EspanhaLa Liga

Ancelotti: “Não importa o técnico ou a tática, é impossível parar Messi 100% fisicamente”

Poucos treinadores atuais possuem tanta qualificação quanto Carlo Ancelotti. Campeão nacional por três ligas diferentes, dono de três taças da Liga dos Campeões, responsável pela afirmação de vários craques. E alguém que, apesar de todos os predicados, por anos permaneceu com a fama de defensivista, especialmente pela maneira que montou o histórico time do Milan nos anos 2000. O estrategista, no entanto, afirma ser impossível planejar alguma tática que anule Lionel Messi no auge de sua forma. Em sua coluna semanal no Sina Sports, o italiano se debruçou sobre a atual forma do ataque do Barcelona e a postura que se deve ter ao enfrentar os blaugranas.

“Nós sabemos que ele gosta de cortar para dentro, das pontas, e trazer a bola para o seu pé esquerdo. Mas o problema é que o Barcelona tem mais armas além de Messi. Se você focar em Messi, os outros atacantes podem fazer estrago. Mas, se Messi estiver 100% fisicamente, é impossível pará-lo, não importa qual o técnico ou qual a sua estratégia. Seu talento enorme faz com que seja quase impossível antecipar o que ele fará, então não existe jeito de mantê-lo quieto”, escreveu o italiano.

Pelo Real Madrid, Ancelotti enfrentou Messi em cinco oportunidades. Venceu duas partidas e perdeu três, e o camisa 10 marcou três gols – em uma época na qual, todavia, lidava com os problemas físicos. Os três tentos do craque (dois de pênalti) saíram na mesma noite, em março de 2014, comandando a virada por 4 a 3 dentro do Santiago Bernabéu, na qual ainda deu a assistência para Andrés Iniesta abrir o placar e distribuiu excelentes passes. O show de Messi, porém, acabou facilitado naquela ocasião pela expulsão de Sergio Ramos no segundo tempo.

“Marcar Messi individualmente é muito complicado. O defensor em sua marcação precisaria estar no mais alto nível. O melhor jeito de parar Messi é defendendo como um time, diminuindo os espaços entre linhas e não permitindo que ele toque a bola. Você precisa de um meio-campo recheado de jogadores para fazer que isso aconteça. Isso reduz as opções de Messi e ele verá menos a bola, ao menos em posições mais perigosas”, complementou.

Pensar na maneira de parar Messi, aliás, continuará sendo importante para Carlo Ancelotti na próxima temporada. No comando do Bayern de Munique, o treinador deverá ter mais alguns encontros com o artilheiro na Liga dos Campeões. Uma missão na qual, ao menos na temporada passada, Pep Guardiola esteve distante de obter sucesso.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo