Espanha

Não deslanchou

O jornal Marca é um parâmetro para medir os problemas do Real Madrid. Abertamente madridista, a publicação tem boas fontes no clube e é um indicativo do ânimo dos torcedores. Nesta segunda sua capa é a espetacular conquista da Espanha na Copa Davis, em vitória épica sobre a Argentina. O outro destaque, no entanto, diz: “Crise? Que crise?”, logo abaixo da foto de Thierry Henry.

Ou seja, o inesperado empate do Barcelona com o Getafe, por 1 a 1, em pleno Camp Nou, além de diminuir o ímpeto da equipe catalã, ainda deu sobrevida ao maior rival. Mesmo jogando mal, o Real está a apenas três pontos dos líderes barcelonistas.

Já de olho no importante confronto com o Sporting, pela Liga dos Campeões, que valerá a liderança do Grupo C, o Barcelona entrou menos preocupado em campo. Não esperava, porém, que o Getafe complicasse sua vida em casa.

O Barcelona foi muito melhor durante todo o jogo, dominou as ações no meio-campo e criou boas jogadas. Porém, pecava sempre na finalização. O gol de Manu, aos 19 minutos, apenas aumentou a pressão do Barça. O empate veio somente aos 26 do segundo tempo, com Keita. O resultado teve outro gosto amargo: impediu que o clube chegasse à décima vitória consecutiva.

Talvez por isso o Marca tenha usado esse empate para tentar levantar a moral do Real Madrid, que mais uma vez jogou mal, foi vaiado no Santiago Bernabéu e venceu, no sofrimento, o Recreativo Huelva por 1 a 0.

Bernd Schuster segue com seu trabalho contestado por todos, apoiado (aparentemente) apenas pela diretoria. Higuaín se machucou e aumentou um pouco mais a lista de blancos lesionados. Tanto que seu substituto foi Javier Saviola, desprezado pela atual comissão técnica, mas que pode ganhar espaço agora – vale lembrar que Van Nistelrooy só volta em 2009.

Para completar a rodada de sorte do Real, o último invicto da Liga espanhola caiu de maneira estrondosa em casa. Diante do Valladolid (que já derrotou neste ano Sevilla e Real), o Villarreal perdeu por sonoros 3 a 0 em pleno Madrigal. Assim o Submarino Amarillo, além de perder a invencibilidade, caiu para o terceiro posto.

De quebrar, Sevilla e Valencia não saíram do 0 a 0 e o Atlético de Madrid, impressionantemente, conseguiu deixar escapar a vitória mais uma vez nos acréscimos.

Se seguir assim, mesmo com um péssimo futebol, o Real Madrid chega na pausa de inverno próximo do Barcelona e em condições de brigar pelo título. E isso é importante porque, segundo a diretoria, virão alguns reforços de peso para o elenco. Antes disso, porém, terá que passar pelo BATE Borisov, em Belaru, no meio desta semana, para seguir com o sonho da décima Liga dos Campeões.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo