Espanha

Barcelona renova com Umtiti com redução de salário para poder inscrever Ferrán Torres

Umtiti era considerado dispensável, mas renovação com redução de salário foi a forma encontrada pelo Barcelona para registrar Ferrán Torres

O Barcelona anunciou nesta segunda-feira que renovou o contrato de Samuel Umtiti, zagueiro de 28 anos, e isso certamente soa estranho para quem acompanha algo do clube. Isso porque o francês era considerado dispensável e estava disponível para ser negociado. Acontece que a renovação foi com uma redução salarial e, com isso, o clube ganhou espaço na folha salarial para inscrever Ferrán Torres, contratado por € 55 milhões e mais € 10 milhões em adicionais.

A manobra feita foi até simples: Umtiti tinha contrato até junho de 2023, ou seja, um ano e meio. Ainda tem que receber € 40 milhões brutos até o restante do seu contrato, € 20 milhões por temporada. Ele receberá a mesma a quantia, mas em três anos a mais de contrato. O contrato passa a valer até 2026, com salário reduzido até lá.

O clube mesmo admitiu isso quando anunciou a renovação e em seguida afirmou que isso possibilitou a inscrição do novo contratado.

A redução salarial de Umtiti é também uma forma de torná-lo mais atraente ao mercado. Uma das razões do jogador ser colocado como negociável e não aparecerem propostas é justamente que o seu salário é alto, que assustava os interessados. Segundo o jornal AS, em troca pela renovação, Umtiti pode sair de graça do clube se assim quiser. Se voltar a ser aproveitado e ganhar protagonismo, poderá ganhar mais com cláusulas de bônus.

“Não havia muitas alternativas”, disse uma pessoa do Barcelona que não quis se identificar ao jornal El País, que admitiu que o salário mais baixo pode se tornar mais atraente ao mercado. “Com o salário tinha, era impossível”. Antes de qualquer coisa, porém, o mais importante para o Barcelona era poder inscrever Ferrán Torres, principal contratação de Joan Laporta até agora.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo