MLS

Messi liderou outro vareio do Inter Miami, que jogará a final da Leagues Cup

Messi anotou mais um bonito gol, o nono em seis jogos nos EUA, e o Inter Miami garantiu vaga inédita na Concachampions 2024

Lionel Messi precisou de menos de um mês nos Estados Unidos para disputar sua primeira final. O Inter Miami se classificou à decisão da Leagues Cup, torneio de intertemporada que reúne os times da MLS e da Liga MX. O troféu inédito está no horizonte dos flamingos, que por tabela também garantem sua primeira participação na Concachampions, classificados para a edição de 2024 do torneio continental. O Philadelphia Union era o desafiante na semifinal e, além de atuar em casa, vinha de boas campanhas recentes. Porém, o Inter Miami sobrou no Subaru Park. A vitória por 4 a 1 foi construída ainda no primeiro tempo e se manteve apesar dos desleixos na segunda etapa. Messi, claro, anotou mais um gol. Chutou de longe e acertou o cantinho do goleiro.

Messi chegou a nove gols em seis partidas pelo Inter Miami. O camisa 10 não passou em branco em um jogo sequer desde que desembarcou nos Estados Unidos. Essa não foi a atuação mais ativa do craque, com seus dribles e algumas tentativas. De qualquer forma, a magia do argentino mais uma vez se confirmou em um lance: o gol ilustra muito bem os recursos do veterano. Agora ele terá uma decisão pela frente, diante do Nashville, em partida marcada para o próximo sábado.

Tata Martino manteve a base do Inter Miami que faz bom trabalho na Leagues Cup. A defesa contava com DeAndre Yedlin e Jordi Alba nas laterais, além de Kamal Miller entre os zagueiros. Sergio Busquets era o esteio no meio-campo. Já na frente, Lionel Messi vinha acompanhado por Josef Martínez e Robert Taylor. Do outro lado, o Philadelphia Union possui um time competitivo para os parâmetros recentes da MLS, mas sem grandes estrelas para intimidar o elenco adversário. Andre Blake foi o melhor goleiro da temporada passada da MLS e Jakob Glesnes acabou escolhido como o melhor defensor, enquanto o lateral Kai Wagner e o meia Dániel Gazdag entraram também na seleção do campeonato.

Primeiro tempo impecável do Inter Miami

A partida se tornou fácil para o Inter Miami muito cedo. O primeiro gol dos flamingos saiu aos três minutos, num ataque rápido bem encaixado. Serhiy Kryvtsov fez um baita lançamento do campo de defesa e pegou Josef Martínez em velocidade. O centroavante partiu rumo ao gol e desferiu o chute cruzado, com o goleiro Andre Blake mal colocado. Depois disso, o Philadelphia Union tentou uma resposta, mas tímida. Poderia ter empatado com Dániel Gazdag, mas o goleiro Drake Callender salvou os rosados com uma defesaça no mano a mano.

Messi não fazia sua atuação mais acesa no Subaru Park, mas nem precisava. Um lampejo basta ao gênio. E o Philadelphia Union cometeu o erro imperdoável de dar espaço ao camisa 10. Foi o que Messi precisava para aumentar a diferença, aos 20 minutos. O argentino recebeu o passe de Martínez na intermediária e tinha um latifúndio a seu dispor. Quatro adversários o observavam, mas ninguém pressionou. Messi então resolveu dar uma tacada de sinuca. Tacada de mestre: a bola rasteira entrou no cantinho de Blake, de novo mal colocado. Na ideia de comemorar como super-heróis, desta vez Messi deu um soco no ar – talvez uma referência a Pelé.

O Philadelphia Union não conseguia fazer muito contra a defesa bem postada do Inter Miami. O time da casa perdia mesmo o controle, com chegadas mais duras e muitas faltas. Quando Gazdag arriscou de longe, Callender fez mais uma boa defesa. Faltava a precisão do Inter Miami, que nem precisava exercer grande pressão, mas era fatal. Na reta final do primeiro tempo, os flamingos administraram a vantagem. E chegaram ao terceiro gol nos acréscimos. O bom entendimento pela esquerda funcionou: Robert Taylor lançou e Jordi Alba pisou na área feito atacante, para só tirar do alcance de Blake.

Union falha demais na reação

A missão do Philadelphia Union era muito difícil. Foram duas alterações para o segundo tempo e a equipe tinha mais a bola, mas não a capacidade de reverter a situação. Isso ficou claro aos dez minutos, quando Chris Donovan driblou até Callender e isolou diante da meta escancarada à sua frente. Callender também operou um milagre em cabeçada de Donovan pouco depois, antes de Gazdag errar na sobra. O Inter Miami estava num ritmo bem mais baixo na segunda etapa, com sua defesa exposta e Tata Martínez fez mudanças aos 15, com Leonardo Campana e Diego Gómez em campo.

A partida seguia quente, com o abafa do Philadelphia Union. Impressionava como a equipe sequer conseguia anotar o gol de honra, com o Inter Miami dando espaços demais. Jakob Glesnes chegou a perder um lance na pequena área. Só que os flamingos não precisavam de muito do outro lado. Aos 24, Campana puxou um contragolpe. Parou em Blake e, quando Messi tinha até driblado o goleiro no rebote, Jack Elliott salvou o lance num carrinho impressionante. Seria marcado também o impedimento.

O Philadelphia Union, enfim, descontou pouco depois, aos 28 minutos. Depois de uma cobrança de escanteio que sobrou na área, Alejandro Bedoya guardou. Dava para botar pressão e quase o Union anotou o segundo gol, com Quinn Sullivan, mas a falta de precisão do time era impressionante. E tantos erros mantinham o Inter Miami desperto para o mínimo deslize. Aos 39, os flamingos anotaram o quarto gol e mataram a semifinal. Messi já estava andando em campo, mas descolou um passe para Yedlin arrancar em toda a velocidade. O lateral serviu o gol de David Ruíz, que tinha vindo do banco. A classificação se ratificava.

A vaga na Concachampions

A decisão da Leagues Cup acontece no próximo sábado, com transmissão da Apple TV. Pelo futebol que exibe, o Inter Miami chega com ótimas condições de sonhar com o primeiro título da história da franquia. E a mera classificação garante um feito imenso: com a expansão da Concachampions, a Leagues Cup passou a oferecer vagas para o principal torneio da Concacaf. Os flamingos atualmente ocupam a lanterna da MLS, mas pegam um atalho rumo à competição continental. Será mais uma oportunidade para ver Messi, e em vários países do continente.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo