Europa

25 times que buscam grandes feitos na reta final das copas nacionais pela Europa – versão 2021/22

Fizemos um apanhado de times que buscam títulos inéditos ou o fim de jejuns nas copas nacionais pela Europa

A Data Fifa de março costuma ser um momento importante para demarcar a temporada europeia. Quando os clubes voltam às atividades, precisam dar o gás final na reta decisiva dos campeonatos. Os próximos dois meses serão repletos de partidas fundamentais. Inclusive, de muitas decisões nas copas nacionais. Sobretudo em maio, vários campeões se coroarão ao redor do continente. Alguns deles, em busca de feitos inéditos. Outros, tentando quebrar incômodos jejuns.

Abaixo, reunimos 25 times (na verdade, 26, pela menção dupla na França) para acompanhar de perto nesta conclusão das copas nacionais. Priorizamos as histórias nas principais copas, assim como as competições de países menores que estejam pelo menos na semifinal – com uma lista mais restrita de candidatos. Apontamos times que buscam taças mais raras, tentam feitos inéditos ou atravessam jejuns nas próprias copas.

Esta matéria é a primeira parte de uma “trilogia alternativa”. Nos próximos dias, falaremos de times para ficar de olho na reta final das ligas na Europa. Também abordaremos as divisões de acesso, sobretudo nos principais países.

O Hamburgo comemora a classificação à semifinal (Joern Pollex/Getty Images/One Football)

Hamburgo (Alemanha)

Competição nas semifinais, final marcada para 21 de maio

A Copa da Alemanha vive uma edição inesquecível. Bayern de Munique e Borussia Dortmund ficaram pelo caminho cedo, assim como outros clubes tradicionais que levaram o troféu nos últimos anos. Dos quatro semifinalistas, apenas um foi campeão, e mesmo assim não leva a taça desde 1987. O Hamburgo, apesar de ser o único vencedor entre os quatro sobreviventes, merece uma menção especial – embora qualquer uma das equipes pudesse se enquadrar neste especial. É o único time da segunda divisão e busca dar um alento à sua torcida, já que o acesso parece distante nesse momento. Os Dinossauros possuem três troféus na Pokal e não chegam à decisão há 35 anos. Na semifinal, enfrentarão o Freiburg, de excelente trabalho nos últimos anos e que busca a final inédita. Na outra chave, o RB Leipzig quer o primeiro título de sua história, enquanto o Union Berlim pode ser o primeiro time campeão da antiga Copa da Alemanha Oriental a levar também a Pokal, que herda a história da Alemanha Ocidental.

Betis (Espanha)

Final marcada para 23 de abril

A Copa do Rei também fugiu dos candidatos mais óbvios e parecia aberta desde a semifinal. Na decisão, contudo, o Valencia não parece tão estranho assim depois de seu título recente em 2019. O Betis é que busca o fim do jejum, em sua quinta final para tentar o terceiro troféu de sua história no torneio. A última vez dos verdiblancos aconteceu em 2005. Curiosamente, o ponta Joaquín estava naquele time e permanece como bastião bético naquela que provavelmente será a última temporada de sua carreira. É um símbolo da bonança no Benito Villamarín, com o bom trabalho de Manuel Pellegrini. A taça seria uma bela coroação, sobretudo depois da queda de rendimento em La Liga e da eliminação na Liga Europa. Outra motivação a mais é o direito de jogar na própria cidade, com a final marcada para o Estádio Olímpico de La Cartuja, em Sevilha.

Nice ou Nantes (França)

Final marcada para 7 de maio

Independentemente de quem conquistar a taça, a Copa da França terá um campeão fora do comum. O Nice vem de bons momentos nos últimos anos e ganhou mais impulso com Christophe Galtier. As Águias tiveram o gosto de eliminar Paris Saint-Germain e Olympique de Marseille na campanha. Tentam seu terceiro título no torneio, o primeiro desde 1997. Já a cinderela da história é o Nantes. Os Canários possuem uma história vitoriosíssima, mas restrita às memórias. Durante os últimos anos, acostumaram-se a fazer figuração na tabela. No entanto, Antoine Kombouaré conseguiu elevar o moral dos auriverdes e o time também faz bom papel na Ligue 1. A conquista da Copa da França encerraria um jejum de 22 anos, com o último dos três títulos no certame abocanhado em 2000.

Patrick Vieira, técnico do Crystal Palace (Christopher Lee/Getty Images/One Football)

Crystal Palace (Inglaterra)

Competição nas semifinais, final marcada para 14 de maio

Para quem gosta de grandes jogos, a semifinal da Copa da Inglaterra oferecerá um dos maiores, com o Manchester City x Liverpool. O intruso nessa história é o Crystal Palace, que pegará o Chelsea na outra chave. As Águias tiveram sua grande apresentação nas quartas de final, com a goleada por 4 a 0 sobre o Everton. E será uma boa oportunidade para valorizar o time de Patrick Vieira, que apresenta um futebol mais agressivo do que de costume e passa longe dos riscos na Premier League. Os londrinos buscam sua terceira final de FA Cup. Perderam em 1990 e 2016, ambas para o Manchester United. Desta vez tentarão alcançar a decisão sem Alan Pardew, que era meia da equipe na primeira campanha e treinador na segunda.

Fiorentina (Itália)

Competição nas semifinais, final marcada para 11 de maio

A Copa da Itália é a mais elitista das copas nacionais da Europa. O torneio é dominado por times das duas primeiras divisões e os oito melhores colocados da Serie A anterior entram diretamente nas oitavas. Assim, não surpreende as camisas pesadas na semifinal, com o Milan x Inter e o Fiorentina x Juventus. A Viola é que foge à regra e, dos quatro, é o único que disputa a competição desde as primeiras fases. A partida de ida não garante muitas esperanças aos violetas, com a derrota por 1 a 0 em Florença, com um gol contra nos acréscimos do segundo tempo. Apesar disso, restam os 90 minutos em Turim para tentar a virada. A Fiorentina possui uma boa dose de tradição na Coppa e contabiliza seis títulos, quinta maior campeã, o último deles em 2001.

Tondela (Portugal)

Competição nas semifinais, final marcada para 22 de maio

O favorito à decisão sairá do duelo entre Sporting e Porto, com os portistas um passo à frente depois da vitória por 2 a 1 no Alvalade. Em compensação, um pequeno disputará o troféu, entre Tondela e Mafra. O Mafra seria até uma surpresa maior, vindo da segunda divisão, mas os 3 a 0 do primeiro jogo deixam toda a expectativa para o Tondela. Se confirmar a classificação, será a primeira decisão dos auriverdes, que atualmente lutam pela sobrevivência no Campeonato Português. O clube historicamente milita nas divisões de acesso, embora venha de uma sequência razoável na elite, desde 2015/16. Os títulos do Tondela também se restringem aos níveis inferiores, no máximo com uma taça da segundona.

Vincent Kompany, técnico do Anderlecht (VIRGINIE LEFOUR/BELGA MAG/AFP via Getty Images/One Football)

Anderlecht (Bélgica)

Final marcada para 18 de abril

Ver um clube com o peso do Anderlecht nesta lista pode causar estranhamento. Os violetas, contudo, estão há um bom tempo sem conquistar a Copa da Bélgica. O maior vencedor da liga nacional não fatura a copa desde 2008 e, antes disso, o troféu anterior veio em 1994. Não quer dizer, entretanto, que são tempos de vacas magras, considerando que nestes 14 anos de jejum o Campeonato Belga ficou com a equipe em cinco oportunidades – a mais recente em 2017. Assim, levar a taça secundária possui seu valor. O Anderlecht é o quarto colocado nesta edição da liga, na briga para disputar o quadrangular final, mas distante da líder Union St. Gilloise. Vincent Kompany permanece no comando, em busca de sua primeira conquista como treinador. O adversário na final será o Gent, que levou a Copa da Bélgica faz menos tempo, em 2010.

Ried (Áustria)

Final marcada para 1° de maio

A presença do Red Bull Salzburg na decisão da Copa da Áustria surpreende um total de zero pessoas, com oito dos últimos dez títulos. Quem ganha o direito de desafiá-lo é o Ried. Os oponentes se acostumaram a figurar na elite da Bundesliga durante as últimas décadas, mas longe de representarem grande força. Em compensação, são dois títulos na Copa da Áustria, um em 1998 e outro em 2011. O troféu mais recente deixou pelo caminho o Rapid Viena, embora a decisão tenha acontecido contra outro time modesto, o Austria Lustenau. Na atual campanha, o time de mais peso eliminado pelo Ried foi o Sturm Graz. Mas não que o momento inspire confiança, com a equipe disputando o hexagonal contra o rebaixamento no Campeonato Austríaco.

Hajduk Split (Croácia)

Final marcada para 26 de maio

Dominante na Croácia, o Dinamo Zagreb caiu nas quartas de final da copa nacional. O Rijeka teve o prazer de desbancar os favoritos, algo que se acostumou a conseguir nos últimos anos. A equipe possui seis títulos da Copa da Croácia acumulados desde 2005, revezando-se nos últimos anos com o próprio Dínamo – de quem quebrou a hegemonia também na liga em 2017. O oponente na final que busca seu lugar ao sol é o Hajduk Split, historicamente a segunda força croata, mas que faz tempo que não ergue um troféu. O título mais recente é o da Copa da Croácia de 2013, com somente um vice desde então. O elenco atual tem nomes conhecidos, como Marko Livaja e Danijel Subasic. Já o grande reforço será da torcida, com a decisão marcada para o próprio Estádio Poljud, em Split. Curiosamente, enquanto Rijeka e Hajduk jogam pela copa, a principal ameaça ao Dinamo na liga atual é o Osijek.

A torcida do Malmö (David Lidstrom/Getty Images/One Football)

Malmö (Suécia)

Final marcada para 26 de maio

O Malmö possui um jejum impressionante na Copa da Suécia, ainda mais levando em conta seu domínio no Campeonato Sueco durante os últimos anos. Desde 2010, os celestes foram campeões nacionais sete vezes e batem cartão na Champions League. O jejum na copa nacional se estende desde 1989, com quatro vices desde então, três deles a partir de 2016. A chance de mudar a escrita acontece contra o Hammarby, atual campeão do torneio após levar o inédito troféu em 2021. Comandante dos alviverdes naquela conquista, Milos Milojevic assumiu o Malmö em 2022, ao substituir Jon Dahl Tomasson. O Campeonato Sueco ainda não abriu sua nova temporada.

Slovácko (República Tcheca)

Final marcada para 4 de maio

O favorito óbvio na decisão é o Sparta Praga, que eliminou o rival Slavia nas quartas e tenta retomar o título que levou pela última vez em 2020. O desafiante será o Slovácko, clube de uma cidade de 25 mil habitantes que emenda campanhas na elite desde 2009/10 e foi quarto colocado na última temporada do Campeonato Tcheco. Reunindo nomes experientes como Michal Kadlec e Milan Petrzela, a equipe de novo aparece no primeiro pelotão da liga, mesmo distante da briga pelas copas europeias. A chance virá mesmo na Copa Tcheca, em sua terceira final. O Slovácko perdeu as duas decisões anteriores, com vices para Baník Ostrava em 2005 e para o Teplice em 2009.

Olimpia Grudziadz (Polônia)

Competição nas semifinais, final marcada para 2 de maio

A Copa da Polônia possui uma variação razoável de campeões. Em 2021, o vencedor inédito foi o Raków Czestochowa, que tenta o bicampeonato e pegará o Legia Varsóvia na semifinal. A atração dessa temporada, porém, é o adversário do Lech Poznan na outra chave. O Olimpia Grudziadz milita na quarta divisão, mas conseguiu chegar tão longe ao vencer nos pênaltis o tradicionalíssimo Wisla Cracóvia nas quartas de final. Os alviverdes possuem algumas temporadas na segunda divisão, mas sofreram dois rebaixamentos nas duas últimas temporadas. A façanha na copa soa como redenção.

O Yverdon comemora a vitória sobre o Zurique

Yverdon (Suíça)

Competição na semifinal, final marcada para 15 de maio

A Copa da Suíça é outra em edição recheada de zebras. Basel e Zurique caíram para times das divisões de acesso nas oitavas, em fase que também custou a eliminação do Young Boys. O Luzern, que encerrou um jejum de 29 anos na temporada passada, pegará na semifinal o Lugano, que não leva o troféu desde 1993. Já o St. Gallen, atual vice, busca o fim de uma seca que se estende desde 1969. O oponente na semi é o único da segundona ainda vivo, o Yverdon-Sport, algoz de Zurique e Lausanne nas etapas anteriores. Os alviverdes curiosamente já disputaram uma final da Copa da Suíça em 2001. Porém, desde aquela época a equipe não é mais regular na primeira divisão.

Velez Mostar (Bósnia)

Competição nas semifinais, final marcada para 19 de maio

O Velez Mostar era um dos clubes mais importantes da Bósnia no Campeonato Iugoslavo. Não à toa, a equipe conquistou duas vezes a Copa da Iugoslávia, em 1981 e 1986, além de ter sido vice em duas oportunidades. Porém, o time nunca levou o Campeonato Bósnio ou mesmo a Copa da Bósnia desde a independência. A oportunidade surge na atual temporada da copa, depois de um bom terceiro lugar na última edição da liga. O Velez alcançou as semifinais, nas quais o tradicional Sarajevo é o time de mais peso, com sete troféus na copa. Tuzla City (da primeira divisão) e Igman Konjic (da segundona) são outros postulantes à taça inédita entre os quatro melhores da atual edição. O sorteio dos confrontos ainda não ocorreu.

