Champions League

Carrasco do Benfica, Hulk já deu enorme cala-boca aos racistas com um golaço

Zenit e Benfica se enfrentam nesta terça pelas oitavas de final da Liga dos Campeões. Duelo que volta a colocar frente à frente dos encarnados um de seus maiores algozes nos últimos anos. Hulk faz uma temporada estupenda com os russos, sobretudo na Champions. Ainda assim, os seus números dos tempos de Porto permanecem inalcançáveis. E, em cinco temporadas no Estádio do Dragão, o brasileiro se acostumou a fazer os encarnados sofrerem. Foram quatro títulos do Campeonato Português e três da Taça de Portugal, além de gols decisivos no clássico contra os lisboetas.

O Benfica é o time que Hulk mais vezes enfrentou na carreira, com 14 duelos no total – dois deles com o Zenit. E também o adversário no qual mais marcou gols, seis, e contra o qual serviu mais assistências, cinco. Pelo Porto, o atacante soma seis vitórias e apenas três derrotas diante dos encarnados. Tempos inesquecíveis para os portistas e uma verdadeira tormenta para os benfiquistas. Além disso, são quatro tentos em sete visitas ao Estádio da Luz.

O melhor jogo de Hulk contra o Benfica aconteceu em 2010/11, pela 10ª rodada do Português. O Porto viveu uma campanha avassaladora naquele ano e não perdeu a oportunidade de se impor contra os rivais no Estádio do Dragão. Preocupado com o excelente momento do ponta direita, o técnico Jorge Jesus resolveu escalar David Luiz na lateral esquerda, para reforçar a marcação. Um tremendo engano. Os portistas golearam por 5 a 0, com todos os gols saindo pelo lado direito do ataque. No intervalo, Jesus deslocou Fábio Coentrão para a lateral, mas o estrago estava feito. Hulk balançou as redes duas vezes e também deu o passe para o tento que abriu o placar, após deixar David Luiz quase no chão. E aquele clássico ainda contou com um golaço de calcanhar de Falcao García.

Outro momento inesquecível para Hulk contra o Benfica aconteceu em 2011/12, em seu último duelo contra os rivais pelo Campeonato Português. Era a 21ª rodada e os encarnados estavam com o mesmo número de pontos, empatados na liderança, antes da visita dos portistas à Luz. Carrasco costumeiro, o brasileiro começou a ser perseguido pela torcida, mas não apenas com vaias. Alguns intolerantes começaram a fazer sons de macaco contra o artilheiro. Pois a resposta de Hulk foi instantânea: encheu o pé para acertar o ângulo de Arthur e anotar um golaço, abrindo o placar logo aos seis minutos. Obviamente, calou os racistas. Naquele jogaço, o Benfica chegou a virar o placar, mas o Porto venceu por 3 a 2, com gol decisivo de Maicon aos 42 do segundo tempo, em grande noite de James Rodríguez. Resultado decisivo para a arrancada ao título.

Na temporada passada, Hulk se reencontrou com o Benfica duas vezes, pela fase de grupos da Champions. E ajudou o Zenit a vencer os dois jogos. Na Luz, deu um lindo toque de cobertura para abrir o triunfo por 2 a 0, enquanto serviu uma assistência em São Petersburgo. Confiança que deve se renovar nesta terça, ainda mais depois do ótimo desempenho dos russos em sua classificação. Os benfiquistas certamente estão preocupados.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo