Espanha

Vamos com calma

Metade do que restou da Liga dos Campeões é espanhola. 75% do que restou da Liga Europa é espanhol. São cinco de oito, uma marca impressionante para qualquer campeonato, mais ainda para um que é acusado, há anos, de ter criado um desnível gigantesco entre seus dois gigantes e o resto. E aí, o Campeonato Espanhol é melhor do que as pessoas vinham achando, talvez até o melhor da Europa?

Bem, não há o que discutir sobre o status de Barcelona e Real Madrid no cenário internacional. Os merengues podem até trombar no Bayern, mas é consenso que os dois gigantes espanhóis são os melhores times do mundo na atualidade. A questão é sobre Atlético de Madrid, Athletic Bilbao e Valencia e até que ponto o nível desses times em comparação com o resto da Europa deixaria La Liga como o campeonato nacional mais poderoso do mundo.

A favor dos espanhóis conta o fato de o Athletic Bilbao ter vencido (de forma absolutamente contundente) o Manchester United. Mas nem isso muda o fato de que o segundo escalão espanhol não está no mesmo nível dos grandes dos demais países. Os principais times da Inglaterra (Arsenal, Manchester United, Manchester City e Chelsea) estão em um ano de transição e tiveram desempenho inconstante o ano todo. Isso custou aos três primeiros eliminações precoces na Liga dos Campeões. Mas, mesmo tropeçando nas próprias pernas, o Chelsea tirou o Valencia da LC sem grande contestação.

Esse tipo de problema não ocorreu apenas na Inglaterra. Na Alemanha, o Bayern brilha e surge como único time a fazer sombra a Barça e Real. Os bávaros não são tão superiores ao Borussia Dortmund, o que deixa evidente como a péssima campanha dos aurinegros na LC (lanternas em grupo com Arsenal, Olympique de Marseille e Olympiacos) foi acidental. O Bayer Leverkusen foi humilhado pelo Barcelona, mas já havia eliminado o Valencia.

Entre os italianos, o Milan deu trabalho ao Barcelona e o Napoli venceu duas vezes o Villarreal (OK, o Villarreal faz uma temporada muito ruim e não é parâmetro para nada), mas quase passou pelo Chelsea. A Internazionale está em crise técnica e também não serve muito de parâmetro. A Juventus, líder da Serie A, não disputou a LC.

Vendo o desempenho dos concorrentes, fica evidente como muitas circunstâncias acabaram favorecendo os times espanhóis, sobretudo os da Liga Europa. Clubes europeus igualmente ou mais fortes tiveram anos instáveis e ficaram pelo caminho, abrindo espaço para esse domínio espanhol.

Claro, há méritos nos times de La Liga. O Atlético de Madrid também passa por uma temporada instável, e mesmo assim está vivo na Liga Europa. O Athletic Bilbao tem um elenco enxuto e, principalmente, venceu os dois grandes confrontos (Manchester United e Schalke) que teve pela frente. O Valencia não brilha, mas sabe usar sua experiência em competições internacionais.

Se os outros abriram caminho, mérito de quem soube aproveitar, claro. O que não se pode é olhar para as semifinais dos torneios europeus e já cravar que o Campeonato Espanhol é o melhor do planeta. É uma competição com times que souberam jogar a temporada, mas precisa melhorar muito. Precisa de mais equilíbrio. Precisa que seus times médio-grandes não brilhem apenas na Liga Europa. E precisa mostrar que terá essa mesma força internacional quando ingleses, alemães e italianos se arrumarem. O que pode perfeitamente acontecer já na próxima temporada.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo