Champions League

Atleti x Chelsea acontecerá na Romênia e já são seis jogos de Champions ou Liga Europa com local alterado pelas restrições de viagens

A Uefa anunciou nesta quarta-feira a terceira mudança de local em uma partida das oitavas de final da Champions League. Atlético de Madrid e Chelsea não se enfrentarão mais no Wanda Metropolitano, e sim na Arena Nationala, de Bucareste. O duelo de ida acontecerá dentro de duas semanas, em 23 de fevereiro. A mudança acontece em decorrência das restrições de viagens por conta da pandemia de COVID-19, para conter novas variantes do vírus. O governo britânico exige que viajantes vindos da Espanha permaneçam 10 dias em quarentena durante a entrada no país e, para que o Chelsea não cumpra o isolamento na volta para casa, houve a alteração. O mesmo tende a ocorrer no segundo jogo, em Londres, caso as regras não mudem.

Restrições parecidas provocaram a remarcação de outras partidas da Champions League. Também existem limitações de viagens entre Alemanha e Reino Unido. Por isso, RB Leipzig x Liverpool e Borussia Mönchengladbach x Manchester City acontecerão na Puskás Arena, em Budapeste. Os 16-avos da Liga Europa também foram afetados. Real Sociedad x Manchester United acontecerá no Allianz Stadium, em Turim; Benfica x Arsenal ocorrerá no Estádio Olímpico de Roma; e Molde x Hoffenheim se pegarão no Estádio de la Cerámica, em Villarreal.

A situação indica um paliativo da Uefa, com escapes em países neutros para driblar as proibições e as quarentenas. No entanto, pensando na situação da pandemia, o excesso de viagens parece ainda mais contraindicado ao momento e não evita os contatos que os países restritos querem inibir. A entidade europeia, de qualquer maneira, não se mostra muito afeita a enxugar seu calendário e perder mais lucros a esta altura.

Uma alternativa que poderia ter sido pensada pela Uefa seria novamente apostar em uma “bolha” para as fases finais da Champions e da Liga Europa, como aconteceu em 2020. A questão seria se sobrepor novamente a contratos televisivos e, principalmente, encontrar brechas nos calendários. Não há muito espaço para mudanças, pensando na tabela já mais cheia que o habitual por conta da interrupção em 2020. As ligas nacionais muito provavelmente não alterariam seu cronograma. Além disso, qualquer adiamento repercutiria na Eurocopa – que, conforme os planos da Uefa, ainda será organizada em 12 países, a partir de junho.

Se o mando de campo perde um tanto quanto de sentido com arquibancadas vazias, os jogos em campo neutro deverão se tornar rotina além desta primeira rodada dos mata-matas. A esta altura, a maior preocupação da Uefa é cumprir seus jogos e evitar adiamentos ou qualquer “complicação” aos clubes – como a realização de quarentenas, por exemplo. Os protocolos ao menos seguem cumpridos, mas com seu jeitinho para lidar com as determinações dos governos.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo