Copa do ReiEspanhaLa Liga

Messi sobre motivação na Copa do Rei: “Queremos tudo e vamos tentar. Somos o Barça. Não tiramos o pé de nada”

O Barcelona entrou em campo na quarta-feira precisando vencer o Sevilla por ao menos dois gols pela Copa do Rei, revertendo os 2 a 0 no jogo de ida, fora de casa. O jogo no Camp Nou teve emoções, pênalti defendido e uma atuação excelente do time, que acabou em uma goleada por 6 a 1. Mais do que reverter o resultado, o Barcelona teve uma exibição de gala. E uma das motivações para isso foi porque o elenco leu e ouviu muito que achavam que não davam importância para a Copa do Rei. E mostraram, em campo, que não era isso.

LEIA MAIS: O Barça transformou a esperança do Sevilla em pó, e com uma poesia de gol até mais humilhante que os 6×1

“Esta partida era um desafio para nós e sabemos que quando o jogo pede, a equipe dá um passo adiante”, afirmou o técnico Ernesto Valverde antes do jogo, na coletiva de imprensa. Bom, não dá para dizer que ele não tinha razão, dada a avalanche que se viu no Camp Nou. O Barcelona atropelou o time da Andaluzia e fez mais até do que precisava, depois de perder o jogo de ida por 2 a 0.

“Depois do jogo de ida, alguém achou que isso não era importante para nós, mas eu já tinha dito que tentaríamos a reviravolta”, disse Sergi Roberto, autor de um dos gols da equipe. “É uma equipe de ganhadores. Estamos acostumados a estas partidas e muito contentes em como foi a partida”, disse Jordi Alba, lateral esquerdo que tem mostrado entendimento quase perfeito com Lionel Messi.

Messi, aliás, foi bem claro ao final do jogo. “Talvez se interpretou mal a minha mensagem no início da temporada [quando ele falou no Troféu Joan Gamper], ‘Este ano vamos com tudo para a Champions, essa Copa tão linda’, se entendeu como se fosse a prioridade e por aqui se dizia que não íamos com tudo na Copa do Rei, que não a queríamos”, afirmou Messi. “Queremos tudo e vamos tentar. Somos o Barça. Não tiramos o pé de nada”, afirmou o jogador depois da goleada e classificação na Copa do Rei.

Um outro ponto que se destacou em Messi, que tem sido exaltado, é o fato de que no jogo ele permitiu que um companheiro cobrasse o pênalti ao longo do jogo, mesmo sendo o batedor oficial. No caso, foi Philippe Coutinho. “Ele vinha de cobrar contra o Levante e na ida viemos que ele estava com muita vontade. Ele bateu, fez e estou contente porque assim começou tudo”, afirmou Messi. “Saiu de forma natural”, afirmou Coutinho. “Com esse gesto, Leo demonstra o quanto ele é grande”, continuou.

Ernesto Valverde também elogiou o seu capitão pela atitude. “É um grande gesto porque Philippe precisava desta responsabilidade e logo a alegria por isso”, afirmou. “Coutinho assumiu a responsabilidade e deu um passo à frente”. O gol foi importante para a confiança de Coutinho, que acabou marcando outro gol depois. “Eu tentava e as coisas não saíam bem. Mas nunca deixo de trabalhar duro. Estou contente por marcar e ajudar”, disse o próprio Coutinho. “O que queremos é que esteja contente porque é um jogador muito importante para nós”, disse Sergi Roberto.

Valverde elogiou também o goleiro do time, Jasper Cillessen, que defendeu um pênalti quando o jogo ainda estava aberto. “Foi chave para a partida”, afirmou o técnico. “Cillessen é muito importante e muito querido pelo vestiário”, disse ainda Alba. “Se ele não tivesse defendido o pênalti e o chute anterior de André Silva, a partida teria sido diferente”, adicionou Sergi Roberto.

“Parecia uma noite de Champions pela vontade das pessoas”, afirmou Messi. “Foi um ambiente fantástico do início ao fim. Sempre dizemos que somos muito mais temíveis com o apoio da torcida”, continuou Valverde. “Já disse que esta equipe dá um passo quando tem que dar”, continuou o treinador.

O Barcelona volta a campo neste sábado, contra o Valencia, novamente no Cam Nou. O time é líder do Campeonato Espanhol com 49 pontos, cinco a mais do que o Atlético de Madrid, segundo colocado.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo