EspanhaLa Liga

Koke: “Gostaria de ser um Gerrard para o Atlético de Madrid”

Steven Gerrard é um exemplo que não se limita às cores de sua camisa. Em tempos nos quais a fidelidade de décadas a um clube é raríssima, os 17 anos do meio-campista como profissional do Liverpool são dignos de aplausos. Por mais que a relação nem sempre estivesse às mil maravilhas, o capitão resistiu a inúmeras propostas e escreveu sua lenda em Anfield. Para ser seguido também em outros lugares. E quem mira os seus passos é Koke, já adorado no Atlético de Madrid, mas que pretende seguir por mais tempo no Estádio Vicente Calderón.

VEJA TAMBÉM: Anfield reservou a Gerrard a despedida que os gigantes merecem

“Por que não poderia ser uma figura similar a Gerrard no Atlético? Nunca se sabe o que acontecerá em sua vida. Tenho contrato com o clube, quero cumpri-lo e estou muito feliz aqui”, afirmou o meio-campista, indagado pelo jornal El Mundo, logo após citar o inglês como exemplo diante das vaias da torcida do Real Madrid a Casillas. “A verdade é que me parece injusto. Vimos há uma semana como as pessoas amam Gerrard, que é um símbolo no Liverpool, e é uma diferença que estejam vaiando Casillas no Real Madrid. Por tudo o que fez no clube e na seleção, não queria estar em sua pele”.

Durante os últimos meses, a saída de Koke do Atlético de Madrid tem sido especulada, com Manchester United e o Liverpool aparecendo como possíveis destinos. Para quem já começou a escrever uma grande história nos colchoneros, protagonista na inesquecível temporada de 2013/14, a declaração do jogador de 23 anos tem um peso enorme. Se a torcida do Atleti puder mesmo confiar em suas palavras, dá para esperar mais alguns anos de força dos rojiblancos, com o motor da equipe de Diego Simeone pronto para encabeçar as próximas renovações do elenco.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo