Uma ideia que causou muita controvérsia em tempos recentes é a Superliga, uma reunião dos maiores clubes da Europa para criar uma competição à parte, só entre as potências, que poderia inclusive substituir as ligas nacionais – e, claro, mataria a Champions League como conhecemos. Na última semana, surgiu uma proposta de Liverpool e Manchester United, que reuniria também outros grandes clubes do continente. Embora os primeiros relatos tenham sido de que a Fifa estaria envolvida, a entidade que dirige o futebol mundial negou ter qualquer participação. O presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, foi duro ao comentar sobre essa ideia.

LEIA MAIS: Rummenigge, do Bayern, e Infantino, presidente da Fifa, mostram resistência à suposta Superliga Europeia

“Há uma forte cooperação entre nós (Uefa) e as ligas”, disse Ceferin durante o SportLab, evento organizado pelos jornais Corriere dello Sport e Tuttosport. “A chamada Superchampions é uma invenção de alguns clubes e da imprensa italiana, não é nossa proposta”.

“Seria um dos projetos mais entediantes do mundo. Dois ou três clubes falam sobre isso, que acreditam que merecem mais do que outros, que ganham pouco e acreditam que poderiam ser vencedores em uma Superliga”, disse o presidente da Uefa.

“Não é uma discussão séria, esse tipo de ideia mataria o futebol. Eu sou fortemente contra a Superliga e a Superchampions é principalmente inventado pela imprensa italiana”, disse ainda o dirigente.

A Uefa também respondeu, em comunicado, a um questionamento sobre a Superliga. “O Presidente Aleksander Ceferin já indicou claramente em diversas ocasiões que a Uefa é fortemente contra uma Superliga”, diz a nota. “Os princípios de solidariedade, promoção, rebaixamento e ligas abertas não são negociáveis. Isso é o que está por trás do futebol europeu e faz da Champions League a melhor competição esportiva do mundo”.

O dirigente ainda falou sobre outros assuntos no evento. Veja abaixo:

“Playoffs na Itália seria injusto”

Quando perguntado sobre a possibilidade da Serie A ser completada com um playoff, Ceferin deixou claro que a decisão não depende dele, nem da Uefa, mas que não acredita nisso. “A decisão cabe à cada liga, mas não acho que o modelo usado para a Champions League e Liga Europa possa ser usado nos campeonatos. Não é justo competir o ano todo pelo topo e depois ser eliminado ao perder apenas uma partida”, analisou.

Perdas pelo adiamento da Euro

“Estou preocupado com a situação financeira. Anunciamos fundos para apoiar os clubes. Normalmente são usados para infraestrutura, mas desta vez podem gastar como quiserem. Adiando a Eurocopa, nós perdemos entre €100 milhões e €200 milhões”, disse Ceferin.

Fair Play Financeiro

“O futebol europeu se recuperou de perdas graças a essa ferramenta, mas é claro que nós temos que reformar o sistema porque os tempos mudam”.

Dúvidas sobre o uso VAR

“Minha ideia é que seja usado para as situações mais claras e óbvias. Em algumas ligas, o jogo é parado por muitos minutos, isso não é bom para o futebol. Para mim, há sérias dúvidas sobre como o toque de mão interpretado, no impedimento por um ou dois centímetros, e quando o goleiro é punido durante o pênalti se ele se adiantar alguns centímetros”.