang. No entanto, um gol de pênalti aos 54 do segundo tempo fechou o placar em 2 a 1 e deu sobrevida ao Pana. Depois da prorrogação, os alviverdes avançaram nos penais, com o triunfo por 5 a 3.

Marcelino García Toral escalou um Olympique bastante forte. A equipe reunia vários dos reforços: Renan Lodi, Ismaïla Sarr, Iliman Ndiaye, Aubameyang. Além disso, outros bons talentos que estavam no clube desde antes apareciam no 11 inicial – a exemplo de Jonathan Clauss, Azzedine Ounahi e Jordan Veretout. A missão contra o Panathinaikos era ingrata, mas não que os alviverdes pusessem tanto medo no papel, em time estrelado por nomes como Andraz Sporar, Filip Djuricic e Rubén Pérez.

Foi importante o gol precoce anotado pelo Olympique. Num contragolpe iniciado pelo goleiro Pau López, Sarr acelerou pelo meio e deu uma enfiada excelente para Aubameyang. Em sua máxima velocidade para deixar a zaga comendo poeira, o veterano também driblou o goleiro Alberto Brignoli e mandou às redes vazias. A sequência do primeiro tempo foi um massacre dos marselheses, com 15 finalizações e 60% de posse de bola. O segundo gol pintou nos acréscimos. Aubameyang fez de novo, oportunista após o cruzamento na medida de Jonathan Clauss pela direita.

A necessidade fez o jogo se inverter no segundo tempo e o Panathinaikos cresceu. Os alviverdes ainda levaram certo tempo para criar ameaças reais à meta de Pau López, mas de novo acionaram bem o banco de reservas, com a entrada de Bernard entre as alterações. O abafa se tornou maior nos dez minutos finais, até que rendesse um pênalti para os gregos no estouro dos acréscimos. Matteo Guéndouzi desviou a bola com o braço, em penalidade convertida por Fotis Ioannidis aos 54 minutos.

A prorrogação voltou a ser um amasso do Olympique de Marseille. Os celestes criavam um monte de chances e não conseguiam converter. Até balançaram as redes no segundo tempo extra, com Vitinha, que tinha entrado no lugar de Aubameyang. No entanto, o VAR anulou o lance. E a decepção dos marselheses se confirmou nos pênaltis, com a vitória do Panathinaikos por 5 a 3. Guendouzi seria vilão de novo, ao desperdiçar logo a primeira cobrança, defendida por Alberto Brignoli. Os gregos converteram todos os chutes na sequência e selaram a classificação com um tento de Filip Mladenovic. Pegarão o Braga na próxima fase.

Loucura em Praga

A partida mais maluca da terça-feira aconteceu na República Tcheca, onde o Copenhague eliminou o Sparta Praga. Depois do magro 0 a 0 na ida, desta vez o empate foi por 3 a 3, com quatro gols na prorrogação. Nos pênaltis, os dinamarqueses passaram. Jordan Larsson fez o primeiro para o Copenhague logo no minuto inicial e o Sparta empatou somente aos 35 do segundo tempo, depois de muita pressão, com Veljko Birmancevic. Na prorrogação, os tchecos viraram com Qazim Laci cobrando falta na gaveta e Viktor Claesson empatou no primeiro tempo extra. Na segunda etapa, o Sparta voltou à frente com Victor Olatunji e Claesson salvou o Copenhague de novo. Já nos penais, brilhou o goleiro Kamil Grabara, que tinha feito muitas defesas com bola rolando, mas também falhado. O polonês defendeu um dos tiros dos anfitriões, viu outro bater no travessão e garantiu o triunfo por 4 a 2.

O PSV tomou um susto de início, mas passou com firmeza pelo Sturm Graz. A classificação foi encaminhada nos 4 a 1 de Eindhoven e, na Áustria, os Boeren ganharam de virada por 3 a 1. William Boving marcou o primeiro para o Sturm Graz, num chute de primeira. O empate do PSV surgiu na sequência, numa linda troca de passes de primeira, até Joey Veerman definir de fora da área no cantinho. Antes do intervalo, Luuk de Jong virou de peixinho. O terceiro gol pintou só no fim, num pênalti convertido por Ricardo Pepi.

O adversário do PSV será o Rangers, que não se intimidou com o estádio cheio na Suíça e despachou o Servette. A vitória por 2 a 1 em Ibrox dava segurança e o empate por 1 a 1 na volta bastou aos escoceses. Dereck Kutesa marcou o primeiro ao Servette, num lindo chute na gaveta de Jack Butland. Os Gers empataram na conexão entre seus laterais: Borna Barisic cruzou e o artilheiro James Tavernier estava na área como elemento não tão surpresa para cumprimentar nas redes. O brasileiro Danilo comandou a linha de frente dos Teddy Bears.