Vejle (Dinamarca)

Competição nas semifinais, final marcada para 26 de maio

O Vejle é um dos clubes mais tradicionais da Dinamarca, com uma lista de grandes jogadores e cinco títulos da liga nacional. Nos últimos anos, a equipe se acostumou com o sobe e desce na primeira divisão. Mas poderá dar uma prova de grandeza à sua torcida em busca da sétima taça na Copa da Dinamarca, numa seca que se estende desde 1981 – e desde 1984, levando em conta também a liga. O time é o vice-lanterna na atual temporada e corre riscos claros de rebaixamento. Mas isso não é exclusividade entre os semifinalistas da copa nacional, já que Odense e SonderjyskE são outros ameaçados. O favorito é o Midtjylland, exatamente o oponente do Vejle.

A torcida do Levski

Levski Sofia (Bulgária)

Competição nas semifinais, final marcada para 11 de maio

As semifinais da Copa da Bulgária têm quatro equipes de peso. O Ludogorets é a força hegemônica da liga, mas na copa mesmo só possui duas taças, a última delas faturada em 2014. Os outros times vivos são os três maiores campeões do torneio. O CSKA Sofia possui 21 troféus, o último em 2021, enquanto o Slavia Sofia tem oito conquistas e comemorou sua última em 2018. O maior jejum, curiosamente, é também do maior ganhador. Lá se vão 15 anos desde a última vez que o Levski Sofia celebrou seu 25° título na copa nacional. Apenas na última década foram três dolorosos vices. A chance de reescrever essa história está posta na mesa, pegando o Ludogorets na semifinal. A equipe ocupa a quinta colocação no atual Campeonato Búlgaro.

Lamia (Grécia)

Competição nas semifinais, final marcada para 21 de maio

Olympiacos e PAOK fazem uma semifinal pesada na Copa da Grécia, sendo os últimos dois campeões. O Panathinaikos não vence desde 2014, mas é outro tradicionalíssimo. Vai pegar a zebra da vez, o Lamia, que tirou o Aris na fase anterior. Os alviazuis estão em sua quinta temporada consecutiva na primeira divisão, mas ocupam a vice-lanterna e correm risco de descenso. Já na Copa da Grécia, as boas campanhas se sucedem e o time ficou entre os oito melhores nas quatro edições anteriores, com direito a uma semifinal em 2018/19, superados pelo AEK Atenas. Passar pelo Panathinaikos seria a prova maior do copeirismo, mas os duelos em ida e volta dificultam a missão.

Győri (Hungria)

Competição nas semifinais, final marcada para 11 de maio

Ferencváros e Újpest são os dois clubes de peso nas semifinais. O segundo será desafiado pelo Paks, clube que frequenta as primeiras posições do Campeonato Húngaro e já levou a Copa da Liga, embora nunca a Copa da Hungria. Já o Ferencváros pegará o Győri, tradicional clube do interior, que milita atualmente na segunda divisão. Os alviverdes chegaram a levar o seu quarto título da liga em 2013, dois anos antes de serem rebaixados à terceirona por problemas financeiros. E não que o retorno à elite pareça próximo, com a equipe na nona posição da atual segundona. Resta o sonho na Copa da Hungria, na qual o Győri conquistou quatro taças e esteve em outras quatro finais, a última com o vice em 2013. Porém, o último título veio somente em 1979.

O Bodo/Glimt comemora (Mark Runnacles/Getty Images)

Bodo/Glimt (Noruega)

Competição nas semifinais, decisão marcada para 30 de abril

O Bodo/Glimt é um corpo estranho nesta lista, considerando que a equipe é a atual bicampeã norueguesa e ainda faz campanha histórica na Conference League. Contudo, a Copa da Noruega representa uma lacuna ao Raio. O torneio possui grande representatividade à agremiação, por ser seu primeiro título de elite (e o primeiro de um representante do extremo norte do país) em 1975. Porém, desde então, a taça seria erguida outra vez apenas em 1993 e o último vice aconteceu em 2003. É hora de mudar essa escrita. O oponente na semifinal é o Viking, campeão pela sexta vez em 2019. Molde (2014) e Strömsgodset (2010) são outros vencedores mais recentes na chave oposta.

Arges Pitesti (Romênia)

Competição nas semifinais, final marcada para 19 de maio

O Arges Pitesti não é o clube mais celebrado fora da Romênia, mas possui grande importância na história da liga local, com dois títulos conquistados nos anos 1970 – quando Nicolae Dobrin, destaque da seleção, era seu astro. As últimas décadas seriam duras com os violetas, que enfrentaram casos de manipulação de resultados e problemas financeiros que culminaram na falência. A reconstrução foi gradual nos últimos anos, até o retorno à elite em 2020/21. Atual quarto colocado no Campeonato Romeno, agora surge a chance de conquistar a Copa da Romênia – um troféu inédito e cuja a final as Águias não jogam desde 1965. O adversário na semifinal é o Voluntari, de fundação recente e que tenta o primeiro troféu. Na outra chave, a Universitatea Craiova é a atual campeã e favorita diante do Sepsi Sfântu Gheorghe, outro time jovem que busca seu lugar ao sol.

Sivasspor (Turquia)

Competição nas semifinais, com a decisão marcada para 26 de maio

O Sivasspor já chegou a pleitear o título no Campeonato Turco, mas terminou com o vice em 2008/09. Agora poderá buscar uma inédita final na Copa da Turquia, em edição aberta na qual os três grandes de Istambul já caíram. Os alvirrubros ocupam uma posição intermediária na Süper Lig e, entre seus jogadores, contam com o rodado Max Gradel. O adversário na semifinal é o Kayserispor, que não leva o troféu da copa nacional desde 2008, em sua única conquista. Do outro lado, finalista em 2020, o Alanyaspor é outro que tenta o feito inédito. O problema é o nível do desafio, contra o nove vezes campeão Trabzonspor, em temporada na qual os grenás são favoritos à dobradinha, com a liderança folgada da liga.

Tynecastle, casa do Hearts (ANDY BUCHANAN/AFP via Getty Images/One Football)

Hearts (Escócia)

Competição nas semifinais, final marcada para 22 de maio

Se o Campeonato Escocês não foge do binômio entre Celtic e Rangers há décadas, as copas nacionais oferecem mais abertura. O Hearts, que faz boa campanha no Campeonato Escocês após retornar da segunda divisão, é um candidato. Os grenás possuem oito títulos no torneio e o último deles, em 2012, teve uma goleada por 5 a 1 sobre o rival Hibernian na decisão. Pois o dérbi de Edimburgo se repete nessa semifinal. Os Hibs, aliás, possuem só três taças, mas comemoraram mais recentemente em 2016 e são os atuais vices. Já a outra semifinal terá a Old Firm. Curiosamente, o Rangers é o sobrevivente desta edição com o título mais longínquo, ainda em 2009. Faturá-lo seria mais um passo no processo recente de reconstrução.

Partizani (Albânia)

Competição nas semifinais, decisão marcada para 31 de maio

O Partizani Tirana é o terceiro maior vencedor do Campeonato Albanês e um dos clubes mais importantes do país, mas que parou no tempo e teve muitas dificuldades para se restabelecer após a queda do comunismo. De seus 16 títulos nacionais, 15 vieram até 1993, com a quebra de jejum recente em 2019. Os alvirrubros também lidaram com infortúnios parecidos na Copa da Albânia e não sabem o que é levar o troféu há 18 anos. O oponente na semifinal é o Vllaznia, atual vencedor da copa. Na outra semifinal, Teuta e Laçi também possuem menos tradição que o Partizani, mas foram campeões em anos mais recentes.

Domagnano (San Marino)

Competição nas semifinais, final marcada para 15 de maio

O Domagnano é um clube de peso na possante Copa de San Marino. Os giallorossi conquistaram a liga nacional apenas quatro vezes, mas possuem oito troféus na Coppa Titano e aparecem como segunda equipe mais vezes campeã. Todavia, a espera por um novo título se arrasta há 19 anos, desde 2003, Os concorrentes nas semifinais são Folgore (adversário do Domagnano), Tre Fiori e La Fiorita, três equipes de sucessos bem mais recentes na competição nacional.

Bruno’s Magpies (Gibraltar)

Competição nas semifinais, final marcada para maio

Como não torcer por um clube fundado pelos frequentadores de um bar e que inclusive possui uma taça (de drink) em seu escudo? O Bruno’s Magpies surgiu em 2013, em meio ao processo de admissão de Gibraltar pela Uefa, e participou da fundação da nova liga nacional em 2019. Com seus títulos limitados ao segundo escalão, a Rock Cup representaria um feito inédito aos Corvos. O desafio na semifinal será o Europa, um dos principais clubes locais. Dono de 18 troféus na copa nacional, o Lincoln Red Imps encara o College 1975, que chegou a ser vice do torneio em 2014.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo