Copa do ReiEspanha

Athletic Bilbao vence a emocionante semifinal contra o Levante e disputará duas decisões da Copa do Rei em abril

O Athletic Bilbao viverá semanas históricas em abril, com a chance de ser bicampeão da Copa do Rei. Os bascos se classificaram à sua segunda final consecutiva da competição. A decisão de 2020 contra a Real Sociedad ainda não aconteceu e, depois de seguidos adiamentos, vai ser realizada em 3 de abril. Já em 17 de abril, os Leones voltarão ao Estádio Olímpico de La Cartuja, para encarar o Barcelona na final de 2021. Para ganhar tal direito, o Athletic conquistou uma emocionante vitória sobre o Levante nesta quinta. Depois do empate por 1 a 1 em San Mamés, o time de Marcelino García Toral buscou a virada no segundo jogo da semifinal, com o triunfo por 2 a 1 só assegurado na prorrogação dentro do Estádio Ciutat de Valencia.

A partida tinha um caráter claro desde os primeiro minutos, entre dois times que buscavam a vitória, mesmo que apresentando estratégias distintas. O Athletic controlava um pouco mais a bola, enquanto o Levante aguardava uma brecha para atacar em velocidade. E os valencianos precisaram de 16 minutos para sair em vantagem. Numa trama pela esquerda, Rubén Rochina cruzou rasteiro e Roger Martí insistiu na área para concluir às redes.

O Athletic Bilbao pelo menos não demorou a responder. Apesar do equilíbrio permanecer, com boas chances para os dois lados, o empate surgiu aos 30. Num ataque rápido puxado por Iñaki Williams, Raúl García foi derrubado dentro da área na tentativa de completar o passe. Pênalti, que o próprio Raúl García cobrou, numa pancada para tirar do alcance do goleiro Aitor Fernández. O final da primeira etapa seguiria intenso, com o Levante propondo mais e até parando na trave, em erro de Yeray Álvarez que quase custou um gol contra dos bascos.

O segundo tempo se tornaria bastante distinto. O Athletic Bilbao tomou as rédeas da partida e começou a jogar mais no ataque, empurrando o Levante para trás. Os Granotas abdicavam da bola para tentar os contragolpes, mas não conseguiam se safar do sufoco. A sorte dos anfitriões é que, mesmo pressionando, os bascos não acertavam a pontaria. Mesmo quando Aitor saiu mal do gol, os Leones não aproveitaram. O Athletic teria uma bola que triscou a trave, mas não transformou a superioridade em gols. O Levante sobreviveu rumo à prorrogação.

Na volta ao jogo, o Levante apareceu sem Roger Martí e José Luis Morales, suas referências ofensivas, ambos substituídos. Os valencianos tentavam ganhar novo gás, assim como fez o Athletic ao trocar pouco depois Raúl García por Asier Villalibre. Os bascos permaneciam mais tempo no ataque, mas sem grandes chances. E o goleiro Unai Simón precisou fazer um milagre no fim do primeiro extra, se esticando todo para espalmar uma cobrança de falta fechada batida por Enis Bardhi. Defesaça que faria toda a diferença.

No segundo tempo da prorrogação, Marcelino García Toral realizaria suas últimas quatro alterações. E os substitutos seriam decisivos, com Jon Morcillo participando do gol que determinou a vitória. O tento saiu aos cinco minutos. O camisa 2 realizou ótima jogada pela direita e passou a Alex Berenguer, com o caminho livre. O meia arriscou o chute de longe e contou com um desvio em Nikola Vukcevic, tirando Aitor Fernández e vendo a bola morrer no gol. Neste momento, por causa do tento qualificado na prorrogação, o Levante precisava de dois gols. Os Granotas tentaram até o fim, mas não evitaram a derrota. Apesar da eliminação, caiu de pé o time de Paco López, numa campanha também histórica.

Recém-contratado, Marcelino García Toral terá a chance de conquistar três títulos em quatro meses à frente do Athletic Bilbao. Depois da brilhante campanha na Supercopa, em que desbancou Real Madrid e Barcelona, agora terá duas decisões encadeadas na Copa do Rei. O Athletic soma 39 finais na competição, já somando os dois próximos jogos. Poderá chegar a 25 títulos, prometendo um grande espírito de luta diante de Real Sociedad e Barça. É o que se nota a cada jogo decisivo dos Leones, desde a chegada de Marcelino, um especialista em tirar o melhor de seus talentos.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador detectado

A Trivela é um site independente e que precisa das receitas dos anúncios. Considere nos apoiar em https://apoia.se/trivela para ser um dos financiadores e considere desligar o seu bloqueador. Agradecemos a compreensão.