Outro clube de peso a avançar, o Galatasaray estava numa situação confortável contra o Olimpija Ljubljana, depois dos 3 a 0 na Eslovênia. Os Leões também ganharam por 1 a 0 em Istambul, num jogo resolvido logo no primeiro tempo. Mauro Icardi anotou o gol. O problema aconteceu com a expulsão de Lucas Torreira no segundo tempo, desfalque sentido na próxima fase. Outra equipe a nadar de braçada foi o Braga. Fez 3 a 0 contra o TSC Backa Topola em Portugal e também ganhou por 4 a 1 na Sérvia. Foram quatro tentos nos 20 minutos iniciais – dois de Bruma, além de um de Pizzi e outro de Al Musrati. O Maccabi Haifa tinha vencido o Slovan Bratislava por 2 a 1 na Eslováquia e complementou com 3 a 1 em Israel. Frantzdy Pierrot, Dia Saba e Dean David marcaram.

Molde brecou o épico do KÍ

A epopeia do KÍ Klaksvík na Champions League parou na terceira fase qualificatória. No entanto, não é a eliminação que diminui o tamanho da façanha dos campeões de Ilhas Faroe. Os alviazuis ainda venderam caro a derrota para o Molde, na visita à Noruega. E seguem vivos por outros sonhos, afinal. O KÍ será repescado para a última fase qualificatória da Liga Europa e, na pior das hipóteses, disputará a fase de grupos da Conference League. Será a primeira vez de um time faroense em tal nível de competência.

Na ida, o KÍ arrancou uma histórica virada por 2 a 1 em Ilhas Faroe. Nesta terça-feira, o Molde deu o troco diante de sua torcida com a vitória por 2 a 0, mas dependeu da prorrogação para construir o placar favorável. O primeiro gol dos noruegueses saiu aos 16 minutos, com Kristian Eriksen desviando de cabeça um escanteio cobrado em direção ao primeiro pau. Apesar da pressão, os anfitriões paravam no goleiro Jonathan Johansson. O tento da classificação saiu apenas no segundo tempo da prorrogação, a nove minutos do fim. Na sobra de um escanteio, Martin Linnes evitou os pênaltis e garantiu a passagem do Molde.

Quem segue em frente como novidade é o Raków Czestochowa, campeão polonês pela primeira vez e estreante na Champions. A equipe tinha um confronto relativamente aberto contra o Aris Limassol, outro campeão inédito no Chipre e de investimento relativamente alto. Porém, os poloneses ganharam as duas partidas. Depois dos 2 a 1 na ida, em casa, desta vez o Raków anotou 1 a 0 em Limassol. O gol saiu no início do segundo tempo, com Fran Tudor em cobrança de falta perfeita, sem chances para o goleiro Vaná. O ala Jean Carlos, com passagem pela base do Real Madrid, é o brasileiro do elenco polonês.

Só uma partida não era a de volta: Dinamo Zagreb x AEK Atenas, após o adiamento do primeiro jogo na Grécia, após a morte de um torcedor local em confronto de ultras. No Estádio Maksimir, o AEK saiu com uma vitória imensa por 2 a 1. Marko Bulat anotou primeiro para os croatas numa cobrança de falta, mas Steven Zuber (em belo chute no canto) e Konstantinos Galanopoulos arrancaram o triunfo no segundo tempo. O reencontro em Atenas ocorrerá no próximo final de semana.

Os resultados da terceira fase qualificatória

Vale lembrar que todos os times eliminados na Rota dos Campeões da terceira fase qualificatória da Champions serão repescados à última fase preliminar da Liga Europa e se garantiram pelo menos na fase de grupos da Conference. Já os times que caíram na Rota da Liga entram diretamente na fase de grupos da Liga Europa.

Rota dos Campeões

  • Aris 0x1 Raków Czestochowa
  • Galatasaray 1×0 Olimpija Ljubljana
  • Sparta Praga 3×3 Copenhague, 2×4 nos pênaltis
  • Molde 2×0 KÍ Klaksvík
  • Maccabi Haifa 3×1 Slovan Bratislava
  • Dinamo Zagreb 1×2 AEK Atenas

Rota da Liga

  • TSC Backa Topola 1×4 Braga
  • Sturm Graz 1×3 PSV
  • Servette 1×1 Rangers
  • Olympique de Marseille 2×1 Panathinaikos, 3 a 5 nos pênaltis

Os confrontos da fase de playoffs

Rota dos Campeões

  • Maccabi Haifa x Young Boys
  • Royal Antwerp x AEK Atenas / Dinamo Zagreb
  • Raków Czestochowa x Copenhague
  • Molde x Galatasaray

Rota da Liga

  • Rangers x PSV
  • Braga x Panathinaikos
Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo