Espanha

Ele voltou

Em 17 de julho de 2000, com um discurso de contratar os melhores jogadores do mundo, Florentino Pérez derrotou Lorenzo Sanz e se tornou o 26o presidente do Real Madrid. Nos anos seguintes, levou Luis Figo, Zinedine Zidane, Ronaldo, entre outros, para o Santiago Bernabéu, e instaurou a era dos Galácticos no clube.

Com dois títulos espanhóis, uma Liga dos Campeões e um Mundial Interclubes conquistados, Florentino foi reeleito em 2004. Foi quando começou seu martírio.

Demissões injustificadas de treinadores, como a saída de Vicente del Bosque após conquistar o Campeonato Espanhol, resultaram em um time desequilibrado. Foram três anos sem um mísero título, fato que não ocorria ao Real há 50 anos. Pressionado pela exigente imprensa madridista e sem o apoio da chata torcida blanca, Florentino pediu demissão em 27 de fevereiro de 2006. Agora, pouco mais de três anos depois, ele está de volta.

Florentino Pérez Rodríguez tem 62 anos e formou-se em engenharia civil pela Universidad Politécnica de Madrid. Na década de 1970, fez parte de diversos órgãos e pastas da prefeitura da capital espanhola vinculados à sua área de formação. Passou, gradativamente, a conquistar postos mais altos na política espanhola, o que lhe rendeu prestígio e boas sociedades em empresas de engenharia nos anos 80 e 90.

No entanto, sempre almejou assumiu o clube de seu coração. A primeira tentativa ocorreu em 1995, quando foi derrotado nas eleições por Ramón Mendoza. Empresários persistente, Florentino não desistiu da ideia até concretizá-la em 2000. Sua saída repentina em 2006 lhe causou muita dor e decepção, por isso o retorno já estava programado há muito tempo. E aconteceu mais facilmente do que ele mesmo imaginava.

Florentino já vinha buscando apoio político há algum tempo para reassumir a presidência madridista. O escândalo que provocou a queda de Ramón Calderón, há alguns meses, fez com que seu nome fosse alardeado pelos quatro cantos de Madrid. Em um primeiro momento, ele foi precavido em lançar sua candidatura. Quis esperar os adversários se moverem. Com a falta de uma oposição forte, lançou seu nome ao cargo e, desde então, já não havia dúvidas sobre sua vitória.

As eleições estavam marcadas para 14 de junho, mas com a desistência das outras candidaturas, Florentino Pérez se tornou candidato único, e pelo estatuto do clube, ele foi automaticamente proclamado presidente nesta segunda-feira, data limite para inscrição, em substituição ao “interino” Vicente Boluda.

Florentino, como de costume, chega com um discurso forte e prometendo grandes fichajes. Segundo o As, Kaká já está fechado com o Real. De acordo com o Marca, Cristiano Ronaldo chega em breve, e será comandado por Manuel Pellegrini. Xabi Alonso, Cesc Fàbregas, enfim, as contratações voltaram a ser especuladas aos montes em Madri.

Florentino Pérez retorna ao Real como esperança de que os tempos vitoriosos voltarão ao Santiago Bernabéu. Entenda-se isso como a decida e tão sonhada Liga dos Campeões. Nomeará Jorge Valdano como diretor geral, e espera-se que o argentino devolva a necessária tranqüilidade para os profissionais do clube trabalharem.

Nos seis anos que esteve no comando do Real, Florentino teve uma primeira metade muito vitoriosa, e isso é inegável. Mais: fez dos merengues nesse período o time mais famoso e comentado do mundo. Os galácticos ficaram marcados pelos três anos sem títulos, mas também conquistara muito, além de ter causado uma ilusão mundial nos fanáticos por futebol.

Tudo começou a desandar quando Florentino se esqueceu que o futebol não é apenas marketing, e que a política de Zidanes y Pavones não é equilibrada. Se ele tiver aprendido essa lição, tem tudo para colocar o Real Madrid novamente no topo da Europa.

Espanha convocada

Favorita ao título da Copa das Confederações, o técnico Vicente del Bosque anunciou nesta segunda-feira os convocados da Espanha para a disputa da competição, que acontece entre os dias 14 e 28 de junho na África do Sul. Barcelona, Valencia e Liverpool cederam cinco jogadores cada.

Não há uma grande novidade. Del Bosque optou por levar Iniesta, mesmo com o meia barcelonista se recuperando de uma lesão, e apostou mais uma vez no jovem meia-atacante Juan Mata.

Classificada como atual campeã europeia, a Espanha estreia no dia 14, contra a Nova Zelândia, em Rustenburg. No dia 17 pega o campeão asiático Iraque, em Bloemfontein, e fecha sua participação no grupo A diante dos anfitriões sul-africanos, dia 20, na mesma cidade. O grupo B tem Brasil, Itália, Estados Unidos e Egito. Confira a lista de convocados:

Goleiros: Iker Casillas (Real Madrid), Pepe Reina (Liverpool-ING) e Diego López (Villarreal);

Defensores: Raúl Albiol (Valencia), Alvaro Arbeloa (Liverpool-ING), Joan Capdevila (Villarreal), Carlos Marchena (Valencia), Gerard Piqué (Barcelona), Carles Puyol (Barcelona) e Sergio Ramos (Real Madrid);

Meio-campistas: Xabi Alonso (Liverpool-ING), Sergio Busquets (Barcelona), Santi Cazorla (Villarreal), Cesc Fàbregas (Arsenal), Xavi (Barcelona), Andrés Iniesta (Barcelona), David Silva (Valencia), Juan Mata (Valencia) e Albert Riera (Liverpool-ING);

Atacantes: David Villa (Valencia), Daniel Güiza (Fenerbahçe-TUR), Fernando Torres (Liverpool-ING) e Fernando Llorente (Athletic Bilbao).

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo