Espanha

O amistoso entre Atleti e United foi decidido por outro português, com gol de João Félix no fim

Cristiano Ronaldo não esteve presente ainda e João Félix saiu do banco para garantir o triunfo do Atleti

Diante dos rumores de que Cristiano Ronaldo poderia ir para o Atlético de Madrid e da rejeição veemente da torcida, um amistoso da pré-temporada realizado em Oslo colocou frente a frente o Manchester United contra o Atleti. O craque não chegou a atuar dessa vez. E os colchoneros saíram com a vitória por 1 a 0, com o auxílio de outro português. João Félix decidiu a parada já na segunda etapa, depois de sair do banco.

O Manchester United entrou em campo com Tyrell Malacia, entre as novidades para a temporada. Christian Eriksen participou no segundo tempo, enquanto Lisandro Martínez permaneceu só no banco. A equipe de Erik ten Hag não estava com força máxima. Já o Atlético de Madrid tinha Nahuel Molina como grande novidade na ala direita. Também era uma equipe desfalcada de Diego Simeone. Matheus Cunha aparecia no comando do ataque, com Axel Witsel participando no segundo tempo.

O Manchester United até foi mais agressivo ao longo do jogo e finalizou mais. Porém, Simeone trocou o time praticamente inteiro no segundo tempo e os substitutos garantiram uma dose extra de talento, com vários nomes importantes participando do jogo. O gol saiu aos 41, numa roubada de bola no campo de ataque. João Félix recebeu na entrada da área, limpou a marcação e bateu no canto de David de Gea. Fred ainda terminou expulso, com o segundo amarelo, ao acertar Álvaro Morata.

O Manchester United ainda fará mais um amistoso neste domingo, contra o Rayo Vallecano. Cristiano Ronaldo prometeu estar em campo. A estreia na temporada acontece no próximo final de semana, contra o Brighton. Já o Atlético de Madrid ainda pegará Cádiz e Juventus, antes da estreia em La Liga contra o Getafe dentro de duas semanas.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo