MLS

Ícone da MLS e exemplo de vida, Kei Kamara adiciona mais um clube na carreira ao assinar com o Montréal

Kei Kamara é o quinto maior artilheiro da história da MLS e, aos 37 anos, vai jogar pelo nono clube diferente da liga

Kei Kamara só queria um lugar seguro para viver quando deixou Serra Leoa aos 18 anos, em meio à guerra civil no país. O garoto foi abraçado pelos Estados Unidos ao lado de sua família, como refugiados de guerra, e encontrou um caminho através do futebol. O atacante iniciou sua carreira numa equipe universitária e, após ser draftado em 2006, se tornaria um nome emblemático na MLS. O currículo de Kamara inclui passagens por Columbus Crew (duas vezes), San Jose Earthquakes, Houston Dynamo, Sporting Kansas City, New England Revolution, Vancouver Whitecaps, Colorado Rapids e Minnesota United. Anotou 134 gols na liga e aparece como quinto maior artilheiro da história da competição. E, aos 37 anos, segue com lenha para queimar. Kamara foi anunciado como novo reforço do CF Montréal.

Em Serra Leoa, Kamara atuava nas categorias de base do Kallon FC, time fundado pelo ex-atacante Mohamed Kallon em Freetown. Depois de ser aceito no programa de refugiados dos Estados Unidos, seu talento abriu portas para que fosse convidado para estudar na California State University e integrasse o time de futebol, fazendo seu nome na NCAA. Também passou brevemente pelo Orange County Blue Star, na USL, até ser draftado pelo Columbus Crew.

O início da carreira de Kei Kamara na MLS seria modesto. O atacante estourou mesmo com o Sporting Kansas City, a partir de 2009. Foram cinco temporadas na equipe, que em duas fez a melhor campanha da Conferência Leste e conquistou a US Open Cup (a Copa dos EUA) em 2012. O destaque o levaria para a Europa, com uma passagem curta pelo Norwich na Premier League em 2012/13 e um pouco mais de impacto com o Middlesbrough na Championship em 2014/15.

A volta de Kei Kamara para a MLS, em 2015, seria triunfal. O atacante viveu sua melhor temporada no retorno ao Columbus Crew, com 26 gols em 37 jogos. Não levaria o título, derrotado na final para o Portland Timbers, mas acabou como artilheiro da competição. Em consequência, foi eleito para o time ideal da liga e também participou do All-Star Game, além de ter sido finalista no troféu de MVP. Seria reconhecido ainda com o prêmio Trabalhos Humanitários do Ano, por suas ações sociais em Serra Leoa, inclusive construindo escolas.

Kei Kamara não repetiria os números nas temporadas seguintes, mas ainda assim superou os dois dígitos de gols na MLS por New England Revolution, Vancouver Whitecaps e Colorado Rapids. Passou a rodar por diferentes times e, depois de uma campanha mais modesta com o Minnesota United em 2020, aceitou uma proposta do HIFK para jogar no Campeonato Finlandês no segundo semestre de 2021. Desde então, estava sem clube, mas também pôde viver um grande momento em janeiro com a seleção de Serra Leoa.

Convocado desde 2008, Kamara foi decisivo para a classificação da seleção serra-leonesa à Copa Africana de Nações, ao interromper um hiato de 26 anos da equipe longe da competição. Os Estrelas Leoas fizeram uma campanha surpreendente, mesmo sem a passagem aos mata-matas, depois de arrancarem empates contra Argélia e Costa do Marfim. Kamara era a referência da equipe, embora tenha passado por um episódio lamentável. O atacante perdeu um pênalti contra Guiné Equatorial, no jogo que poderia dar a classificação, e sua casa seria atacada em Freetown.

Por seus serviços prestados na MLS, Kei Kamara conseguiu um novo contrato com o CF Montréal. Será o nono clube de sua carreira na liga, um recorde, em lista na qual o segundo colocado não passa de seis equipes diferentes. No Canadá, o veterano será companheiro do queniano Victor Wanyama e do hondurenho Romell Quioto, dois nomes importantes de seus países, além de uma legião de canadenses que podem jogar a Copa do Mundo, com destaque ao zagueiro Kamal Miller e ao volante Samuel Piette. Mais legal, o Montréal está na Concachampions e Kamara terá a chance de jogar o torneio depois de 13 anos. Certamente adicionará mais um capítulo bacana a uma das trajetórias mais bonitas da MLS.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo