Estados UnidosMLS

Abrindo vantagem

No último domingo (11), aconteceram as partidas de ida das finais de conferência da MLS. As duas equipes que jogaram em casa conseguiram ótimas vantagens para a volta, que serão realizadas neste domingo (18).

No Oeste, o Los Angeles Galaxy recebeu o Seattle Sounders no Home Depot Center. O técnico Sigi Schmid, dos visitantes, não contou com Mauro Rosales e escolheu uma formação mais defensiva, com apenas Fredy Montero no ataque e Alex Caskey fechando o meio pelo lado esquerdo. Enquanto isso, o Galaxy foi com o tradicional 4-4-4-2 de Bruce Arena.

O conservadorismo de Schmid colocou os Sounders em risco. Ninguém encostou em Montero e o colombiano foi presa fácil para a defesa do Galaxy, até liberando os avanços mais frequentes do lateral direito Sean Franklin.

O primeiro gol do Galaxy até demorou para sair e veio com Robbie Keane, quando a movimentação do ataque da equipe de Los Angeles surtiu efeito e Landon Donovan achou o irlandês praticamente sozinho na pequena área.

No segundo tempo, o contra-ataque do Galaxy matou a partida em apenas quatro minutos. Mike Magee, o Mr. November, apareceu mais uma vez em playoffs e ampilou a vantagem. Logo depois, Keane certificou que o chute de Christian Wilhelmsson entraria e colocou seu pé para garantir o terceiro da equipe da casa.

Por mais que jogar em Seattle seja algo difícil, não vejo os Sounders oferecendo algum perigo à vantagem do Galaxy sem que Eddie Johnson e Mauro Rosales comecem a partida. Os Rave Greens precisam dos dois jogando bem, criando jogadas e finalizando junto com Montero.

No Leste, o D.C. United foi à Houston enfrentar o Dynamo depois de ter jogo contra o New York Red Bulls adiado em um dia. E foi uma partida caótica e sensacional para conseguir a classificação. A equipe da capital foi com seu elenco com muitos jogadores novos, mas ficou sem o líder Chris Pontius depois de 13 minutos. Os donos da casa estavam completos, incluindo o brasileiro Luiz Camargo, emprestado pelo Paraná Clube.

No primeiro tempo, a movimentação do ataque de Washington confundiu bastante a defesa do Dynamo e abriu espaços para bons avanços. Foi assim que saiu o gol de Nick DeLeon. O novato lançou Lionard Pajoy e marcou no rebote do chute do atacante.

Mas uma jogada do final da etapa pode ter selado o destino da vaga na final da MLS Cup. Raphael Augusto, jovem emprestado pelo Fluminense, sairia na cara de Tally Hall e poderia ampliar o placar. Mas Andrew Hainault evitou com o que parecia ser uma falta e expulsão óbvia. O árbitro Ricardo Salazar nem marcou infração no lance.

E claro que Hainault apareceria de forma impactante no segundo tempo. Em uma jogada ensaiada de bola parada, o zagueiro canadense completou para o gol e empatou a partida em Houston.

Aí Dominic Kinnear resolveu mudar o esquema para o 4-3-3 que funcionou muito bem nos últimos jogos da temporada regular. Surtiu o mesmo efeito, já que o Dynamo conseguiu o segundo gol com Will Bruin, artilheiro dos playoffs, e o terceiro com Kofi Sarkodie.

Em Washington, o DC terá uma missão difícil, só que é menos complicada que a dos Sounders. A defesa do Dynamo se mostrou vulnerável em várias partidas da temporada regular e o ataque do United provou que pode fazer estragos, ainda mais se Pontius voltar a tempo do jogo.

O que nos resta é sentar e assistir dois dos últimos três jogos de uma temporada interessante da MLS. A final será no dia 1º de dezembro, na casa da equipe de melhor campanha na temporada regular (DC, Seattle, Los Angeles e Houston, em sequência).

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo