EspanhaMundo

Até com freio de mão puxado a Espanha vence a Nigéria

A Espanha sequer precisa jogar bem para ganhar. A campeã europeia e do mundo deu espaços como poucas vezes se vê, deixou o adversário chegar perto da sua área um número significativo de vezes, mas ainda assim venceu com certa tranquilidade a Nigéria por 2 a 0. Claro que não é o mesmo time que entrou com a faca nos dentes contra o Uruguai e só não goleou porque resolveu diminuir o ritmo. Foi um time preguiçoso, mas que ainda conseguiu um resultado sem forçar – e graças a uma grande incompetência dos Super Águias.

A Espanha começou o jogo de maneira avassaladora. Marcou um gol aos três minutos, quando já tinha criado duas boas jogadas. Só que não durou muito. Com a marcação frouxa, sem pressão na saída de bola adversária, a Roja viu a Nigéria crescer no jogo e criar chances, que só não foram mais claras porque os nigerianos parecem ter uma compulsão de ajeitar a bola antes de chutar. E aí perderam chances em profusão de chutar a gol quando tiveram a chance.

O primeiro tempo acabou dando a sensação que a Nigéria poderia arrancar um empate a qualquer momento. O início do segundo tempo foi exatamente assim. A Espanha seguia com o seu jogo preguiçoso, muitas vezes atrás da linha da bola, claramente com o freio de mão puxado.

Fernando Torres marcou mais uma vez. Depois dos quatro contra o Taiti, mais um contra a Nigéria (AP Photo/Fernando Llano)
Fernando Torres marcou seu quinto gol na competição (AP Photo/Fernando Llano)

Mesmo sem atuar bem, a Espanha, se poupando, chegou ao segundo gol. Aproveitando o espaço que deram a Pedro, Fernando Torres marcou seu 27º na temporada, contando todas as competições por clube e país. O segundo gol desanimou um pouco os nigerianos, mas o time africano teria outra chance. E foi assim que Gambo perdeu mais uma chance e ficou evidente que não tinha mais como a Nigéria reagir. Pior ainda, no final tomou mais um gol de Alba, desta vez no contra-ataque. Não havia orixá que aguentasse tanta incompetência no ataque contra a campeã do mundo.

A torcida brasileira cantou “Espanha/pode esperar/a sua hora vai chegar” quando o jogo estava definido, já projetando uma final entre a Roja e a Seleção Brasileira. É o que se espera. Antes disso, a Espanha tem a Itália pela frente. Mas certamente há uma expectativa em relação a uma possível final com o Brasil. Isso também, claro, se a Seleção brasileira passar pelo Uruguai.

Formações iniciais

Nigeria x Espanha

Destaque do jogo

Os espaços dados pela Espanha durante o jogo. A Nigéria perdeu várias chances, que poderiam dar alguma emoção ao jogo. Mas os nigerianos mostraram uma grande incompetência nas finalizações.

Momento-chave

Logo no início do segundo tempo, a Nigéria conseguiu uma boa chance, que empataria o jogo. Ideye Brown perdeu. E o time levou outro pouco depois…

Os gols

3’/1T: GOL DA ESPANHA!
Jordi Alba avançou pela esquerda, foi passando pela marcação, que deixou ele entrar na área, dividir a bola, ficar com ela e tocar no canto.

17’/2T: GOL DA ESPANHA!
Pedro recebeu livre pela esquerda, avançou e tocou para o meio, onde Fernando Torres aproveitou para completar para a rede.

43’/2T: GOL DA ESPANHA!
Contra-ataque mortal. Com a Nigéria toda no campo de ataque, a Espanha recuperou a bola, lançou bola longa para Jordi Alba avançar livre, leve e solto. Ele ainda driblou o goleiro Enyama e mandou para a rede.

Curiosidade

A Espanha venceu seus últimos seis jogos e está invicta há 25 partidas. Será que a série sobrevive a esta Copa das Confederações?

Ficha técnica

NIGÉRIA X ESPANHA

Escudo Nigéria Nigéria
Vincent Enyama; Efe Ambrose, Godfrey Oboabona, Kenneth Omeruo (Azubuike Egwuekwe, 11’/1T) e Uwa Echiejile; Sunday Mba (John Ogu, 18’/2T), John Obi Mikel e Fegor Ogude; Joseph Akpala (Mohamed Gambo, 26’/2T), Brown Ideye e Ahmed Musa. Técnico: Stephen Keshi
Espanha_escudo Espanha
Victor Valdés; Álvaro Arbeloa, Gerard Piqué, Sergio Ramos e Jordi Alba; Sergio Busquets, Xavi Hernández e Andrés Iniesta; Pedro Rodríguez (David Villa, 30’/2T), Cesc Fàbregas (David Silva, 9’/2T) e Roberto Soldado (Fernando Torres, 15’/2T). Técnico: Vicente Del Bosque
Local: Estádio Castelão (Fortaleza-BRA)
Árbitro: Joel Aguilar (ESL)
Gols: Jordi Alba, 3’/1T, 43’/2T, Fernando Torres, 17’/2T (Espanha)
Cartões amarelos: Nenhum
Cartões vermelhos: Nenhum

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo