EspanhaMundial de ClubesMundo

Messi: “O título é especial porque significa que somos o melhor time do mundo”

sul-americanos. Os torcedores do Barcelona talvez não tenham ligado tanto para o que aconteceu neste domingo, mas os jogadores do time sim. E depois do jogo, Lionel Messi passou pela zona mista do estádio de Yokohama e disse, com todas as letras: “Mostramos que somos os melhores do mundo”. E para entrar em campo, marcar o gol e levantar mais uma taça, Messi teve que se sacrificar.

LEIA TAMBÉM: River jogou como melhor da América, mas o Barcelona jogou como melhor do mundo

“A verdade é que eu senti muita dor, mas felizmente me recuperei e me senti bem no jogo”, contou o argentino, que teve uma crise renal durante a semana e sequer foi ao estádio para a semifinal contra o Guangzhou Evergrande, na quinta-feira. Neste domingo, ele e Neymar, que também se recuperava de uma lesão, entraram em campo como titulares e ajudaram a decidir o jogo em 3 a 0.

Para conseguir entrar em campo, porém, Messi recebeu uma injeção de Nolotil, um analgésico, de forma a controlar as suas dores. O argentino, assim como Neymar, queriam jogar de qualquer forma. Os membros da comissão técnica sabiam que era preciso fazer um trabalho de recuperação e tomar todas as providências para que os dois astros corressem menos riscos de sofrerem novamente problemas. Jogar com dor é difícil e quem já sofreu com pedras nos rins, como era o caso de Messi, sabe que a dor é muito forte. O tratamento que o argentino foi submetido desde que chegou ao Japão foi intenso e o analgésico aplicado foi para aguentar. Mesmo assim, ele ainda tinha que ter vontade de enfrentar a dor. Ele teve.

“Quando seu jogador de referência quer jogar as semifinais e quase não se aguenta em pé… Você pode ser líder por palavra ou voz, mas ele é pelos feitos. Fico muito satisfeito que seja assim e que siga assim por muitos anos”, analisou Luis Enrique, técnico do Barcelona.

“Estamos muito felizes. Fizemos uma grande partida e sempre temos o mesmo objetivo, quanto mais títulos pudermos conquistar, melhor”, continuou o camisa 10. “É especial [ganhar o Mundial], mas não porque jogamos contra uma equipe argentina, mas porque significa que somos o melhor time do mundo”, analisou Messi.

Sergio Busquets, que fez um belíssimo passe para Luis Suárez marcar o segundo gol do Barcelona no jogo, também falou sobre a sensação de ser campeão mais uma vez. “Estou muito contente porque sabíamos que seria difícil, tanto a semifinal quanto a final, e voltamos a demonstrar que somos a melhor equipe do mundo. Estou muito contente por pertencer ao melhor clube do mundo”, disse o camisa 5 do Barça. “Depois do primeiro gol de Leo, tivemos tranquilidade e eles não conseguiram nos contra-atacar”, analisou o volante.

Daniel Alves, que conquistou o seu terceiro mundial de clubes pelo Barcelona, assim como Messi, Busquets, Iniesta e Piqué, também falou sobre a conquista. “Nos ensinaram que futebol é para ser apreciado. Temos uma equipe incrível com gente que nunca perde a esperança de competir e de seguir conquistando coisas”, disse o jogador, que chegou a 30 títulos na carreira. O lateral brasileiro também falou sobre o River, elogiando o adversário por ter conseguido conquistar o título que o levou ao Mundial. “[O River] Ganhou a Libertadores e isso não é nada fácil”.

Quem também exaltou o adversário foi Luis Enrique. “O River competiu, esteve na partida em todo momento, incluindo quando estava perdendo, mas acredito que da forma que nós jogamos hoje, seria complicado para qualquer rival nos vencer”, analisou.

“O futuro é sempre incerto, no futebol é cada vez mais difícil ganhar. No dia de hoje, o que podemos dizer é que finalizamos o ano com cinco títulos e a partir de agora temos que aproveitar estes poucos dias com a família. Ver como se divertem e como encaram os jogos nos deixa otimistas, mas eles são os primeiros a saber que é difícil ganhar”, disse Luis Enrique.

Com os títulos que conquistaram, Iniesta e Messi se tornaram os jogadores com mais títulos na história do Barcelona. Os dois chegaram a 26 taças com a camisa blaugrana, um a mais que o recordista anterior, Xavi Hernández, que também tinha 25. O desafio passa a ser conquistar os títulos da atual temporada, Campeonato Espanhol, Copa do Rei e Champions League. Desde a mudança na competição europeia, que passou a se chamar Champions League ao invés da Copa dos Campeões, ninguém conseguir ser bicampeão. O Barcelona tentará o feito inédito a partir de fevereiro, quando começam os mata-matas do torneio europeu.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo