Espanha

Temos um campeonato

Foi hilário acompanhar a transmissão do jogo entre Atlético de Madrid e Barcelona pelo site do Diário Marca. Declaradamente madridista, as narrações das jogadas de perigo do Atleti pareciam situações de emoção extrema, dada a paixão devotada ao Real Madrid. No final das contas, independente da torcida dos jornalistas, o Atlético conseguiu uma surpreendente vitória, de virada, sobre o Barça por 4 a 3, e colocou fogo na Liga espanhola.

Tudo porque no sábado os Merengues conquistaram o décimo triunfo consecutivo na competição, ao derrotar o Espanyol, em terras catalãs. Assim, o Campeonato Espanhol, de repente, ganhou uma emoção inesperada, dado que ninguém imaginava essa remontada madrilena e a derrocada barcelonista. Somente quatro pontos separam Barcelona e Real Madrid.

Em apenas três rodadas, o Barcelona perdeu oito pontos. Além da derrota para o Atlético, os Culés também foram superados no clássico com o Espanyol na semana passada e na anterior ficou no 2 a 2 com o Betis. Enquanto isso, o Real atropelava seus adversários e diminuía drasticamente a desvantagem na tabela.

Muitos podem alegar que, neste final de semana, o Barcelona sentiu o baque de ter empatado com o Lyon, fora de casa, em 1 a 1 pelas oitavas-de-final da Liga dos Campeões. No entanto, o argumento seria o mesmo para o Real Madrid, já que os blancos sofreram um duro revés diante do Liverpool, por 1 a 0, no Santiago Bernabéu.

De qualquer modo, o que mais deve ser analisado é o momento do Barcelona. Há algumas semanas, nesta coluna, a equipe comandada pelo técnico Pep Guardiola era elogiada, não só pelo talento de seus jogadores e a boa armação técnica, mas também pela boa fase.

Na prática, a boa fase acontece quando torcida e diretoria estão ao lado do elenco. Jogador de futebol é um ser que precisa ter seu ego afamado todo o tempo. Ele carece de elogios, motivação. Assim, o apoio de fora do grupo é fundamental.

No entanto, tudo que vinha acontecendo no Camp Nou parece ter ido por água abaixo. Samuel Eto'o não esconde de mais ninguém que pretende deixar o clube ao final da temporada. Messi segue jogando bem, mas seus companheiros no meio-campo, Xavi e Iniesta, não estão com a mesma forma da Eurocopa.

Com isso, o Barcelona permitiu uma aproximação do Real Madrid, que, diga-se de passagem, pratica o melhor futebol da Espanha atualmente. Juande Ramos conseguiu fazer com que a equipe jogasse de forma leve e ofensiva. Raul, por mais que os críticos se oponham, está em uma fase esplendorosa. A defesa foi arrumada e o meio ficou equilibrado com Lassana Diarra.

Assim o Campeonato Espanho caminha. Por mais que o título, como esperado, vá ficar entre Barcelona e Real Madrid, o cansaço de outrora já não existe mais. Pelo contrário: em 3 de maio, no Santiago Bernabéu, Madrid e Barça, provavelmente, decidirão o campeonato. Até lá, cabem a elas manterem, ou recuperarem, o ritmo.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo