Estados UnidosMLS

Decisão e despedida

Pelo segundo ano consecutivo, Los Angeles Galaxy e Houston Dynamo farão a final da MLS Cup em Los Angeles. A partida deste sábado se torna mais especial porque será a última de David Beckham com a equipe da Califórnia.

Em meio a disputa da Concacaf Champions League, nenhuma das equipes teve uma louvável primeira parte de temporada regular. Mas quando o tempo certo chegou, os diferenciais dos dois clubes apareceram e os dois garantiram suas vagas nos playoffs.

Outra semelhança foi que os dois clubes tiveram que passar pela fase de wildcard dos playoffs. E os dois venceram seus adversários por 2 a 1. Enquanto o Dynamo bateu o Fire em Chicago, o Galaxy conquistou sua vaga em cima do Vancouver Whitecaps.

Na fase seguinte, mais uma semelhança: as duas equipes bateram os melhores da temporada regular em cada conferência. O Dynamo fez o trabalho de casa e facilitou sua vida no duelo contra o Sporting Kansas City, enquanto o Galaxy precisou vencer os Earthquakes em San Jose depois de perder a primeira partida em casa.

E adivinha o que apareceu nas finais de conferência? Sim, mais uma semelhança. As duas equipes fizeram a diferença de seus confrontos nos jogos de ida, realizados em seus estádios. Enquanto o Galaxy bateu o Seattle Sounders por 3 a 0, o Dynamo venceu o D.C. United por 3 a 1. Na volta, foi só administrar para garantir o título de conferência e a vaga na final da MLS.

Enquanto a forma de classificação das franquias para a final é bem semelhante, a composição de seus elencos é bem diferente. Enquanto o Galaxy aposta nas estrelas para fazer a diferença, o Dynamo prefere contar com o jogo coletivo que tem dado certo desde que a equipe entrou na MLS.

Pelo lado do Dynamo, as constantes mudanças táticas do técnico Dominic Kinnear podem oferecer um grande problema ao Galaxy. Os laranjas oferecem muito perigo tanto no 4-4-2 quanto no 4-3-3.

A principal forma de ataque deve ser com os meias abertos, o hondurenho Boniek Garcia e Brad Davis. Os dois fizeram boas jogadas durante os playoffs e o gol do Dynamo na partida de volta contra o D.C. United saiu em uma combinação entre os dois. Muitos dizem que se Davis não estivesse machucado na última MLS Cup, o resultado poderia ser diferente.

No centro do ataque, aparece Will Bruin, vice-artilheiro dos playoffs, com quatro tentos. Vindo da Universidade de Indiana, Bruin é um atacante forte e que se posiciona muito bem, principalmente em situações de cruzamento. E aí o urso dançante não perdoa mesmo.

Enquanto isso, os donos da casa terão seu trio de estrelas que funcionou tão bem por apenas mais um jogo. Robbie Keane deve ficar, mas David Beckham já garantiu que é seu último jogo pelo Galaxy e existem rumores de que Landon Donovan também pode estar de saída da equipe californiana.

Os três jogadores designados são os grandes pilares da equipe e, como sempre, eles recebem ajuda do Mr. November, Mike Magee. Apesar de não ser tão badalado quanto os companheiros, o meia sempre aparece durante os playoffs, por isso o apelido.

Só que a equipe precisa deixar menos espaço para o Dynamo, já que sofreu bastante com os Sounders na partida de volta. Se Davis e Garcia tiverem a liberdade que os jogadores de Seattle receberam, eles podem causar sérios problemas à defesa californiana.

Será um jogo emocional, já que marcará a última partida de Beckham pelo Galaxy. Então imagino que o Dynamo venha com um ímpeto ainda maior para tentar acabar com a festa em Los Angeles. Mais preparado e com Davis em campo, as chances do time laranja são maiores do que as do ano passado. Só que atuar contra o Galaxy em Los Angeles não é a tarefa mais fácil do mundo.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo