Espanha

‘Sou o primeiro a querer ser campeão’: Simeone destrincha modesto 2023/24 do Atlético

Técnico colchonero valorizou desempenho nas copas, mas admitiu frustração com falta de títulos

Após frustrações nas competições de mata-mata, o Atlético de Madrid conseguiu um alento nesta reta final de temporada. Na última quarta-feira (15), o time colchonero venceu o Getafe por 3 a 0, com direito a hat-trick de Griezmann, e confirmou classificação para próxima edição da Champions League. O triunfo fora de casa, combinado com a derrota do Athletic Bilbao na rodada de La Liga, sacramentou a vaga da equipe de Diego Simeone. Apesar do 2023/24 modesto, o treinador argentino valorizou o feito e deu créditos aos jogadores e comissão técnica.

— É sempre uma avaliação positiva para o trabalho dos jogadores, da comissão técnica e de todos os que trabalham em torno da equipe. Alcançar os objetivos principais, continuar na Champions League e continuar crescendo (…) Se você não valoriza o que faz, você não melhora, os outros nunca valorizam. Valorizo ​​muito o que fazemos, o que os jogadores geram para o crescimento do clube. Depois tem as outras equipes, que são muito boas. Precisávamos competir para estar na Champions League e estivemos bem em casa. O trabalho parece fácil, mas não é fácil estar lá ano após ano, em princípio, entre os quatro primeiros — disse Simeone.

Durante a coletiva pós-jogo, Simeone foi questionado sobre qual nota daria para temporada do Atlético. Cholo optou por não dar nota, mas respondeu à pergunta com seriedade e sinceridade. O técnico colchonero fez questão de deixar claro que seu objetivo sempre será conquistar títulos, coisa que não foi possível em 2023/24. Mesmo assim, elogiou a longevidade de sua equipe nas copas.

— Primeiro a temporada tem que terminar. Podemos debater se é extraordinária, boa ou mediana (…) Quero ser campeão mais do que ninguém, trabalho com uma vontade tremenda de encher o balão da melhor maneira, mas às vezes ele fura. Lutamos contra outros. O Real Madrid conquistou 22 pontos a mais do de nós. O Barcelona conseguiu três ou seis. Chegamos às semifinais da Copa (do Rei) e às quartas de final da Champions League. Vamos valorizar o que temos, sou o primeiro que quer ser campeão. Não é fácil vencer.

— Não tivemos a força que deveríamos ter tido nos jogos em casa com o Bilbao (Copa do Rei) e Borussia (Champions League). Tivemos oportunidades para marcar e isso não aconteceu.

Desempenho do Atlético em cada competição

A campanha do Atlético de Madrid em La Liga não foi de encher os olhos. Longe disso. Porém, ao menos, serviu para classificar a equipe à Champions League. Em 36 rodadas disputadas até o momento, o time colchonero conquistou 73 pontos. São 23 vitórias, quatro empates e nove derrotas, com 67 gols marcados e 39 sofridos. Líder isolado e campeão antecipado da competição nacional, o Real Madrid soma 93 pontos.

Na Copa do Rei, a trajetória do Atlético chamou a atenção positivamente. Já o desfecho, nem tanto. O Colchonero eliminou Lugo (terceira fase), Real Madrid (oitavas de final) e Sevilla (quartas de final), mas acabou sucumbindo diante do bom Athletic Bilbao que, mais tarde, encerraria um jejum de 40 anos e voltaria a conquistar o título do mata-mata nacional.

Por fim, mas não menos importante, o Atlético de Madrid também iludiu seu torcedor na Champions League. Afinal, alcançou as quartas de final do torneio mais importante do futebol europeu. Líder isolado do Grupo E, que contava com Lazio, Feyenoord e Celtic, o time espanhol eliminou a excelente Internazionale de Simone Inzaghi nas oitavas de final, contudo, não foi páreo para o Borussia Dortmund. Após vencer em casa por 2 a 1, os colchoneros não seguraram os aurinegros em solo alemão e acabaram derrotados por 4 a 2.

Últimos jogos do Atlético na temporada

  • Atlético de Madrid x Osasuna — 37ª rodada de LaLiga — 19/05
  • Real Sociedad x Atlético de Madrid — 38ª rodada de LaLiga — 25/05
Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo