Copa do ReiEspanhaLa Liga

O Real Madrid lutou até o último minuto para estabelecer o novo recorde de invencibilidade

O Real Madrid atingiu uma fronteira inédita no futebol espanhol. Nunca um clube do país havia acumulado 40 partidas de invencibilidade em jogos oficiais. O recorde, igualado pelos merengues no final de semana, era do Barcelona de Luis Enrique. Já nesta quinta, o time de Zinedine Zidane quebrou a barreira, e se empenhou para isso. O gol do empate por 3 a 3 contra o Sevilla, no Estádio Ramón-Sánchez Pizjuán, veio aos 47 minutos do segundo tempo. Uma pintura de Karim Benzema, após tabelar de letra com Marcelo e fazer fila na zaga andaluz. O resultado apenas ratificou a classificação às quartas de final da Copa do Rei, diante dos 3 a 0 dos blancos na ida.

Até pelo placar do primeiro duelo, o confronto na Andaluzia foi bem mais movimentado do que poderia se pensar. O Sevilla não entregou os pontos e partiu para cima do Real Madrid, que escalou vários reservas. Ainda assim, só conseguiu a vantagem mínima antes do intervalo: a partir de uma bola cruzada da direita, o lateral Danilo mandou contra as próprias redes. Mantinha as esperanças dos rojiblancos.

O jogo dos merengues se fazia nos contra-ataques. E, aos três minutos do segundo tempo, Marco Asensio foi perfeito para empatar. Após escanteio do Sevilla, Kiko Casilla socou a bola para fora da área e o jovem partiu em velocidade. Correu cerca de 70 metros, humilhando Kranevitter e Vietto pelo caminho, com direito a drible da vaca e tudo. Completou a pintura tocando por baixo do goleiro David Soria. Os andaluzes, ao menos, não demorariam a dar sua resposta. Três dias depois de sua apresentação, Stevan Jovetic fazia sua estreia no time, saindo do banco para substituir o lesionado Joaquín Correa. Anotou outro belo gol, em chute de primeira.

O Sevilla queria mais, mesmo que a situação no placar fosse complicada. O goleiro Kiko Casilla ia salvando o Real Madrid, mas nada pôde fazer quando Vicente Iborra marcou o terceiro, aos 32 minutos. O Real Madrid, porém, ainda buscaria o empate. Aos 38, Casemiro foi derrubado na área. Pênalti que Sergio Ramos converteu com cavadinha. Na comemoração, o prata da casa pediu desculpas à maioria da torcida local, mas mostrou o nome nas costas a um setor do estádio que costuma o vaiar no retorno à velha casa. Por fim, Benzema assinalou o recorde nos acréscimos. A vontade dos merengues em não perder a sequência era evidente. Marcelo já tinha se tornado um ponta. E tabelou com o francês, para confirmar o nome deste time blanco na história.

O Real Madrid de Zidane está a três jogos de igualar a Juventus, dona do recorde de invencibilidade entre as quatro grandes ligas europeias. Um objetivo alcançável, mesmo que tenha obstáculos consideráveis pela frente. O próximo adversário em La Liga é o próprio Sevilla, na Andaluzia, com os rojiblancos tentando reduzir a diferença no topo da tabela. No entanto, o que não falta aos merengues é sede por novas marcas.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo