Espanha

Liderança e identificação devem fazer veterano renovar com o Atlético de Madrid

Em pouco tempo, Azpilicueta conquistou a confiança de Simeone e de todos no clube colchonero

César Azpilicueta chegou ao Atlético de Madrid no início de 2023/24, mas parece que defende o clube há muitas temporadas. Internamente, a comissão técnica de Diego Simeone lamenta que o lateral-direito/zagueiro não tenha se juntado antes ao Colchonero.

Seu desempenho em campo, aliado a capacidade de liderança, competitividade e experiência, fizeram de Azpilicueta uma peça fundamental para Simeone, esteja ele dentro das quatro linhas ou não.

Após mais de uma década defendendo o Chelsea, o veterano espanhol decidiu mudar de ares e acertou a transferência ao Atlético em julho de 2023. A rescisão amigável em Stamford Bridge o possibilitou assinar sem custos com a equipe colchonera.

O vínculo de Azpilicueta com o Atlético de Madrid é de uma temporada, com opção de extensão por mais uma dependendo da quantidade de jogos disputados.

Azpilicueta renovará com o Atlético?

Segundo o jornal Marca, em nenhum momento o Atlético cogitou a saída de Azpilicueta. Pelo contrário. Em janeiro deste ano, logo após sofrer grave lesão no menisco externo da perna esquerda e perder jogos importantes, o lateral foi procurado pela direção do clube, que lhe prometeu a renovação de vínculo.

O lateral atingiu a quantidade de partidas prevista no gatilho do contrato. Ainda assim, mesmo se não tivesse batido tal ‘meta’, dificilmente o Atlético deixaria o jogador de 34 anos partir. Em 2023/24, ele disputou 34 partidas e concedeu duas assistências.

Azpilicueta em ação pelo Atlético de Madrid (Foto: Icon Sport)

Moral com a torcida

Direção e comissão técnica, como citado, estão orgulhosas da contratação de Azpilicueta. Mas o que falar da torcida colchonera? Virou rotina reverenciar o lateral espanhol nas partidas realizadas no Cívitas Metropolitano. Das arquibancadas, adeptos da equipe apreciam a entrega do veterano em campo.

As redes sociais também não mentem, e são muitas as reações positivas ao ex-Chelsea. Mesmo com pouco tempo de casa, Azpi já é considerado um colchonero. 

Após a vitória do Atlético sobre a Real Sociedad por 2 a 0, em jogo válido pela última rodada de La Liga, Azpilicueta publicou texto de agradecimento aos torcedores nas redes sociais. Ele lamentou a temporada sem títulos, mas exaltou o apoio dos fãs e projetou um 2024/25 melhor para o clube de Madrid.

“Hoje encerramos a minha primeira temporada como rojiblanco com uma vitória. Nesse 23/24 gostaríamos de poder celebrar mais alegrias com a nossa gente, uma ilusão que a equipa gerou, mas que não sabíamos como concretizar nos momentos-chave.

Gostaria de agradecer o apoio que vocês demonstraram desde o primeiro dia. Você esteve presente em todos os momentos, especialmente nos mais difíceis. É hora de recarregar baterias e regressar com ambição máxima para a próxima temporada”, escreveu Azpilicueta.

Carreira de Azpilicueta

Azpilicueta chegou ao Chelsea em agosto de 2012, vindo do Olympique de Marselha. A identificação com os Blues foi algo natural e genuíno. Querido pela torcida, o lateral sempre representou o clube londrino com a mesma garra e determinação.

Ao todo, disputou 508 jogos pelo Chelsea, com 17 gols, 47 assistências e muitos títulos — incluindo Champions League (1x), Mundial de Clubes (1x), Premier League (2x) e Liga Europa (2x).

Formado nas categorias de base do Osasuna, Azpilicueta não atuava no futebol espanhol desde 2010, quando trocou o clube de Pamplona pelo Olympique de Marselha. O Atlético de Madrid é o quarto clube da carreira do experiente lateral.

Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Jornalista pela UNESA, nascido e criado no Rio de Janeiro. Cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na Trivela, é redator e escreve sobre futebol brasileiro e internacional.
Botão Voltar ao topo