MLS

Atlanta United quebra recorde da MLS e oficializa a contratação do promissor Thiago Almada

Atlanta United pagou US$16 milhões por Thiago Almada, maior valor já investido em uma contratação na MLS

O talento de Thiago Almada é conhecido há tempos no futebol argentino – e por quem joga Football Manager. O meia aparece entre as principais promessas do Vélez Sarsfield ano após ano. Em 2021, o garoto de 20 anos disputou pela primeira vez a Copa Libertadores e também esteve nas Olimpíadas com a seleção argentina. Sua transferência era um fato consumado e a questão era quando seria anunciada pelo Atlanta United. Nesta quarta-feira, o clube americano oficializou o negócio. Almada disputará a MLS a partir desta temporada, se tornando mais um talento sul-americano que faz a ponte para a liga, quando tinha bola para pintar na Europa. O Atlanta pagou US$16 milhões, novo recorde da Major League Soccer.

Thiago Almada ganhou suas primeiras chances no Campeonato Argentino em 2018. A partir de então, se consolidou não apenas como um nome ao futuro, mas também como um dos principais jogadores do Vélez. Habilidoso e incisivo, decidiu jogos com frequência aos velezanos. E tal capacidade se viu nas competições continentais. Em 2020, Almada foi um dos principais jogadores na campanha até as semifinais da Copa Sul-Americana. Em 2021, fez ótimas partidas na fase de grupos da Libertadores, embora tenha sido desfalque nas oitavas de final.

A ausência de Almada se deu exatamente por causa da seleção argentina. O meia disputou os Jogos Olímpicos de Tóquio, embora tenha ficado restrito aos minutos finais dos jogos em que participou. Também seria chamado por Lionel Scaloni para um período de treinamentos com a seleção principal durante a Data Fifa de novembro. Está claro como é um jogador para o futuro da Albiceleste.

O acerto do Vélez com o Atlanta United pela venda de Almada aconteceu ainda em dezembro, mas a oficialização pelo clube americano levou um tempo maior. Como o argentino se juntaria apenas para a nova temporada, a confirmação aconteceu nesta quarta-feira. E existem expectativas naturais para que o meia se consolide como um dos maiores talentos da liga. O valor pago diz muito sobre o tamanho do investimento. Depois da decepção com Esequiel Barco, que retornou à Argentina através do River Plate, Almada deve ser o principal teste de fogo para saber se a MLS servirá mesmo de ponte a jovens sul-americanos com qualidade para despontar na Europa tempos depois.

Treinado pelo mexicano Gonzalo Pineda, o Atlanta United possui um dos melhores elencos da MLS. Jogadores como Josef Martínez, Jürgen Damm, Luiz Araújo, Ossie Alonso, Santiago Sosa, Miles Robinson e Brad Guzan são alguns dos nomes conhecidos à disposição. A equipe fez a quinta melhor campanha da Conferência Leste na temporada 2021, mas perdeu para o futuro campeão New York City logo na primeira fase dos playoffs. Mas é um time que tem feito bons papéis desde que passou a integrar a liga, especialmente pelo protagonismo dos sul-americanos.

A Argentina conta com 33 jogadores em atividade na MLS. Tirando Estados Unidos e Canadá, é o país com mais atletas na competição. Gonzalo Higuaín é o nome mais conhecido, mas o fluxo tem se tornado cada vez maior, especialmente entre os jovens. Considerando os outros novatos, vale ficar de olho em Alan Velasco, ponta de 19 anos que o FC Dallas tirou do Independiente por US$7 milhões. Ainda assim, Almada chega em condições de ser o maior expoente.

Vale ressaltar ainda como o Atlanta United é um clube que joga para cima os valores investidos na MLS. As três contratações mais caras já feitas na liga são do time da Geórgia. Almada ultrapassa os compatriotas Pity Martínez e Esequiel Barco, que não vingaram nos Estados Unidos, mas estabeleceram os recordes anteriores em 2019. Luiz Araújo é outro nome do Atlanta no Top 5. A equipe também fez duas das três vendas mais caras da história da MLS, ao negociar Miguel Almirón com o Newcastle e repassar Pity Martínez ao Al-Nassr. O potencial de Almada também permite acreditar que ele poderá pontear tal lista dentro de alguns anos.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo