Espanha

Fantasmas blancos

Ivan de la Peña é um daqueles jogadores veteranos que muitas vezes não é mais levado a sério por torcedores e jornalistas. Hoje aos 32 anos, é sempre lembrado pelo período que defendeu o Barcelona, em meados dos anos 1990. Foi no Camp Nou, inclusive, que o meia carequinha começou a carreira. Pois neste final de semana, ele voltou a ser protagonista do Campeonato Espanhol.

No sábado, Barça e Espanyol disputaram o clássico da capital catalã. Líder contra lanterna. Davi contra Golias. Dois gols de De la Peña no início do segundo tempo garantiram a vitória dos Pericos por 2 a 1, resultado que os tirou da última posição da competição e não acontecia desde 1983 no Camp Nou – fator determinante: a expulsão de Keita, aos 37 minutos de jogos, desestabilizou o Barça. Enquanto um Barcelona com seus titulares sofria em casa, em Madrid, longe dali, o Real colocava fogo no torneio.

Com uma atuação espetacular, os Merengues humilharam o Betis por 6 a 1, sendo que todos os gols saíram ainda na primeira etapa. Foi o nono triunfo blanco seguido, e mais: colocou o Real Madrid a sete pontos do líder Barcelona. Algo que para a torcida e elenco significa a possibilidade de sonhar em alcançar os rivais, considerando que faltam ainda 14 rodadas para o final da Liga espanhola.

Há duas semanas, esta coluna destacou o ótimo momento vivido pelo Barça. Naturalmente, uma derrota contra o rival local gera consequências negativa, principalmente no ambiente de trabalho. Some isso à pressão vinda da imprensa e há um cenário pró-Madrid.

Isso não significa uma conspiração madridista. O que acontece é que o clima, antes totalmente ameno e tranquilo em Barcelona, se torna mais pesado e crítico. Torcedores e jornalistas vão exigir uma vitória na próxima rodada contra o Atlético de Madrid (que está em baixa) fora. Os treinos ao longo da semana terão um ar extra de pressão. A diferença de sete pontos ainda é cômoda (60×53), mas realmente é preciso ter mais atenção para não deixar o rival de aproximar.

Até porque, com Juande Ramos o Real está jogando muito bem. Nessa nove vitórias seguidas, o que mais tem se destacado na equipe é o ataque, que finalmente desencantou. Raúl está provando, mais uma vez, que é diferenciado. Robben, Higuaín e companhia tem colaborado, e até mesmo o holandês Huntelaar desencantou de uma vez por todas.

Além disso tudo, há o fator Liga dos Campeões em disputa. Uma eventual eliminação do Barcelona diante do Lyon seria uma tragédia e sem dúvida acarretaria em diversas complicações para a sequência de trabalho do técnico Pep Guardiola. Por outro lado, o Real tem muito menos responsabilidade contra o Liverpool – o que, não entendam errado, não quer dizer que se perder vai ficar tudo tranquilo. Não, até porque a imprensa madridista é completamente louca pela “décima”.

Nessa toada, o Campeonato Espanhol promete ter um arranque final emocionante e com muitos capítulos ainda a serem escritos. Certamente o dia 3 de maio, quando acontecerá a 34a rodada, será aguardado com muita ansiedade. No Santiago Bernabéu, Merengues e Culés devem decidir a competição.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo