Espanha

De olho no Atlético de Madrid

As contratações da pré-temporada já indicavam um Atlético de Madrid muito forte para a temporada 2008/09. Faltava, no entanto, ver o time em campo. A classificação para a fase de grupos da Liga dos Campeões deu mostras do poderio dessa equipe. Ao eliminar o Schalke 04 com uma goleada por 4 a 0 no Vicente Calderón, pela terceira fase preliminar da LC, o Atleti chamou ainda mais atenção. Com a estréia na liga espanhola, as expectativas aumentaram sobre os Colchoneros.

Outro resultado de 4 a 0, desta vez sobre o Málaga, colocou o Atlético de Madrid como um concorrente, sim, ao título espanhol. Naturalmente, Real Madrid e Barcelona estão a frente dos demais, mas o futebol demonstrado pelo Atleti o coloca muito perto dos favoritos, no mesmo nível de Valencia e Villarreal.

A defesa rojiblanca se tornou o ponto forte e seguro do Atlético. Com as chegadas dos zagueiros Ujfalusi e Heitinga, o técnico Javier Aguirre pôde arrumar sua linha de quatro defensores com atletas de ótima qualidade. Pela esquerda, Pernía voltou a jogar bem, enquanto na direita Seitaridis dá conta do recado tranqüilamente. Foras as opções Pablo Ibañez e Antonio Lopez. Para o gol, os experientes Coupet e Leo Franco resolvem o problema.

Além disso, com o retorno de Maniche e a chegada de Paulo Assunção, o meio ganhou muito em marcação. Sem contar que o argentino Banega ainda não estreou e é mais uma opção de pegada, mas com bom toque de bola.

Com a casa arrumada atrás, Aguirre tem dado liberdade suficiente para Aguero criar e Forlán se preocupar apenas em marcar gols – o que ele faz com enorme facilidade e competência. Simão e Maxi Rodríguez completam a formação titular mais conveniente com perfeição, enquanto Raúl Garcia, Sinama-Pongolle e Luis Garcia são ótimas opções para uma temporada longa e que promete ser desgastante, com a disputa da Liga, LC e Copa do Rei.

E o melhor de tudo isso é que a conta ficou em dia para o clube. Neste ano, foram pouco mais de € 20 milhões em reforços. Nas duas últimas temporadas, o Atlético havia gastado mais de € 100 milhões em contratações. Em 2007/08, por exemplo, pagou € 75,7 milhões e recebeu € 42 milhões em vendas (Fernando Torres estava nesse bolo).

O Atlético é um clube gigante na Espanha e com uma torcida apaixonada. Por menor que ela seja em comparação à do rival Real, basta caminhar pelas calles de Madrid para sentir esse fervor.

Os Colchoneros precisam agora aproveitar esse momento excelente que o clube atravessa. Por mais que estejamos apenas no amanhecer da temporada, o Atlético precisa mostrar novamente seu status de grande e não perder pontos contra equipes menores. Por isso o resultado contra o Málaga é emblemático, assim como a goleada contra o Schalke é um alento para os jogos contra os concorrentes ao título. Pode ser simbólico, já que foi disputada apenas uma rodada, mas o Atleti não liderava a Liga há quatro anos. Isso acontecera pela última vez na segunda rodada da temporada 2004/05.

O Real vai ter problemas no ataque no decorrer das competições que jogar – principalmente com a saída de Robinho e a regularidade das lesões de Van Nistelrooy e Robben. O Barcelona tem uma equipe fortíssima, mas a desconfiança sobre o trabalho do técnico Guardiola é um problema. O Valencia é outro time no papel extremamente competitivo, mas ainda está em formação. Por sua vez, o Villarreal é o perigo de sempre, resta saber se nesta temporada eles manterão a boa forma, ainda mais com a LC por jogar também. Fora o Sevilla, que é sempre uma incógnita.

Conquistar pontos e ganhar confiança neste início de Campeonato Espanhol é fundamental para as pretensões do Atlético. Futebol para isso os rojiblancos já mostraram que têm.

Convocação conveniente

O técnico Vicente del Bosque anunciou no final da semana passada a convocação da seleção espanhola. Inicialmente, ele havia deixado de fora o atacante do Barcelona Bojan Krkic. Porém, com a contusão de Fernando Torres, na estréia do Liverpool na Premier League, o treinador chamou o jovem atleta de origem sérvia.

Krkic, de 18 anos, teria sido contatado pelo treinador da Sérvia, Radomir Antic, sobre a possibilidade de “trocar” de seleção. O jogador, no entanto, negou tal contato e afirmou ser espanhol desde pequeno e que seu sonho é defender la Roja. Apesar de ter sido convocado algumas vezes, o atacante ainda não atuou pela equipe principal da Espanha, somente nas categorias de base.

Ele já se integrou ao restante do elenco, que treina na Ciudad Deportiva de Las Rozas, nas cercanias de Madrid. Quem, no entanto, não foi lembrado nem em um segundo momento foi o defensor Rubén de la Red. Só que outro corte ainda pode acontecer: David Villa está com uma lesão no tornozelo esquerdo, segue com muitas dores e não está treinando com os companheiros da Fúria.

A Espanha se prepara para estrear nas Eliminatórias da Copa de 2010, em 6 de setembro, contra a Bósnia, em Murcia. Quatro dias depois, os espanhóis encaram a Armênia, em Albacete. La Roja está no grupo 5, ao lado de Estônia, Bélgica e Turquia, além de Bósnia e Armênia. Confira abaixo a lista dos convocados.

Goleiros: Iker Casillas (Real Madrid) e Pepe Reina (Liverpool/ING);

Defensores: Sergio Ramos (Real Madrid), Joan Capdevila (Villarreal), Raúl Albiol (Valencia), Carles Puyol (Barcelona), Fernando Navarro (Sevilla), Juanito (Betis) e Andoni Iraola (Athletic Bilbao);

Meio-campistas: Andrés Iniesta (Barcelona), Xavi (Barcelona), David Silva (Valencia), Santi Cazorla (Villarreal), Xabi Alonso (Liverpool), Marcos Senna (Villarreal), Diego Capel (Sevilla) e Cesc Fàbregas (Arsenal);

Atacantes: David Villa (Valencia), Daniel Güiza (Fenerbahçe/TUR) e Bojan Krkic (Barcelona).

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo