Espanha

Rakitic: “Tiraram a bola de mim e eu me sinto triste”

Ivan Rakitic está triste. Foi relegado a um papel periférico nesta temporada, com a chegada de Frenkie de Jong. Fez dez jogos na temporada, apenas um como titular, e somou um total de 255 minutos em campo. Longe de ser o bastante para o meia de 31 anos que foi peça importante do time do Barcelona nos últimos anos.

[foo_related_posts]

“Como minha filha se sente quando tiram um brinquedo dela? Triste. Eu me sinto igual. Tiraram a bola de mim e me sinto triste”, disse, em entrevista ao programa de Jorge Valdano que será veiculada na íntegra na quinta-feira. “Entendo e respeito as decisões do treinador, do clube ou de quem quer que seja. Dei muito nesses cincos no Barcelona e quero continuar aproveitando. Tenho 31 anos, não tenho 38 anos, e sinto que estou em meu melhor momento”.

Rakitic chegou do Sevilla, em 2014, e foi um dos pilares do meio-campo do time de Luis Enrique na conquista da Tríplice Coroa naquela temporada. Continuou como titular absoluto nos dois primeiros anos do trabalho de Ernesto Valverde, mas, atualmente, esquenta o banco para o meio-campo geralmente formado por Sergio Busquets, Arthur e De Jong.

Durante o mercado de verão, foi um dos jogadores especulados na negociação por Neymar, do Paris Saint-Germain, mas acabou ficando, embora siga muito ligado a uma transferência à Internazionale na imprensa europeia.

 

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo