Espanha

Lição de casa bem feita

Bélgica, Turquia, Bósnia, Estônia e Armênia não figuram entre as principais seleções do mundo. Colocadas em um grupo nas eliminatórias européias para a Copa do Mundo ao lado da atual campeã da Eurocopa, é de se esperar que a primeira colocação, que garante vaga automática no Mundial, já tenha dono. E é isso que a Espanha demonstrou até agora.

Neste final de semana, venceu os estonianos em Tallin por 3 a 0 e por enquanto tem feito seu dever de casa com tranqüilidade. Somado aos triunfos sobre bósnios e armenos, o resultado deixa a Fúria isolada na primeira colocação do Grupo 5, com 100% de aproveitamento em três jogos, oito gols marcados e nenhum sofrido.

Naturalmente, contra os belgas, na quarta-feira, será bem mais complicado, assim como nos jogos contra os turcos, mas o mais importante é que a Espanha não está vacilando diante dos adversários mais fracos. Antigamente, era comum ver os espanhóis tropeçarem diante de seleções teoricamente inferiores. Hoje, a Espanha atua como grande.

Já não é mais possível classificar a Fúria como amarelona. O título da Eurocopa deu a tranqüilidade e confiança necessárias para a ótima safra atual deslanchar. Com a saída de Luis Aragonés e a chegada de Vicente del Bosque, o time também não mudou muito em relação à parte tática, mas, mesmo longe de atuações maravilhosas, mostra um futebol eficiente e de resultados.

Contra a Estônia, foram três gols de bolas paradas, em um jogo onde o meio campo espanhol foi muito bem, principalmente Xavi. Del Bosque, assim como Aragonés, também opta por uma formação em linha nesse setor e mantém Cesc Fábregas no banco de reservas – o que acaba sendo, invariavelmente, uma carta na manga para partidas mais complicadas e truncadas.

No ataque, além de toda categoria de Fernando Torres, a Espanha tem se aproveitado muito bem da capacidade de finalização de David Villa, que tem média de 0,56 gols por jogo com a camisa vermelha da equipe. O jogador do Valencia já é o sexto maior goleador da seleção espanhola, com 22 gols, ao lado de Julio Salinas e atrás somente de Alfredo Di Stéfano (23), Emilio Butragueño (26), Fernando Morientes (27), Fernando Hierro (29) e Raúl (44).

Enquanto isso…

A segunda divisão espanhola teve rodada cheia no final de semana, enquanto os clubes da primeira descansaram. Mais uma vez o grande destaque foi o Salamanca, que lidera a competição com 14 pontos, após sete rodadas. No domingo, a equipe alvinegra venceu, no estádio Helmántico, o Eibar por 2 a 0, com dois gols do veterano atacante Quique Martín, de 35 anos, ex-Espanyol e Villarreal.

Logo atrás aparecem Hércules, Tenerife e Rayo Vallecano, todos com 13 pontos. Quem ainda não conseguiu deslanchar no torneio foram Zaragoza e Real Sociedad. As duas equipes, tradicionais participantes da elite espanhola, ainda estão com uma campanha muito irregular.

Neste final de semana, a Real Sociedad não saiu do 0 a 0 com o Xerez, em plena San Sebastián – ocupa apenas o nono lugar, com dez pontos. Já o Zaragoza foi mais eficiente e goleou o Alavés por 4 a 2 e subiu para a sexta posição, com 11 pontos – Ricardo Oliveira foi o nome do jogo, com um hat-trick.

Quem figura na zona do rebaixamento é o Celta, com míseros seis pontos. Na última rodada empatou com o Elche em 1 a 1, fora de casa.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo