Champions LeagueEspanhaEuropa

Mourinho: “É mais fácil jogar contra um grande adversário”

José Mourinho prevê uma grande atuação do Real Madrid para o primeiro confronto com o Manchester United, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões. O treinador acredita que, diante um grande adversário, os merengues jogarão o seu máximo e deixarão para trás os tropeços recentes. A partida acontece nesta quarta-feira, no Estádio Santiago Bernabéu.

“É mais fácil para os jogadores medirem-se a grandes adversários. Nesta temporada nos falta apetite, ambição. Na Champions, tivemos que jogar ao mais alto nível para ficar em primeiro ou segundo no grupo. Amanhã jogaremos contra um grande adversário e devemos estar a altura para conseguir um grande resultado”, disse o técnico, durante coletiva.

“Temos feito um trabalho tático. Os jornalistas sempre sabem o que fazemos graças às suas fontes, que um dia são de água mineral e outra de água podre. Sabemos como vamos jogar e esperamos e esperamos conseguir, mas estamos diante de uma equipe fortíssima, que sabe manejar as variáveis”, completou.

Mourinho também colocou o terceiro título na Liga dos Campeões como objetivo de carreira: “Existem grandes clubes que nunca ganharam a Champions, assim como grandes treinadores. O Real Madrid ganhou nove e eu, duas. Somos privilegiados. O Real Madrid quer a décima e eu, a terceira. Vou lutar até que chegue, não sei se este ano ou no próximo. Confio no meu trabalho. Não penso em terminar minha carreira com duas Champions”.

Por fim, Mourinho não poupou Sir Alex Ferguson dos elogios e comentou o possível retorno à Inglaterra: “Todos esperamos uma grande partida. Conheço Ferguson e creio que queira ter uma grande atuação. Não penso em substituí-lo no United, já que devemos terminar a carreira ao menos tempo – ele com 90 anos e eu com 70. Não sei quando retornarei à Inglaterra, mas logicamente é meu próximo passo”.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo